Revisão da temporada – Golden State Warriors

Golden State Warriors

Todos os números

Resultado final: Não se classificou para os playoffs
Temporada regular: 36-46, 3° na divisão do Pacífico, 12° na conferência Oeste
Maior invencibilidade: Quatro jogos – entre 21 e 27 de dezembro
Maior jejum de vitórias: Sete jogos – entre 30 de novembro e 13 de dezembro
Média de público como mandante: 18.692 pessoas (95.4% da capacidade)
Maior salário: Monta Ellis, $ 11.000.000 dólares
Pontos por jogo: 103.4 (7°)
Pontos sofridos por jogo: 105.7 (27°)
Rebotes por jogo: 40.6 (19°)
Assistências por jogo: 22.5 (7°)
Bloqueios por jogo: 5.0 (12°)
Roubadas de bola por jogo: 9.0 (2°)
Erros de ataque por jogo: 14.1 (24°)
Porcentagem de arremessos convertidos: 46.1% (16°)
Porcentagem de lances livres convertidos: 76.1% (17°)
Porcentagem de arremessos de três pontos convertidos: 39.2% (2°)
Maior pontuação: 138, contra o Toronto Raptors no dia 25 de março
Menor pontuação: 73, contra o Dallas Mavericks no dia 20 de março
Maior pontuação sofrida: 134, contra o Denver Nuggets no dia 11 de abril
Menor pontuação sofrida: 78, contra o Utah Jazz no dia 5 de novembro
Maior cestinha em um jogo: 46 pontos, Monta Ellis contra o Houston Rockets no dia 27 de outubro
Maior reboteiro em um jogo: 21 rebotes, Andris Biedrins contra o Memphis Grizzlies no dia 26 de novembro
Maior assistente em um jogo: 13 assistências, Stephen Curry e Monta Ellis, uma vez cada  

Ginásio: Oracle Arena (capacidade para 19.596 pessoas)
Técnico: Keith Smart (Uma temporada, 36-46)

Movimentações no elenco:

21 de junho de 2010: Recebeu Jerome Jordan, mais considerações em dinheiro do Portland Trail Blazers por Armon Johnson
22 de junho de 2010: Recebeu Charlie Bell e Dan Gadzuric do Milwaukee Bucks por Corey Maggette e Jerome Jordan
9 de julho de 2010: Recebeu David Lee (assinou com o New York Knicks e foi trocado em seguida) por Kelenna Azubuike, Anthony Randolph, Ronny Turiaf, mais considerações em dinheiro
13 de julho de 2010: Recebeu uma escolha de segunda rodada do draft de 2011 do New Jersey Nets por Anthony Morrow (que assinou e foi trocado em seguida)
22 de julho de 2010: Recebeu uma escolha de segunda rodada do draft de 2011 do Chicago Bulls por C.J. Watson (que assinou e foi trocado em seguida)
23 de fevereiro de 2011: Recebeu Troy Murphy do New Jersey Nets por Dan Gadzuric e Brandan Wright. Murphy foi dispensado em seguida
Assinou com Dorell Wright, Rodney Carney, Louis Amundson, Acie Law, Al Thornton e Jeff Adrien como agentes livres. Assinou com Jeremy Lin como calouro sem ter sido escolhido no draft

A temporada

O Golden State Warriors começou a temporada muito bem, com seis vitórias nas oito primeiras partidas, imprimindo um ritmo muito forte no ataque. No entanto, perdeu 16 dos próximos 19, e o Warriors seguiu o calvário que o persegue nos últimos anos.

A equipe, que não se classifica aos playoffs desde 2006-07, quando eliminou o favorito Dallas Mavericks na primeira rodada, evoluiu bastante depois que tratou de frear um pouco o estilo de transição. Em 2009-10, a equipe havia vencido 26 jogos. De um ano para o outro, conseguiu ganhar mais dez. Ainda é pouco para tentar alguma vaga na concorrida conferência Oeste, mas é um alento.

Se o ataque ficou “mais inteligente”, a defesa não. Sofreu 105.7 pontos por partida, a quarta pior marca entre todas as equipes da NBA.

O técnico Keith Smart teve trabalho para montar o time titular. Contusões seguidas de Andris Biedrins, deixaram o garrafão sem um intimidador de ofício. Smart teve que usar o calouro Ekpe Udoh, que surpreendeu com 1.5 toco em menos de 18 minutos por embate. Mas era pouco para segurar os ataques adversários.

Monta Ellis e Stephen Curry formaram uma dupla excepcional no ataque. Ellis possui características mais de um ala-armador, mas ainda assim contribuiu com 5.6 assistências. Curry não é um armador clássico, porém soube controlar um pouco mais o jogo ofensivo de Golden State.

Ficar fora dos playoffs era algo certo antes mesmo de a temporada começar, ainda que o time tenha contratado o ala-pivô David Lee para ser uma referência no garrafão.

O draft 2011

O Warriors escolheu o ala-armador Klay Thompson, de Washington State, na décima primeira seleção. Ainda obteve o pivô Jeremy Tyler, que estava jogando no basquete japonês. Para finalizar, o time terá o armador Charles Jenkins, de Hofstra. Em princípio, nenhum dos três deverá ganhar espaço na rotação principal, a não ser que Monta Ellis seja negociado.

O perímetro

A bola sempre passa pela dupla formada por Monta Ellis e Stephen Curry, mas apesar de ambos conseguirem ótimo aproveitamento nos três pontos (36.2% e 44.2% respecitvamente), os dois erraram demais no ataque. Foram 478 erros para apenas 882 assistências, uma eficiência de apenas 54%.

Dorell Wright foi uma grata surpresa. O jogador, que era reserva no Miami Heat, subiu de 7.1 pontos para 16.4 depois que foi para a equipe californiana. Wright ainda mostrou-se um jogador completo, que pega rebotes, passa bem, e sabe defender.

Reggie Williams não foi tão bem quanto no ano anterior, quando era obrigado a jogar mais de 30 minutos depois de chegar no fim da temporada, vindo da NBADL. Ao menos, fez sólidos 9.2 pontos, convertendo 42.3% de seus arremessos em 20 minutos.

O problema é que Williams era basicamente a única opção de perímetro ao vir do banco de reservas. Nomes como Acie Law, Vladimir Radmanovic e Al Thornton eram apenas complementos. E de baixa qualidade. Os três pontuaram, mas não sabem fazer nada mais que isso.

O garrafão

As contusões de Andris Biedrins atrapalharam muito. O pivô era a única chance de o time ter um jogador de ofício no elenco. Dan Gadzuric não agradou e foi trocado em fevereiro. O elenco era vazio e Keith Smart teve que improvisar David Lee como pivô em diversas ocasiões, já que Louis Amundson é apenas esforçado.

Pelo menos, o calouro Ekpe Udoh mostrou ser bastante útil, com 2.3 bloqueios como titular (18 jogos).

Lee é um ala-pivô de 2,06 metros, mas com grande capacidade com a bola nas mãos. Sabe pegar rebotes e passa muito bem para um jogador de sua posição. Ele foi a única opção ofensiva dentro do garrafão e contribuiu com 16.5 pontos.

Análise geral

O time é muito baseado em jogadores de perímetro, que sabem arremessar bem. O jogo fica muito em cima de Monta Ellis e Stephen Curry. Ellis chegou a fazer ao menos 35 pontos em 14 oportunidades.

O Warriors ainda teve Dorell Wright pontuando muito, mas provou que pode fazer muito mais que apenas arremessar de longe. Seu jogo cresceu muito depois que foi para o Golden State, e ajudou muito nos rebotes, já que Andris Biedrins não estava lá para pegar.

Biedrins se machucou e vem perdendo muitos jogos nos últimos anos. Apenas nas últimas duas temporadas, ele deixou de atuar em 72 partidas. É quase uma temporada completa só de lesões. Ekpe Udoh ajuda, mas é pouco, já que não é efetivo dos dois lados da quadra.

Keith Smart precisa achar em seu elenco algum reserva, fora Reggie Williams, que possa contribuir. Basicamente, só os titulares jogaram acima de 20 minutos. O quinteto inicial, no papel, é muito bom, mas o banco, nem no papel.

Titulares

PG: Stephen Curry – 18.6 pontos, 5.8 assistências, 1.5 roubada, 44.2% nos arremessos de três pontos, 93.4% nos arremessos de lances livres
SG: Monta Ellis – 24.1 pontos, 5.6 assistências, 2.1 roubadas, 36.2% nos arremessos de três pontos
SF: Dorell Wright – 16.4 pontos, 5.3 rebotes, 37.6% nos arremessos de três pontos
PF: David Lee – 16.5 pontos, 9.8 rebotes, 1.0 roubada, 50.7% nos arremessos
C: Andris Biedrins – 5.0 pontos, 7.2 rebotes, 53.4% nos arremessos

Principais reservas

SG/SF: Reggie Williams – 9.2 pontos, 42.3% nos arremessos de três pontos
SF: Al Thornton – 6.0 pontos
PG: Acie Law – 5.1 pontos
SF: Vladimir Radmanovic – 5.1 pontos, 40.5% nos arremessos de três pontos
C/PF: Louis Amundson – 4.4 pontos, 4.0 rebotes
PF/C: Ekpe Udoh – 4.1 pontos, 3.1 rebotes, 1.5 bloqueio

Gustavo Freitas
Gustavo Freitas
Mineiro de Uberaba, é co-fundador do Jumper Brasil e fã do Boston Red Sox.