Revisão da temporada – Los Angeles Clippers

Los Angeles Clippers

Todos os números

Resultado final: não se classificou para os playoffs
Temporada regular: 32-50, 4° na divisão do Pacífico, 13° na conferência Oeste
Maior invencibilidade: quatro jogos – entre 2 de março e 9 de março
Maior jejum de vitórias: nove jogos, entre 5 de novembro e 20 de novembro
Média de público como mandante: 17.742 pessoas (93.1% da capacidade)
Maior salário: Chris Kaman, $ 11.800.000 dólares
Pontos por jogo: 98.7 (19°)
Pontos sofridos por jogo: 101.8 (20°)
Rebotes por jogo: 42.2 (9°)
Assistências por jogo: 22.1 (11°)
Bloqueios por jogo: 4.9 (13°)
Roubadas de bola por jogo: 7.1 (19°)
Erros de ataque por jogo: 15.5 (28°)
Porcentagem de arremessos convertidos: 45.7% (20°)
Porcentagem de lances livres convertidos: 70.7% (29°)
Porcentagem de arremessos de três pontos convertidos: 33.8% (25°)
Maior pontuação: 127, contra o Washington Wizards, no dia 23 de março
Menor pontuação: 78, contra o Milwaukee Bucks, no dia 14 de fevereiro; e contra o Houston Rockets, no dia 9 de abril
Maior pontuação sofrida: 126, contra o Cleveland Cavaliers, no dia 11 de fevereiro
Menor pontuação sofrida: 81, contra o Memphis Grizzlies, no dia 5 de abril
Maior cestinha em um jogo: 47 pontos, Blake Griffin contra o Indiana Pacers, no dia 17 de janeiro
Maior reboteiro em um jogo: 20 rebotes, DeAndre Jordan contra o Denver Nuggets, no dia 5 de janeiro
Maior assistente em um jogo: 13 assistências, Eric Bledsoe contra o Denver Nuggets no dia 5 de novembro

Ginásio: Staples Center (capacidade para 19.060 pessoas)
Técnico: Vinny Del Negro (uma temporada, 32-50 )

Movimentações no elenco

24 de junho de 2010: recebeu a escolha 18 do draft de 2010 (Eric Bledsoe) do Oklahoma City Thunder por uma futura escolha de primeira rodada

24 de fevereiro de 2011: recebeu Mo Williams e Jamario Moon, do Cleveland Cavaliers, em troca de Baron Davis e uma escolha de primeira rodada do draft 2011

Assinou com Randy Foye, Ryan Gomes, Rasual Butler, Craig Smith, Brian Cook, Ike Diogu e Jarron Collins como agentes livres

A temporada

Pela quinta vez consecutiva, o Clippers ficou de fora dos playoffs. O time melhorou em relação à temporada 2009/2010, mas sofreu com os problemas de lesões de Eric Gordon e Chris Kaman, dois titulares absolutos. Na ausência desses dois jogadores, o novato Blake Griffin foi soberano. No entanto, o ótimo desempenho dele não foi suficiente para que o time angelino pudesse almejar a pós-temporada. Além das lesões, vale destacar que o elenco do Clippers é mediano. Só para se ter uma ideia, o limitado Ryan Gomes foi titular na posição 3 durante quase toda a temporada. Pelo menos a direção da equipe se livrou do “péssimo” contrato do armador Baron Davis para flexibilizar a folha salarial…

O draft 2011

Selecionou o ala-pivô Trey Thompkins (Georgia) na escolha 37 e o ala-armador Travis Leslie (Georgia) na escolha 47.

O perímetro

O Clippers teve três armadores durante a temporada. Em razão de lesão, Baron Davis ficou de fora de 14 das 15 partidas disputadas pela equipe em novembro. No mês seguinte, ele voltou a atuar, mas mostrou-se muito preguiçoso e desinteressado em quadra. Em fevereiro, o time angelino perdeu a paciência e resolveu trocá-lo com o Cleveland Cavaliers. Na negociação, o Clippers ganhou o reforço de Mo Williams. Diferente de Davis, Williams não é um armador puro, já que se preocupa mais em anotar pontos do que passar a bola, tanto que sua média de assistências foi de apenas 5.6 por partida. O novato Eric Bledsoe foi uma grata surpresa e não decepcionou quando teve que substituir o lesionado Baron Davis no início da temporada. Nos 14 jogos disputados em novembro, como titular, Bledsoe teve médias de 10.3 pontos, 5.5 assistências e 1.4 roubadas de bola.

O grande pontuador do perímetro foi o ala-armador Eric Gordon, segunda cestinha da equipe na temporada. Capaz de criar o próprio arremesso e uma arma perigosa nos chutes de média e longa distância, Gordon mostrou evolução em sua terceira temporada na NBA. O problema para o Clippers foi que ele deixou de atuar em 26 partidas por conta de lesões. Randy Foye foi o substituto de Gordon em 24 jogos disputados entre 25 de janeiro e 16 de março e, nesse período, teve médias de 16.1 pontos e 4.1 assistências.

A grande carência do Clippers, e não é de hoje, reside na posição 3. O ala Ryan Gomes é muito limitado para ser titular de uma equipe da NBA. Ele é lento e pesado para jogar de ala e baixo para jogar de ala-pivô. Ele é mais um dos vários casos de combo forwards que não estouram na NBA. Falta agressividade e disposição na defesa para Gomes, que não passa de um jogador mediano. Outro ala que participou da rotação do Clippers foi o novato Al-Farouq Aminu, que ficou, em média, 18 minutos em quadra. Ainda muito cru para atuar na NBA, ele mostrou boa mobilidade e disposição para pegar rebotes, mas pecou no setor ofensivo (apenas 39.4% de aproveitamento nos arremessos). É outro combo forward, mas que tem apenas 20 anos e muito para evoluir. No próximo período de agência livre, a prioridade do Clippers é assinar com um ala que chegue para ser titular absoluto. Tayshaun Prince, Andrei Kirilenko, Caron Butler e Shane Battier são as melhores opções.

O garrafão

O dono do garrafão do Clippers foi o ala-pivô Blake Griffin, eleito o melhor novato da temporada. Em sua estreia na NBA, ele mostrou porque foi a primeira escolha do draft de 2009. Depois de perder a temporada 2009/2010 por conta de uma grave lesão no joelho esquerdo, Griffin foi o principal pontuador e reboteiro da equipe, com médias de 22.5 pontos e 12.1 rebotes. E o melhor: ele atuou em todos os jogos da última temporada. Griffin mostrou dominância no garrafão ao pegar muitos rebotes (o quarto melhor da NBA na temporada) e anotar muitos pontos na área próxima à cesta (principalmente enterradas). Além de tudo isso, ele foi selecionado para o All-Star Game e ganhou o torneio de enterradas do All-Star Weekend. Griffin tem apenas 22 anos…

O outro titular do garrafão do Clippers, o pivô Chris Kaman, teve uma temporada para ser esquecida. Por conta de lesões, ele deixou de disputar 50 partidas. Vale lembrar que, na temporada 2009/2010, ele foi escolhido para o All-Star Game pela primeira vez em seus oito anos de NBA. O substituto de Kaman foi o jovem DeAndre Jordan, de 23 anos. Em sua terceira temporada na Liga, ele teve mais tempo de quadra e mostrou que pode ser um jogador muito útil na defesa do garrafão.

Análise geral

Com os problemas de lesões de dois titulares (Gordon e Kaman) e uma carência na posição 3, ficou complicado para que o técnico Vinny Del Negro levasse o time de volta aos playoffs. Se tiver um elenco saudável, contratar um ala de qualidade e manter o pivô DeAndre Jordan (agente livre restrito), o Clippers pode muito bem beliscar uma das oito vagas para a pós-temporada da conferência Oeste. Resta saber se o azar que persegue a franquia há anos vai continuar dando as cartas. Na troca feita com o Cleveland Cavaliers, em fevereiro, o time angelino cedeu uma escolha de primeira rodada do draft 2011. Com essa pick, o Cavs tinha apenas 2.8% de chance de vencer a loteria do draft. E venceu.

Titulares

PG: Mo Williams – 15.2 pontos, 5.6 assistências, 39.8% nos arremessos de três pontos, 88.0% nos arremessos de lances livres
SG: Eric Gordon – 22.3 pontos, 4.4 assistências, 1.3 roubadas de bola, 82.5% nos arremessos de lances livres
SF: Ryan Gomes – 7.2 pontos, 3.3 rebotes
PF: Blake Griffin – 22.5 pontos, 12.1 rebotes, 3.8 assistências, 50.6% nos arremessos
C: Chris Kaman – 12.4 pontos, 7.0 rebotes, 1.5 tocos, 75.4% nos arremessos de lances livres

Principais reservas

PG: Eric Bledsoe – 6.7 pontos, 3.6 assistências, 1.1 roubadas de bola
PG/SG: Randy Foye – 9.8 pontos, 2.7 assistências, 89.3% nos arremessos de lances livres
SF: Al-Farouq Aminu – 5.6 pontos, 3.3 rebotes
SF: Jamario Moon – 3.5 pontos, 2.5 rebotes, 83.3% nos arremessos de lances livres
PF: Craig Smith – 5.4 pontos, 55.3% nos arremessos
C: DeAndre Jordan – 7.1 pontos, 7.2 rebotes, 1.8 tocos, 68.6% nos arremessos

Gustavo Lima
Gustavo Lima
Jornalista graduado pela UFMG e pós-graduado em Produção em Mídias Digitais pela PUC-MG. Natural de Ipatinga e residente em BH. Editor do Jumper Brasil desde 2007. Acompanha a NBA desde 1993. Torcedor do Phoenix Suns, mas adepto da imparcialidade.