Revisão da temporada – Los Angeles Lakers

Los Angeles Lakers

Todos os números

Resultado final: foi eliminado na segunda rodada dos playoffs, derrotado pelo Dallas Mavericks por 4 a 0
Temporada regular: 57-25, 1° na divisão do Pacífico, 2° na conferência Oeste
Maior invencibilidade: 9 jogos, entre 12 de março e 1o de abril
Maior jejum de vitórias: 5 jogos, entre 3 de abril e 10 de abril
Média de público como mandante: 18.997 pessoas (99.7% da capacidade)
Maior salário: Kobe Bryant, $ 24.806.000 dólares
Pontos por jogo: 101.5 (9°)
Pontos sofridos por jogo: 95.4 (8°)
Rebotes por jogo: 44.0 (3°)
Assistências por jogo: 22.0 (13°)
Bloqueios por jogo: 5.1 (10°)
Roubadas de bola por jogo: 7.3 (14°)
Erros de ataque por jogo: 13.1 (26°)
Porcentagem de arremessos convertidos: 46.3% (11°)
Porcentagem de lances livres convertidos: 77.9% (7°)
Porcentagem de arremessos de três pontos convertidos: 35.2% (17°)
Maior pontuação: 139, contra o Phoenix Suns, no dia 22 de março
Menor pontuação: 75, contra o Orlando Magic, no dia 13 de fevereiro
Maior pontuação sofrida: 137, contra o Phoenix Suns, no dia 22 de março
Menor pontuação sofrida: 57, contra o Cleveland Cavaliers, no dia 11 de janeiro
Maior cestinha em um jogo: 42 pontos, Kobe Bryant contra o Phoenix Suns, no dia 22 de março
Maior reboteiro em um jogo: 23 rebotes, Andrew Bynum contra o Utah Jazz, no dia 5 de abril
Maior assistente em um jogo: 14 assistências, Kobe Bryant contra o Phoenix Suns, no dia 14 de novembro

Ginásio: Staples Center (capacidade para 19.060 pessoas)
Técnico: Phil Jackson (11 temporadas, 610-292)

Movimentações no elenco

15 de dezembro de 2010: recebeu Joe Smith e duas escolhas de segunda rodada do draft (2011 e 2012) do New Jersey Nets em troca de Sasha Vujacic e duas escolhas de primeira rodada do draft (2011 e 2012)
Assinou com Steve Blake, Derek Fisher, Matt Barnes, Shannon Brown, Theo Ratliff e Trey Johnson como agentes livres

A temporada

O Lakers entrou na temporada como bicampeão da Liga e um dos favoritos ao título. Mesmo sem poder contar com o pivô Andrew Bynum em 28 jogos da temporada regular, o time angelino não teve dificuldades para terminar a conferência Oeste com a segunda melhor campanha. Entretanto, no final da temporada regular, a equipe caiu um pouco de produção e chegou a perder cinco partidas consecutivas. Na primeira rodada dos playoffs, o Lakers teve dificuldades para bater o New Orleans Hornets em uma série de seis jogos. Inclusive, no primeiro duelo, disputado em Los Angeles, o Hornets levou a melhor. Já na segunda rodada, o Lakers capengou e foi varrido pelo Dallas Mavericks, que posteriormente conquistaria o título da temporada 2010/2011. Na quarta e última partida da série, o time angelino levou uma surra: 122 a 86. Esse jogo marcou a despedida do técnico Phil Jackson da NBA. Um dia depois da eliminação, ele anunciou sua aposentadoria.

O draft 2011

Selecionou os armadores Darius Morris (Michigan) e Andrew Goudelock (College of Charleston) nas escolhas 41 e 46,respectivamente, além do ala-pivô australiano Ater Majok na escolha 58

O perímetro

Pela quarta temporada consecutiva, o veterano Derek Fisher foi o armador principal do Lakers. Conhecido por ser decisivo nos momentos finais de algumas partidas, o jogador de 36 anos mostrou na última temporada que já não aguenta o ritmo de outrora. Sem a velocidade exigida para acompanhar a maioria dos armadores da Liga, que são jovens e rápidos, ele levou um baile de Chris Paul na primeira rodada dos playoffs. O reserva de Fisher foi Steve Blake, contratado no período de agência livre para dividir os minutos em quadra com o titular. Só que Blake foi aquém das expectativas e fez, talvez, a sua pior temporada em oito anos na NBA.

Como não poderia deixar de ser, o destaque do perímetro do Lakers foi o astro Kobe Bryant. Mesmo incomodado durante quase toda a temporada por causa de dores no joelho direito, que o tirou, inclusive, de vários treinos, ele  atuou em todas as 82 partidas da temporada regular. Com médias de 25.3 pontos, 5.7 rebotes e 4.3 assistências, Kobe foi decisivo em várias partidas. Além disso, ele foi eleito para o quinteto ideal da temporada e para o time dos melhores defensores.

O ala Ron Artest fez a sua pior temporada em 12 anos de NBA. Se por um lado, não se envolveu em confusões como em outras épocas, por outro ele caiu de rendimento dentro de quadra. De bom, vale dizer que Artest ganhou um prêmio por serviços prestados à comunidade.

Entre os reservas do perímetro, o destaque foi o ala-armador Shannon Brown, que sempre trouxe muita energia ao Lakers quando solicitado para entrar em quadra. Agressivo e veloz no ataque, ele foi a válvula de escape do time angelino em várias partidas.

O garrafão

O espanhol Pau Gasol fez uma ótima temporada regular, mas decepcionou nos playoffs. Durante a primeira fase, as médias dele foram de 18.8 pontos, 10.2 rebotes e 53.0% de aproveitamento nos arremessos. Ele foi selecionado para o All-Star Game e para o segundo time ideal da temporada. Só que na pós-temporada, os números de Gasol caíram para 13.1 pontos, 7.8 rebotes e 42.0% de aproveitamento nos arremessos. A queda de rendimento do espanhol esteve ligada a problemas pessoais, como o fim de seu namoro.

Pela quarta temporada seguida, o pivô Andrew Bynum perdeu vários jogos da temporada regular por causa de lesões. Em 2010/2011, ele ficou de fora de 28 partidas. Quando esteve saudável, ele não decepcionou, principalmente nos playoffs. Se na fase regular, Bynum foi o quarto maior pontuador da equipe, na pós-temporada ele só não anotou mais pontos que Kobe Bryant.

A temporada 2010/2011 vai ficar marcada na memória do ala-pivô Lamar Odom. Aproveitando-se da ausência de Bynum, ele teve mais minutos em quadra e mostrou um ótimo desempenho, tanto que foi escolhido o melhor reserva do ano, com muita justiça, diga-se de passagem.

Análise geral

O sonho do Lakers de chegar ao tricampeonato acabou na série contra o Dallas Mavericks. Se na temporada regular, o time não encontrou dificuldades para se classificar com autoridade na conferência Oeste, nos playoffs o time angelino mostrou que já não é mais o mesmo. Com um armador em fim de carreira e um Pau Gasol omisso em quadra, o Lakers foi facilmente batido pelo time de Dallas. E olha que, após a eliminação precoce do San Antonio Spurs, muitos analistas cravaram que o time angelino era o favorito para chegar à grande final…

O ciclo vitorioso de Phil Jackson à frente do Lakers chegou ao fim e vai deixar os fãs da equipe com saudades. Para a próxima temporada, um novo técnico já foi contratado: Mike Brown. Com a vinda dele, o famoso triângulo ofensivo adotado por Jackson sai de cena. O time angelino vai ter que se adaptar rapidamente a uma nova filosofia de jogo se quiser brigar novamente para alcançar uma final da NBA. O problema é que um locaute prolongado pode atrapalhar e muito essa adaptação…

Titulares

PG: Derek Fisher – 6.8 pontos, 2.7 assistências, 1.2 roubadas de bola, 80.6% de aproveitamento nos lances livres
SG: Kobe Bryant – 25.3 pontos, 5.1 rebotes, 4.7 assistências, 1.2 roubadas de bola, 82.9% de aproveitamento nos lances livres
SF: Ron Artest – 8.5 pontos, 3.3 rebotes, 1.5 roubadas de bola
PF: Pau Gasol – 18.8 pontos, 10.2 rebotes, 3.3 assistências, 1.6 tocos, 53.0% de aproveitamento nos arremessos, 82.3% de aproveitamento nos lances livres
C: Andrew Bynum – 11.3 pontos, 9.4 rebotes, 2.0 tocos, 57.4% de aproveitamento nos arremessos

Principais reservas

PG: Steve Blake – 4.0 pontos, 2.2 assistências, 86.7% de aproveitamento nos lances livres
SG/SF: Shannon Brown – 8.7 pontos, 91.1% de aproveitamento nos lances livres
SG/SF: Matt Barnes – 6.7 pontos, 4.3 rebotes
SF: Luke Walton – 1.7 pontos
PF: Lamar Odom – 14.4 pontos, 8.7 rebotes, 3.0 assistências, 53.0% de aproveitamento nos arremessos

Gustavo Lima
Gustavo Lima
Jornalista graduado pela UFMG e pós-graduado em Produção em Mídias Digitais pela PUC-MG. Natural de Ipatinga e residente em BH. Editor do Jumper Brasil desde 2007. Acompanha a NBA desde 1993. Torcedor do Phoenix Suns, mas adepto da imparcialidade.
  • Nackphy Ramos

    Quero opinar sobre o meu time,que no caso é o Miami Heat…

    • Gustavo Lima

      Nackphy, você pode mandar um e-mail para a gente com a sua opinião sobre a temporada do Miami Heat. O prazo é curto (nesta sexta-feira à tarde será postada a revisão da temporada do Heat). Envie o seu texto para blogjumperbrasil@gmail.com. Obrigado.

  • O Gasol começou a temporada jogando d++! Nos 15 primeiros jogos, tava com média de 22,7 pts, 12 reb (3,5 ofensivos), 4,1 assistências, 2,2 tocos e 0,7 recuperações… Era ele, o Stoudemire e o Rondo disputando o início do MVP…
    Depois caiu, principalmente nos Playoffs… Além dos problemas pessoais, estava cansado desde o meio da temporada…

    O Lakers oscilou muito na temporada… Símbolo dessa oscilação foram os jogos contra o Cavs…Ganha o primeiro fazendo 112-57 e perde o outro…

    Kobe fez jogos mágicos e jogos bem abaixo do que pode, o Shannon Brown, no começo, tava num nível excelente, chutando muito bem de 3, e caiu com o decorrer da temporada…

    O time estava sem foco e desmotivado…
    Eles queriam avançar no tempo e chegar nos Playoffs e não aproveitaram a temporada regular pra ajustar o time… Com isso, foram pegos de surpresa com a limitação do D-Fish, que apesar de nunca ter sido um craque, caiu d++ em relação a última temporada… O banco mudou muito e os jogadores adicionados (Blake, Barnes e Ratliff (que nem jogou, só machucou)), pareciam não conhecer o time, jogavam em outro ritmo, fora de sintonia…

    O Phil Jackson pecou em dois pontos pra mim: Não usar o Bynum no ataque e não descansar o time… O Gasol falou que estava cansado antes da metade da temporada, e não teve descanso em nenhum jogo… Imagina nos Playoffs… E ele tem o Odom, o melhor reserva da NBA, no banco, podendo substituir em um bom nível…

    E por último, acho que faltou um pouco de pé no chão, pra não falar humildade…
    O Artest falou por volta de novembro ou dezembro, que tava sem graça, que se eles apertassem o ritmo, abriam 20 pontos no 1º tempo… Acredito que conseguissem, mas não pode pensar assim…

    Ai sempre vinha aquelas coisas… Time não conseguindo pontuar, o Kobe começa a forçar 500 arremessos seguidos… Ai não vai… E o time jogou naquela, achando que ganharia quando quisesse… Tomou 4-0 e passou vergonha…

    Tava esperançoso que o time ia vir quente pra essa temporada… Artest indo treinar depois do 4º jogo contra o Dallas, o Gasol querendo recuperar a imagem manchada pelos Playoffs, o Kobe com mais vontade de vencer, o Mike Brown, que ficou sem treinar, pôde rever seus métodos, além de ter excelentes assistentes, e todos gostam de utilizar os pivôs…

    Ai vem o Lockout… Espero que o foco do time não seja perdido nele…

  • Ahhhh, e no 7º jogo da temporada, contra o Portland, o Gasol conseguiu um triple-double (20 pts, 14 reb e 10 ass)