Revisão da temporada – Los Angeles Clippers

Los Angeles Clippers

Campanha: 48-34, oitavo colocado na conferência Oeste; perdeu na primeira rodada dos playoffs para o Golden State Warriors em seis jogos
Técnico: Doc Rivers
Executivo: Lawrence Frank

 

J MP FG% 3P% FT% TRB AST STL BLK PTS/J
Tobias Harris 55 34.6 .496 .434 .877 7.9 2.7 0.7 0.4 20.9
Lou Williams 75 26.6 .425 .361 .876 3.0 5.4 0.8 0.1 20.0
Danilo Gallinari 68 30.3 .463 .433 .904 6.1 2.6 0.7 0.3 19.8
Montrezl Harrell 82 26.3 .615 .176 .643 6.5 2.0 0.9 1.3 16.6
Landry Shamet 25 27.8 .414 .450 .795 2.2 2.3 0.5 0.1 10.9
Shai Gilgeous-Alexander 82 26.5 .476 .367 .800 2.8 3.3 1.2 0.5 10.8
Ivica Zubac 26 20.2 .538 .733 7.7 1.5 0.4 0.9 9.4
JaMychal Green 24 19.6 .482 .413 .810 6.5 0.6 0.5 0.3 8.7
Avery Bradley 49 29.9 .383 .337 .800 2.7 2.0 0.6 0.3 8.2
Patrick Beverley 78 27.4 .407 .397 .780 5.0 3.8 0.9 0.6 7.6
Boban Marjanović 36 10.4 .607 .000 .758 4.2 0.6 0.3 0.5 6.7
Marcin Gortat 47 16.0 .532 .729 5.6 1.4 0.1 0.5 5.0
Luc Mbah a Moute 4 15.3 .444 .333 .400 1.8 0.5 0.3 0.3 5.0
Mike Scott 52 14.4 .400 .391 .667 3.3 0.8 0.3 0.2 4.8
Garrett Temple 26 19.6 .396 .296 .742 2.5 1.4 1.0 0.2 4.7
Johnathan Motley 22 7.1 .534 .000 .600 2.3 0.5 0.2 0.1 4.6
Wilson Chandler 15 15.1 .348 .325 .714 3.1 0.7 0.2 0.2 4.3
Tyrone Wallace 62 10.1 .424 .211 .526 1.6 0.7 0.3 0.1 3.5
Jerome Robinson 33 9.7 .400 .316 .667 1.2 0.6 0.3 0.1 3.4
Miloš Teodosić 15 10.0 .425 .370 .571 1.1 2.1 0.2 0.1 3.2
Ángel Delgado 2 7.5 .200 .500 2.0 0.0 0.5 0.0 1.5
Sindarius Thornwell 64 4.9 .347 .200 .735 0.7 0.3 0.2 0.1 1.0

Ninguém duvida que o Los Angeles Clippers foi um dos times mais empolgantes de se acompanhar em 2018-19. Talvez, por ver que em Los Angeles alguém precisava ser visto. De qualquer forma, o Clippers chegou aos playoffs mais uma vez, agora sem ter nenhum grande nome em seu elenco, o que torna a oitava posição na conferência Oeste um trabalho ainda mais bem feito de Doc Rivers.

Tobias Harris, que fazia a melhor temporada da carreira, foi negociado para o Philadelphia 76ers. É bem verdade que o quinteto que começou a fase regular é bem diferente do que terminou: na prática, só restaram o italiano Danilo Gallinari e o voluntarioso armador Patrick Beverley. Ah, mas e Lou Williams e Montrezl Harrell? Eles até foram titulares, mas isso só acontece em dias ímpares que não chovem em Belém ou em Londres. Somados, eles fizeram parte do time inicial em seis oportunidades.

Se Harris saiu, chegou Landry Shamet para jogar ao lado de Shai Gilgeous-Alexander. O Clippers ficou ainda novo, mas mais mortal de três pontos. Juntos, os dois calouros converteram 41% dos arremessos de longa distância. Isso, numa equipe que contou com Gallinari (43.4%), Beverley (39.7%), além de JaMychael Green (41.3%), que veio em troca com o Memphis Grizzlies e Williams (36.1%). Difícil parar esse perímetro, o segundo melhor da liga em aproveitamento.

No garrafão, ficou bem claro que Rivers queria aproveitar toda a força de seus jogadores com capacidade para arremesso, deixando o pessoal da área pintada meio que de lado. Sem qualquer cerimônia, seus pivôs basicamente não pisavam em quadra. Primeiro, Marcin Gortat jogou por cerca de 16 minutos nos primeiros 47 jogos até ser dispensado quando chegou Ivica Zubac, ex-Los Angeles Lakers. O jovem até atuou um pouco mais (20.2 minutos), mas esse tempo foi cortado pela metade nos playoffs. Já o queridinho Boban Marjanovic, ficou por aproximadamente dez minutos por embate. Nisso, ganharam ainda mais espaço aqueles alas-pivôs que espaçam, como Green e Harrell.

Logo de cara, o Clippers pegou o Golden State Warriors nos mata-matas, uma parada indigesta, mas surpreendente. O time de Los Angeles conseguiu complicar a série, levando para seis jogos. Ali, a equipe venceu o segundo embate fora de casa, empatando o confronto e dando a entender que, se o Warriors não quisesse ser eliminado na primeira rodada, teria de jogar o seu máximo. Isso aconteceu e o Clippers ainda beliscou mais um triunfo, finalizando uma grande temporada.

2019-20

Se a temporada 2018-19 foi boa, imagine a próxima. Pois é. Depois que a diretoria se mexeu, o Los Angeles Clippers recebeu, de uma só vez, os astros Paul George e Kawhi Leonard, estabelecendo de vez um padrão mínimo aos seus rivais. Para receber esses caras, no entanto, o time precisou abrir mão de Danilo Gallinari após o seu melhor ano como profissional e o jovem Shai Gilgeous-Alexander. Ofensivamente, os dois dão um ganho a qualquer elenco, mas defensivamente, se você adiciona Patrick Beverley, você tem três reais candidatos ao prêmio de melhor defensor da temporada.

Pensando na dupla, ela poderia ter sido iniciada há muito tempo, quando George já estava no Indiana Pacers e Leonard foi selecionado, porém trocado para o San Antonio Spurs pelo armador George Hill. Se você está em 2019, sabe quem venceu essa. Se está uns dez anos depois, também.

George se firmou como um arremessador de longa distância durante a carreira, com respeitáveis 37.8% de acertos. Na campanha passada, nada menos que 46.6% de suas tentativas foram de três. Em um time que vive pelo arremesso e pela quadra espaçada, ele vai jogar como ala-pivô para deixar o time ainda mais ofensivo.

Leonard precisou ir para o Canadá para voltar a ser campeão da NBA. Foi, brilhou e agora está em Los Angeles para tentar o tri pessoal. Após problemas com o Spurs, o ala foi trocado para o Toronto Raptors que, nos playoffs, foi superando grandes oponentes a cada fase, como Philadelphia 76ers e Milwaukee Bucks, credenciando o time ao título. Tudo, ou quase isso, por causa dele.

Não é difícil enxergar o Clippers entre os favoritos ao título. Bem treinado nas campanhas passadas, o time chega com dois reforços de peso para um elenco que já era forte, tornando o grupo quase que perfeito para aquilo que se propõe, com muita velocidade e capacidade no arremesso de três.

Quem saiu

Boban Marjanovic (Dallas Mavericks)
Danilo Gallinari (Oklahoma City Thunder)
Shai Gilgeous-Alexander (Oklahoma City Thunder)
Garrett Temple (Brooklyn Nets)
Tyrone Wallace (Minnesota Timberwolves)
Wilson Chandler (Brooklyn Nets)
Sindarius Thornwell (dispensado)

Quem chegou

Moe Harkless (Portland Trail Blazers)
Paul George (Oklahoma City Thunder)
Kawhi Leonard (Toronto Raptors)
Rodney McGruder (Miami Heat)
Patrick Patterson (Oklahoma City Thunder)
Terance Mann (calouro)
Mfiondu Kabengele (calouro)

Provável time base

PG – Patrick Beverley
SG – Landry Shamet
SF – Kawhi Leonard
PF – Paul George
C – Ivica Zubac

Principais reservas: Lou Williams (PG, SG), Moe Harkless (SF), Montrezl Harrell (PF, C)

Classificação: vai lutar pelo título a partir do momento em que pisar em quadra para os primeiros treinamentos. É óbvio que existem outros candidatos, mas o Los Angeles Clippers chega em 2019-20 para brigar pelo inédito campeonato.