Revisão da temporada – Milwaukee Bucks

Milwaukee Bucks 

Todos os números

Resultado final: não se classificou para os playoffs
Temporada regular: 35-47, 3° na divisão Central, 9° na conferência Leste
Maior invencibilidade: 3 jogos – entre 9 de novembro e 13 de novembro, entre 8 de dezembro e 13 de dezembro, entre 26 de janeiro e 29 de janeiro, entre 8 de março e 12 de março, entre 9 de abril e 13 de abril
Maior jejum de vitórias: 6 jogos, entre 16 de novembro e 26 de novembro
Média de público como mandante: 15.412 pessoas (82.3% da capacidade)
Maior salário: Michael Redd, $ 18.300.000 dólares
Pontos por jogo: 91.9 (30°)
Pontos sofridos por jogo: 92.7 (3°)
Rebotes por jogo: 40.8 (18°)
Assistências por jogo: 18.8 (30°)
Bloqueios por jogo: 4.9 (14°)
Roubadas de bola por jogo: 7.5 (11°)
Erros de ataque por jogo: 12.5 (5°)
Porcentagem de arremessos convertidos: 43.0% (30°)
Porcentagem de lances livres convertidos: 75.7% (20°)
Porcentagem de arremessos de três pontos convertidos: 34.2% (24°)
Maior pontuação: 116, contra o Toronto Raptors, no dia 28 de janeiro
Menor pontuação: 56, contra o Boston Celtics, no dia 13 de março
Maior pontuação sofrida: 116, contra o Los Angeles Lakers, no dia 16 de novembro
Menor pontuação sofrida: 72, contra o Golden State Warriors, no dia 13 de novembro
Maior cestinha em um jogo: 37 pontos, Brandon Jennings contra o New York Knicks, no dia 25 de março
Maior reboteiro em um jogo: 27 rebotes, Andrew Bogut contra o Miami Heat, no dia 7 de janeiro
Maior assistente em um jogo: 12 assistências, John Salmons contra o Los Angeles Clippers, no dia 14 de fevereiro

Ginásio: Bradley Center (capacidade para 18.717 pessoas)
Técnico: Scott Skiles (três temporadas, 115-131)

Movimentações no elenco

22 de junho de 2010: recebeu Corey Maggette e a escolha 44 do draft do Golden State Warriors em troca de Charlie Bell e Dan Gadzuric

24 de junho de 2010: recebeu Chris Douglas-Roberts do New Jersey Nets em troca de uma escolha de segunda rodada do draft 2012

8 de julho de 2010: recebeu considerações em dinheiro do New York Knicks em troca da escolha 44 do draft

21 de julho de 2010: recebeu Jon Brockman do Sacramento Kings em troca de Darnell Jackson e uma escolha de segunda rodada do draft 2011

Assinou com John Salmons, Drew Gooden, Keyon Dooling, Earl Boykins, Earl Barron e Garrett Temple como agentes livres

A temporada

O Milwaukee Bucks foi um time muito irregular do começo ao fim da temporada. Um dos principais fatores que fizeram a equipe não deslanchar foi o excesso de lesões. Nenhum jogador do Bucks conseguiu atuar em todos os 82 jogos da temporada regular. Só para se ter uma ideia, o ala-armador Michael Redd disputou apenas 61 jogos contando as últimas três temporadas. Tudo isso graças a duas graves lesões no joelho esquerdo. Outros jogadores importantes também desfalcaram o Bucks em várias partidas por causa de lesões ao longo da temporada. O pivô Andrew Bogut deixou de atuar em 17 jogos, o armador Brandon Jennings ficou de fora de 19 partidas, o ala Carlos Delfino desfalcou o time em 33 rodadas e o ala-pivô Drew Gooden passou 47 jogos no estaleiro. Com tantas lesões, não dava mesmo para o técnico Scott Skiles fazer milagre. Se por um lado teve a terceira melhor defesa, o time de Milwaukee teve o pior ataque da temporada. Mesmo com todos esses problemas, o Bucks ainda terminou a temporada com a nona melhor campanha do Leste.

O draft 2011

Selecionou o ala Tobias Harris na escolha 19 e o ala-pivô Jon Leuer na escolha 40

O perímetro

Em sua segunda temporada na NBA, o armador Brandon Jennings mostrou que gosta mais de atacar a cesta do que passar a bola para seus companheiros, tanto que foi o cestinha do Bucks. O número médio de assistências dele caiu de 5.7 para 4.8. Em compensação, ele melhorou seu aproveitamento nos arremessos de quadra (de 37.1% para 39.0%) e marcou mais pontos (de 15.5 para 16.2). Em termos gerais, podemos dizer o que o armador, de 21 anos, não evoluiu muito seu jogo.

O ala-armador John Salmons foi o segundo cestinha da equipe, mas teve uma queda de rendimento de uma temporada para a outra no que se refere ao aproveitamento nos arremessos de quadra (de 46.7% para 41.5%). Além disso, com Jennings sendo mais fominha, ele passou a receber menos bolas para arremessar (de 14.8 para 12.3).

Apesar de uma concussão que o tirou de 32 jogos, o ala Carlos Delfino fez uma boa temporada, com destaque para a sua aplicação defensiva. Titular absoluto na posição 3, o jogador argentino chegou a fazer 30 pontos em duas partidas consecutivas, no mês de março. Com a ausência, mais uma vez, de Michael Redd, ele dividiu com John Salmons e Corey Maggete a responsabilidade de pontuar no perímetro. Contratado para ser o sexto jogador da equipe, Maggette não mostrou um bom desempenho e foi até trocado na noite do último draft. O jogador, que teve médias de 19.8 pontos na temporada 2009/2010, pelo Golden State Warriors, marcou 12 pontos de média nos 67 jogos em que atuou com o uniforme do Bucks.

O garrafão

O pivô australiano Andrew Bogut é um dos melhores da posição na NBA, principalmente no setor defensivo, mas vem sofrendo com as lesões. Nas últimas três temporadas, ele deixou de atuar em 76 partidas. Mesmo assim, Bogut foi o jogador que mais deu tocos na última temporada (média de 2.6) e o principal reboteiro do Bucks (média de 11.1). 

O companheiro ideal de Bogut no garrafão, em boa parte da temporada, deveria ter sido Drew Gooden. Só que ele ficou de fora de 47 jogos. Com isso, o camaronês Luc Mbah a Moute ganhou mais minutos em quadra. O jogador, de 24 anos, consolidou-se como um grande defensor na NBA. Outro jogador que atuou na posição 4 foi o turco Ersan Ilyasova, que chegou a ser titular em alguns jogos. Diferente de Mbah a Moute, ele mostrou que pode ser útil no ataque.

Nas vezes em que Bogut esteve lesionado, o novato Larry Sanders não decepcionou. Apesar de limitado no ataque, ele mostrou que é forte na defesa do garrafão. Em uma partida da temporada, Sanders quase alcançou o triple-double: 14 pontos, dez rebotes e oito tocos. Isso aconteceu no duelo contra o Denver Nuggets, no dia 1° de dezembro. O pivô, de 22 anos, deve ganhar mais espaço na próxima temporada.

Análise geral

O Milwaukee Bucks tem um bom elenco, mas sofreu com os problemas de lesões e ficou de fora dos playoffs. O time foi muito aplicado na defesa, mas uma decepção no ataque. Com Michael Redd no estaleiro e Corey Maggette decepcionando, o Bucks teve o pior ataque da temporada. O técnico Scott Skiles sabe que a equipe precisa melhorar a produtividade ofensiva, tanto que o time de Milwaukee já se reforçou para a próxima temporada. Livrou-se de Maggette e Salmons e contratou os armadores Beno Udrih e Shaun Livingston e o ala Stephen Jackson. Provavelmente, o “joelho de vidro” Redd não deve continuar na equipe, já que é agente livre. Com essas trocas e, sobretudo, um elenco saudável, Skiles espera poder levar a equipe novamente aos playoffs.

Titulares

PG: Brandon Jennings – 16.2 pontos, 4.8 assistências, 1.5 roubadas de bola
SG: John Salmons – 14.0 pontos, 3.6 rebotes, 3.5 assistências
SF: Carlos Delfino – 11.5 pontos, 4.1 rebotes, 1.6 roubadas de bola
PF: Drew Gooden – 11.3 pontos, 6.8 rebotes
C: Andrew Bogut – 12.8 pontos, 11.1 rebotes, 2.6 tocos

Principais reservas

PG: Keyon Dooling – 7.1 pontos, 3.0 assistências
SG: Michael Redd – 4.4 pontos
SG/SF: Chris Douglas-Roberts – 7.3 pontos
SG/SF: Corey Maggette – 12.0 pontos, 3.6 rebotes
SF/PF: Luc Mbah a Moute – 6.7 pontos, 5.3 rebotes
PF: Ersan Ilyasova – 9.5 pontos, 6.1 rebotes, 89.3% de aproveitamento nos lances livres
C: Larry Sanders – 4.3 pontos, 3.0 rebotes, 1.2 tocos

Gustavo Lima
Gustavo Lima
Jornalista graduado pela UFMG e pós-graduado em Produção em Mídias Digitais pela PUC-MG. Natural de Ipatinga e residente em BH. Editor do Jumper Brasil desde 2007. Acompanha a NBA desde 1993. Torcedor do Phoenix Suns, mas adepto da imparcialidade.