Revisão da Temporada – Divisão do Pacífico

Divisão do Pacífico

*Golden State Warriors (58-24)
Los Angeles Clippers (42-40)
Los Angeles Lakers (35-47)
Phoenix Suns (21-61)
Sacramento Kings (27-55)

*Classificado aos playoffs

Sem surpresas, pelo quarto ano seguido, a Divisão do Pacífico foi dominada pelo Golden State Warriors. Não por acaso, o time de Oakland chegou às finais nesse período e conquistou três títulos, estabelecendo uma dinastia na liga.

Mesmo sem fazer a melhor campanha do Oeste, o Warriors era o time a ser batido nos playoffs. A equipe californiana passou sem sustos por San Antonio Spurs e New Orleans Pelicans, até chegar à esperada decisão de conferência contra o Houston Rockets, time de melhor campanha na temporada. Em um duelo eletrizante, decidido após a disputa de sete partidas, o Warriors levou a melhor e foi para a sua quarta final consecutiva. No embate contra o Cleveland Cavaliers, o time de Oakland não teve a menor dificuldade para varrer o adversário e conquistar seu sexto título na NBA.

Os outros quatro times da Divisão não alcançaram os playoffs em 2017/18. O melhor desempenho entre eles foi do Los Angeles Clippers, que terminou a temporada na décima posição do Oeste. Com as saídas de suas grandes estrelas, Chris Paul e Blake Griffin, o time se enfraqueceu e não teve muito o que fazer na conferência. Mesmo assim, o trabalho de Doc Rivers merece elogios porque levou o time a fazer uma campanha positiva.

Com um elenco enfraquecido, Doc Rivers não conseguiu levar o Clippers aos playoffs

O Lakers teve o seu melhor desempenho em cinco anos, mas isso foi insuficiente para que o time chegasse aos playoffs. Como não tinha escolha na loteria, não interessava ao time tankar na temporada. O técnico Luke Walton deu espaço aos jovens Brandon Ingram, Julius Randle, Kyle Kuzma, Josh Hart e Lonzo Ball, e trouxe jogadores mais experientes (Brook Lopez, Kentavious Caldwell-Pope e Isaiah Thomas), mas com vínculos expirantes ao final da temporada. Era essencial manter a flexibilidade salarial e ter condições para assinar com uma estrela na offseason deste ano. Sob o comando da dupla Magic Johnson (presidente) e Rob Pelinka (gerente-geral), o Lakers espera voltar aos seus melhores momentos o mais rápido possível.

O lendário Magic Johnson chegou ao Lakers para colocar ordem na casa

O Kings trouxe veteranos como George Hill, Zach Randolph e Vince Carter para tornar o seu elenco competitivo e ajudar a desenvolver os jovens talentos da equipe. Mas o melhor reforço do time veio da Europa. O ala Bogdan Bogdanović, que tinha levado o Fenerbahçe ao título da Euroliga, assinou um contrato válido por três temporadas e mostrou qualidade logo no seu primeiro ano na NBA. Para coroar o seu bom desempenho, o sérvio foi eleito para o segundo time de novatos. Mas com um elenco recheado de jovens, o Kings não teve a mínima condição de brigar por uma vaga nos playoffs e terminou a temporada com a quarta pior campanha do Oeste.

Por fim, o Suns fez mais uma temporada para ser esquecida. O time do Arizona terminou 2017/18 com a pior campanha da liga e tankou sem a menor cerimônia. Depois de sofrer derrotas acachapantes logo nos três primeiros jogos da temporada (quando sofreu 386 pontos), o técnico Earl Watson foi demitido e o assistente Jay Triano comandou o time de forma interina. Para piorar, o Suns entrou em crise de vez com o pedido de saída feito pelo armador Eric Bledsoe, insatisfeito com os rumos da equipe. Dias depois de tuitar “eu não quero estar aqui”, o jogador foi trocado com o Milwaukee Bucks. O único alento em Phoenix foi o desempenho do jovem Devin Booker, cestinha do time pelo segundo ano seguido e oitavo em média de pontos anotados na liga, em 2017/18. Além do excesso de jovens no elenco, o time sofreu com várias lesões ao longo da temporada. O resultado final não poderia ter sido outro.

2018/19

Com a adição do pivô DeMarcus Cousins, e manutenção do quinteto Stephen Curry, Kevin Durant, Draymond Green, Klay Thompson e Andre Iguodala, o Warriors ficou ainda mais forte e é o time a ser batido na liga. O quarto título em cinco anos é consolidaria de vez a equipe de Oakland como uma das maiores dinastias da NBA em todos os tempos.

Buscando retornar aos playoffs após cinco anos de campanhas ruins, o Lakers trouxe o melhor jogador da liga, LeBron James. Com isso, a equipe angelina automaticamente se credencia a uma das vagas na pós-temporada do Oeste. Além de James vieram veteranos como Rajon Rondo, JaVale McGee, Lance Stephenson e Michael Beasley. O Lakers espera, com a mescla desses veteranos com jovens como Brandon Ingram, Lonzo Ball, Kyle Kuzma e Josh Hart, encerrar o incômodo jejum e voltar a ser competitivo.

O melhor jogador da NBA agora é do Lakers

O outro time de Los Angeles, o Clippers, segue em processo de reconstrução de elenco, depois das saídas de Chris Paul, J.J. Redick, Blake Griffin (os três na temporada passada), DeAndre Jordan e Austin Rivers (este ano). O técnico Doc Rivers vai para o sexto ano no comando da equipe, que está lotada de jogadores nas posições 1 e 2, mas que carece de qualidade no garrafão. O Clippers se reforçou com o pivô polonês Marcin Gortat, que vem em declínio na carreira, e com o ala Luc Mbah a Moute, um especialista defensivo. No draft, o time “gastou” duas escolhas de loteria em Shai Gilgeous-Alexander e Jerome Robinson. Hoje, os grandes nomes da equipe são o ala-pivô Tobias Harris, que vai para o último ano de contrato, e Lou Williams, eleito melhor reserva da temporada passada. Para pensar em brigar por uma vaga nos playoffs, o Clippers precisa espantar o fantasma das lesões que prejudicou Avery Bradley, Danilo Gallinari e Patrick Beverley em 2017/18. Mesmo assim, com o equilíbrio e a força do Oeste, dificilmente este elenco conseguirá levar o time à pós-temporada.

Suns e Kings, mais uma vez, não deverão alcançar os playoffs. São equipes recheadas de jovens e, em uma conferência tão forte como a Oeste, sofrerão muitas derrotas, o que virou rotina nas últimas temporadas. O time de Phoenix, que selecionou o pivô Deandre Ayton na primeira escolha do draft deste ano, confia no talento e na liderança de Devin Booker para pelo menos melhorar o desempenho e dar menos vexames. Na tentativa de acabar de vez com o tank, o Suns trouxe veteranos como Trevor Ariza e Ryan Anderson para tornar a equipe mais competitiva. A franquia espera que jovens como Josh Jackson, Mikal Bridges, Dragan Bender e o já citado Ayton evoluam em quadra sob o comando do recém-chegado Igor Kokoškov, que pretende fazer com que a equipe jogue em transição, movimente bastante a bola e possa explorar o espaçamento de quadra. O jejum de oito anos sem chegar aos playoffs deve aumentar.

Com o Kings, o panorama não é muito diferente. Dave Joerger vai para o terceiro ano à frente do time de Sacramento e espera uma melhor produção de seus jovens comandados. A base formada por De’Aaron Fox, Buddy Hield, Bogdan Bogdanović, Justin Jackson, Zach Randolph e Willie Cauley-Stein ganhou os reforços de Nemanja Bjelica e Yogi Ferrell (via agência livre), Harry Giles, que passou a última temporada inteira no estaleiro, e de Marvin Bagley, segunda escolha geral do último draft. Com tanto jovem no time é difícil imaginar um cenário em que o Kings consiga se dar bem em uma conferência tão forte com a Oeste. São 12 anos sem saber o que é playoffs em Sacramento. Já podemos cravar que o jejum vai aumentar? Podemos.

 

Gustavo Lima
Gustavo Lima
Jornalista graduado pela UFMG e pós-graduado em Produção em Mídias Digitais pela PUC-MG. Natural de Ipatinga e residente em BH. Editor do Jumper Brasil desde 2007. Acompanha a NBA desde 1993. Torcedor do Phoenix Suns, mas adepto da imparcialidade.
  • O Kings tá ferrado há muito tempo e continuará ferrado por muito tempo. Nem os jovens inspiram confiança para o futuro, não tem ninguém ali que desponte como estrela. Sacramento é uma das cidades mais lindas do EUA, merecia um time melhor.

    Agora, sobre a análise de 2018/2019, é melhor pularmos para 2019/2020. Essa temporada acabou antes de começar.

    • Lauro Cantarelli Pereira

      fala Diogo, tu é torcedor do kings?

      como torcedor tbm prevejo um ano muito díficil, é esperar que os novatos mostrem evolução esse ano, fox, hield, bogdan, giles e bagley (ainda tenho esperança no skal e no justin jackson como reservas uteis)
      de resto, o time foi mal montado mesmo, falta SF no grupo e tem excesso de SG, PF e C…

      • Não sou não, mas simpatizo com a cidade e o antigo uniforme roxo. A base jovem é boa, mas não mais que isso. Não parece que tem ninguém ali com potencial de estrela, no máximo bons jogadores. É uma pena.

        • Lauro Cantarelli Pereira

          é, e pra melhorar deixaram passar o doncic… é triste, mas acho que via demorar mais uns anos pro time ser competitivo

          • Eu acho que não há previsão pra isso. Não aposto nesses jovens e tampouco na diretoria. Triste fututo.

  • KyrieMVP- caçador de clubista

    A análise correta seria: Ingram, lonzo e Kuzma chocaram o mundo com o seu talento essa temporada. A evolução deles será assustadora. Nunca teve um trio tão talentoso na nba assim. Os outros times não contam, não tem torcida ou sao modinhas.

    • César WESTBROOK

      esse nucleo jovem eh o melhor da historia na cabeça deles
      vai lá no site deles e fala q um desses ai eh ruim, eles te humilham

      HAHAHA

      • Leonardo

        Primeiro: Acho que você tem dois perfis no disquis de tão chato e clubista que é, além de tudo fica respondendo de um para o outro.

        Segundo: Só não enxerga potencial nesses três jogadores quem não assiste ao Lakers ou não entende de basquete.

        Terceiro: Ao falar que qualquer um deles é RUIM você atesta que é ignorante sobre o assunto ou desinformado. Lonzo pode não ser o que o pai dele pintou e nem será, pois segundo LaVar Ball o mesmo seria um Deus do basquete o que claramente não é. Entretanto tem ótimo potencial defensivo já mostrado na última temporada aliado a uma ótima visão de quadra, além de ter apenas 20 anos e muito a desenvolver em seu jogo.
        Ingram mostrou essa temporada que a torcida de LA não tem com o que se preocupar, evoluiu muito de uma temporada para a outra e mostrou que o físico e a idade o atrapalharam demais em seu primeiro ano na liga, se continuar com a evolução constante tem tudo para atingir o nível de um all star na temporada 19/20.
        Kyle Kuzma surpreendeu a todos com o seu basquete em sua primeira temporada e foi depois de Donovan Mitchell o grande steal desse draft, sua margem de evolução não parece ser tão grande quanto a dos outros dois jogadores acima, entretanto ela ainda existe e com menos exifências por ter um jogador como LeBron ao seu lado os seus números devem aumentar nessa temporada.

        • Guy de Lombard

          Não vejo muitas pessoas aqui dizendo que esses jovens são ruins, mas sim discordando da opinião de alguns torcedores, pois eles afirmam que os jovens jogadores do Lakers são muito melhores que outros que se destacaram muito mais na temporada passada.

  • Guilherme Petros

    Tirando o Warriors, parece uma divisão do Leste

  • Marcio

    Boa analise, esperar pra ver o Haters começarem seu ataque aos Lakers… O primeiro ja começou, KyrieMVP kkkk

  • Luiz Henrique Moura Matos

    ousados colocarem o clippers com 42 -40.
    e nem colocarem o lakers no playoffs .

    • Guilherme

      Essa foi a campanha da temporada passada.

  • Constantino

    Lakers deve obter entre 46 e 52 vitórias essa temporada.
    Aí é fazer jogo duro contra os modinhas nos offs e na próxima temporada iniciar a dinastia com a chegada de outra All Star.
    Go Lakers!!!!

  • César WESTBROOK

    sera q faz sentido trocar ingram, lonzo e kuzma por durant, davis e simmons?
    se for pela cabeça do torcedor do lakão naum faz sentido nenhum.

    HAHAHAHAHA

    • Gustavo Macedo

      Eita fuminho bão!

  • Edu Silva

    Tática é bola pro Lebron e vamo que vamo! Acredito a seed 8.

  • Ser_Humano_Vivo

    Vim do futuro para dizer que:
    LeBron James leva o Lakers aos playoffs na sexta posição e finaliza a temporada com média de 31ppg.
    Celtics será campeão da NBA essa temporada, com um estupendo jogo 5 de Al Horford nas finais.
    Draymond Green infelizmente perderá quase toda a temporada após lesão no ombro.
    Trail Blazzers não chegará aos playoffs.
    Donovan Mitchell será All-NBA first-team e chegará às semifinais com o Jazz, além de ser all-star esse ano.
    Brooklyn Nets será novamente o lanterna do leste.
    GSW não chega às finais da NBA. Houston Rockets ganhará a final da conferência.
    Doc Rivers será demitido antes do All-Star Game.
    Kawhi Leonard jogará apenas 40 partidas nesta temporada.
    Cj McCollum será envolvido em troca com o Washington Wizards.
    OKC perderá a semifinal da conferência oeste no jogo 7 por 1 ponto no clutch time, com cesta de CP3.
    Isaiah Thomas vence o MIP com médias de 26 ppg, 3.7 rpg e 9.6 apg.
    Luka Doncic será o calouro do ano, alcançando 18 assistências no seu 27º jogo.
    Thibodeau será demitido e Doc Rivers assume o comando do Wolves.
    Morre Bill Russell, aos 84 anos.

    • Lucas Henrique

      wtf

    • Gustavo Macedo

      Vai que acerta umas 3… Mas acho que dá pra acertar até uma 8 aí….
      Lá pro final de março a gente vê!

    • Léo Barbosa

      Hahahahahahahaha boa!