Revisão da temporada – Utah Jazz

Utah Jazz

Utah Jazz center Rudy Gobert (27) high fives Utah Jazz guard Donovan Mitchell (45) after having a foul called on him against the Cleveland Cavaliers at the Vivint Smart Home Arena in Salt Lake City on Friday, Jan. 18, 2019.

Utah Jazz

Campanha: 50-32, quinto na conferência Oeste, eliminado pelo Houston Rockets em cinco jogos na primeira rodada dos playoffs
Técnico: Quin Snyder
Executivo: Dennis Lindsey

Um dos times mais intrigantes de 2018-19 foi, certamente, o Utah Jazz. O time dirigido pelo técnico Quin Snyder contou com jogadores que sabiam exatamente o que faziam e quais eram suas funções em quadra, como o pivô Rudy Gobert, eleito nas últimas duas temporadas o melhor defensor da NBA. O Jazz teve a quinta melhor campanha, com 50 triunfos e 32 derrotas, mas esbarrou no Houston Rockets nos playoffs e acabou sendo eliminado na primeira rodada por 4 a 1.

O ótimo elenco do Jazz contava com Ricky Rubio na armação. O espanhol, quando perdeu 14 jogos por lesão, não foi substituído exatamente por um jogador de sua posição. Snyder apostou suas fichas em Donovan Mitchell para ser o organizador de jogadas, o que elevou seu jogo na temporada. Antes da parada para o Jogo das Estrelas, Mitchell fazia 22.4 pontos e 4.0 assistências, mas nos 24 embates finais, seus números saltaram para 26.7 pontos e 4.6 passes decisivos.

Muitas das cestas do time de Salt Lake City vieram de longa distância. Os principais responsáveis por isso foram Joe Ingles (39.1% de aproveitamento), Royce O’Neale (38.6%), Kyle Korver (38.4%), Jae Crowder (33.1%), além de Mitchell (36.2%). Somados, eles acertaram 731 cestas de três pontos.

Mas era a defesa o que fazia do Jazz um dos elencos mais fortes da temporada passada. Com Derrick Favors e Gobert fechando o garrafão, além de Rubio, Mitchell e Ingles, todos trabalhando na linha do passe, a equipe foi a quarta que menos sofreu pontos na liga. Somados, os três roubaram a bola do oponente 3.9 vezes por jogo.

Apesar de ser um time muito forte na defesa, por vezes o ataque não fluiu tanto quanto Snyder queria. Em alguns momentos, a equipe precisou jogar com quatro abertos e não tinha peças para isso, como na derrota para o Rockets na primeira rodada dos mata-matas.

2019-20

Foi pensando nesse estilo de jogo imposto pela liga que o Utah Jazz resolveu, finalmente, abrir mão de dois caras mais fortes no garrafão. Sim, isso era um dos trunfos do Jazz. Liberar Derrick Favors não foi uma das decisões mais fáceis da diretoria. O ala-pivô, que estava na equipe desde 2010-11, seu primeiro ano na liga, foi trocado para o New Orleans Pelicans apenas por escolhas futuras no draft, mas, no fim das contas, foi para se desvencilhar do estilo de jogo e se adequar ao novo.

Para isso, o time trouxe, do Indiana Pacers, Bojan Bogdanovic, além do experiente Jeff Green, que estava no Washington Wizards. Os dois vão espaçar a quadra, deixando no garrafão apenas Gobert ou o seu novo reserva, Ed Davis, ex-Brooklyn Nets.

Mas a contratação mais impactante foi a do armador Mike Conley, que passou toda a carreira no Memphis Grizzlies. Após 12 temporadas no time do Tennessee, o atleta foi negociado para o Jazz como o substituto de Ricky Rubio, que assinou com o Phoenix Suns. Conley é um armador mais rodado, mas que defende melhor e comete menos erros que Rubio. Tem, ainda, um arremesso de três muito superior ao do espanhol (37.5% contra 32.2% na carreira) e sabe jogar sem a bola, algo que o Jazz precisa para deixar Donovan Mitchell auxiliando na coordenação de jogadas. Rubio precisava ter o controle para fazer seu jogo fluir.

O Jazz está mais forte, disposto a jogar como outros times. Chegaram peças que podem resolver seus problemas, pois defensivamente, tem um perímetro que sabe marcar e Gobert no garrafão. Na teoria, vem para mais do que as 50 vitórias que obteve em 2018-19.

Quem saiu

Ricky Rubio (Phoenix Suns)
Derrick Favors (New Orleans Pelicans)
Kyle Korver (Milwaukee Bucks)
Jae Crowder (Memphis Grizzlies)
Grayson Allen (Memphis Grizzlies)

Quem chegou

Mike Conley (Memphis Grizzlies)
Bojan Bogdanovic (Indiana Pacers)
Ed Davis (Brooklyn Nets)
Emmanuel Mudiay (New York Knicks)
Jeff Green (Washington Wizards)

Provável time-base

PG- Mike Conley
SG- Donovan Mitchell
SF- Joe Ingles
PF- Bojan Bogdanovic
C- Rudy Gobert

Principais reservas: Dante Exum (PG/SG), Royce O’Neale (SF/SG), Jeff Green (PF), Ed Davis (C), Emmanuel Mudiay (PG)

Classificação: o Utah Jazz vem para ser um dos times mais fortes da liga e deve brigar por mando de quadra nos playoffs.

Gustavo Freitas
Gustavo Freitas
Mineiro de Uberaba, é co-fundador do Jumper Brasil e fã do Boston Red Sox.