Rumo ao Rio – Alas

Historicamente, Rubén Magnano convoca apenas dois alas para os torneios disputados pela seleção brasileira. Logo, vou começar o #RumoAoRio de hoje dizendo: ainda não é a hora de Bruno Caboclo. Li muitos comentários aqui no site a respeito da convocação ou não dele, mas o jovem atleta é uma peça a ser descartada por enquanto.

Apesar dos bons números na D-League, pelo Raptors 905, Caboclo não tem experiência internacional e nem noção ainda do tamanho do peso da camisa da seleção. Estamos entrando na competição em busca de medalhas. Não há tempo para preparar jogadores para o futuro neste momento.

Veja também

Rumo ao Rio – Alas-armadores
Rumo ao Rio – Armadores

Nesse caso, Marquinhos e Léo Meindl devem ser os escolhidos. O primeiro não precisamos falar muita coisa, né? Um dos homens de confiança de Magnano, destaque no Brasil e destaque no Flamengo. Sólido marcador e muito bom ofensivamente. Seja com infiltrações, seja com arremessos do perímetro, ele vai pontuar. No NBB são 15.5 pontos por partida.

Meindl foi titular na campanha do ouro no Pan de 2015, em Toronto, e também estava no time da Copa América no México. O ala do Bauru faz uma temporada consistente com números de, aproximadamente, 10 pontos e cinco rebotes por partida. Com apenas 23 anos é uma das esperanças para o futuro da posição.

Além da dupla, outros dois jovens alas chamam a atenção e, ao lado de Caboclo (para calar a boca e tirar todo resto de credibilidade deste que vos escreve) podem pintar na lista. Danilo Fuzaro (Minas Tênis Club) e Lucas Dias (Pinheiros) são boas sombras para Léo Meindl.