Rick Pitino defende volta da elegibilidade de colegiais no draft

Rick Pitino 2

A NBA deverá discutir o aumento da idade mínima para inscrições no draft ao longo da próxima offseason. No entanto, para um dos principais técnicos do basquete universitário, o debate está na contramão do que deveria ser repensado. Treinador de Louisville e recém- eleito para o Hall da Fama, Rick Pitino acredita que chegou o momento dos prospectos colegiais voltarem a ter a opção de entrar diretamente na NBA.

“Eu estou muito a favor de colegiais se inscreverem no draft. Já tive seis jovens no passado comprometidos em jogar aqui e que, no fim das contas, decidiram ‘saltar’ direto para a NBA. Eles não queriam passar pela universidade, então não deveriam. Para ser sincero, não sei o que seis ou sete meses de aulas – metade delas online – podem fazer pela formação de um jovem”, declarou o respeitado técnico.

O primeiro colegial a entrar no recrutamento da NBA sem passar pelo basquete universitário foi o lendário Moses Malone (1974), mas a prática só passou a ser mais usual a partir da década de 1990. Na época, a regra proporcionou o “salto direto” para craques como Tracy McGrady, Kevin Garnett e Kobe Bryant. O aumento da idade mínima de inscrição no draft, em 2005, acabou com a era dos chamados “high schoolers”.

“Universidade não é para todos e há vários exemplos que confirmam isso. Então, se um garoto não quiser vir para cá, deixe que tente a sorte entre os profissionais – na NBA ou D-League. E, se o garoto quiser estar no ambiente universitário, deixe que venha também. Nós ainda vamos ter grandes times na NCAA”, resumiu o treinador de 62 anos, acreditando que maior liberdade aos atletas é o caminho para acertar o sistema.

Pitino não poderia terminar sem dar uma alfinetada em John Calipari, técnico de Kentucky. Para o veterano, o rival é o único quem está realmente ganhando com as regras atuais – e, por isso, não surpreende que ele seja o principal defensor na NCAA do aumento da idade mínima. “Provavelmente, eu tenho uma posição diferente do treinador de Kentucky, né? Afinal, ele está tendo muito sucesso com a regra atual”, cutucou.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.
  • Caio

    Acho que não deviam fazer isso, o melhor é aumentar a idade mínima.

  • rubem

    TB acho Caio…pois o jogador na NCAA da para termos uma nocao…de suas qualidades…se bem que isso nao quer dizes nada ….pois tem jogador que arrebenta na NCAA e nao é tao bom na NBA …mas prefiro como esta…

  • LEANDRO SILVA

    Se não me engano, na NFL o jogador só vai para o draft depois que terminar a faculdade e isso é um modelo que eu gosto.Porém no caso da NBA não sei se ficaria bom.Agora eu concordo com Rick pitino numa coisa,nada a ver o ir pra faculdade e só ficar alguns meses só por imposição,não acho que também deveria retroceder fazendo com que houvesse de novo os “high schoolers”,é melhor deixar do jeito que está ou aumentar mais um ano.

    • O jogador só é elegível a jogar na NFL 3 anos após ter concluído o High School, não precisa ter concluído a faculdade.

  • BrunoM

    concordo com o Pitino. E dando o exemplo do Mundiay, vemos que se realmente aumentar a idade minima, mais e mais jovens vao pular a faculdade e vao jogar em algum time estrangeiro. A pressa desses caras, é de ajudar a familia o quanto antes. Claro que nao se pode esquecer, que a imposicao da idade minima, é uma forma de protecao aos futuros atletas, visto que em 2002, LeBron foi imensamente assediado. Mas entre o enorme assedio e a ida para o exterior, vejo que é mais facil lidar c o assedio

  • Galvão – EL HEAT

    Concordo com os amigos acima que são contra a elegibilidade de colegiais para o Draft. Acho também que deveria ser como a NFL, só após se formar. Os calouros da NFL chegam impactando no jogo, com estilo estabelecido, já os NBA muitos chegam muito crus e precisam de muito tempo para a adaptação na liga. Claro que se o cara jogar os 4 anos não vai sair nenhum gênio do basquete (vide Shabaz Napier), mas acho que eles deveriam ficar mais tempo nas faculdades.

    • Caio

      Também acho isso, os calouros da NFL chegam quase sempre prontos para dar algum impacto aos seus times.

  • Horácio

    O modelo da NFL é do jeito que é por quê times de futebol americano são muito extensos, coisa de 80 a 100 jogadores no plantel, se todos decidissem se eleger para o draft, ficaria complicado administrar a NCAA, penso assim.

    • André Fagundes

      Horácio. É muito difícil todos se elegerem, nem todos os atletas projetados tem hype suficiente para por o nome numa lista de Draft. Eu vejo hoje que o Ben Simmons seria tranquilo uma escolha TOP 5 no Draft caso fosse elegível por exemplo, pois o Draft 2015 não tem um ala que é unanimidade na posição.

  • Uncle Drew

    Eu concordo com o Pitino. Na NBA ñ adianta mt coisa os jogadores irem pra NCAA, os jogadores ñ dão a mínima! escolhem qualquer curso meia boca pra passar logo e irem pra NBA, se é pra fazer isso é melhor ir direto. Tem gente comparando a NBA com a NFL aqui então, acho meio injusto comparar. As táticas/esquemas da NBA são mt MUITO mais fáceis de aprender do q as da NFL, por isso os jogadores de futebol americano universitários ficam 2/3 anos lá. Na NFL é tudo mt complexo, precisa entender bastante do esporte, fazer leitura das jogadas e uma das coisas q mais conta no pré-draft da NFL é vc ser inteligente, existem até testes e etc, e saber bastante dos esquemas. Ou seja ñ é bom comparar NBA com NFL nesse aspecto, é mt diferente

    • zorg

      Além disso que vc colocou bem temos a questão fisica …. um garoto saído no HS não teria a minima condição de jogar na NFL

    • André Fagundes

      Eu não conheço nada de NFL, mas concordo na relação do tempo. Ainda tem o fato que no HS o jogador geralmente prática mais de um esporte. E geralmente é na escolha da universidade que ele define o seu esporte. WCS era uma promessa do Football (Ben Simmons idem)!!!

  • André Fagundes

    Pitino monstro!!!Também não sou a favor do One-and-done. Primeiro: Tira o direito de decisão do jogador (se a franquia não quer apostar- não selecione). Segundo: Aumentou muito os casos de indisciplina na NCAA a partir de 2005, alguns jogadores não estão indo pra lá se formar (é um passeio) e isso prejudica a imagem da universidade que tem toda uma filosofia de trabalho e ética. O Pitino usou bem o exemplo da D-League os times da NBA tem seus times para usar como “barriga de aluguel” o fato é que muitos fecham os olhos. O Heat é um exemplo de sucesso (isso que nem foram jovens promessas).

  • zorg

    Uncle em parte acho que Pitino tem razão quanto ele fala na questão da formação e na vontade do jovem de estar na Universidade, essa obrigatoriedade acaba favorecendo aqueles programas trampolins em detrimento de outros que tem procedimentos mais sérios …. por outro lado sabemos que alguns poucos jogadores excepcionais (LeBron, Kobe, Garnett entre outros)o college não varia muito diferença pelas qualidades superiores deles … mas a grande maior da NBA não é compostas por essas exceções …. vemos muitos bons jogadores que faltam fundamentos e pelo calendário e cultura da NBA não sera ali que eles irão aprender …. acho que o A Benett é o tipico jogador que demostra como um talento pode se perder por essa política atual ….