Rumornelli – Semana 08

Kemba Walker: Supermax à vista?

Que Kemba Walker está jogando muito, não é novidade. All-Star nas duas últimas temporadas, no armador do Charlotte Hornets iniciou a atual campanha quebrando todos os seus próprios padrões, entrando na bolha dos melhores jogadores de toda a NBA.

Agente livre no final da temporada, ele passou a ser monitorado pelas franquias que sonham com uma grande contratação na offseason. Só que seu nível absurdo de jogo pode fazer com que deixar o Hornets seja uma alternativa bem cara, caso ele opte por isso.

Isso porque, mantendo esta performance, ele pode se tornar elegível para um Supermax, modalidade de contrato reservada a jogadores que tenham entre 7 e 9 anos de experiência e que não tenham sido trocados desde seu quarto ano na NBA. Além disso, também precisam atingir pelo menos uma de três condições:

– Tenha sido eleito para um dos times All-NBA na temporada mais recente ou então em duas das últimas três temporadas

Ou

– Tenha sido MVP da NBA em alguma das últimas três temporadas

Ou

– Tenha sido o Defensive Player of the Year na temporada mais recente ou então em duas das últimas três temporadas.

O jogador que atingir estes requisitos pode assinar uma extensão de 35% do valor do teto salarial a partir do momento em que faltarem dois anos para o término de seu vínculo. É este o contrato que jogadores como James Harden, Russell Westbrook, Steph Curry e John Wall assinaram e que vai lhes pagar mais de US$ 200 milhões de dólares cada.

Walker, portanto, está mirando a eleição para um dos três times All-NBA nesta temporada. A tarefa, é claro, não é fácil. Na última temporada, os seis guards eleitos foram James Harden e Damian Lillard (primeiro time), Russell Westbrook e DeMar DeRozan (segundo time), e Stephen Curry e Victor Oladipo (terceiro time).

A elegibilidade para um Supermax pode ser determinante para que ele fique em Charlotte. A franquia está disposta a lhe oferecer o contrato caso ele esteja apto para tanto, mas caso isso não aconteça e o Hornets não pareça estar na direção certa, ele pode optar por buscar novos ares. O Los Angeles Lakers, de LeBron James, teria condições de abriga-lo com um contrato bastante atraente, assim como New York Knicks e Brooklyn Nets, times de New York, sua terra natal, e que buscam a contratação de uma ou duas estrelas cada na próxima offseason.

Com um cenário desses, é justo dizer que o Hornets de hoje é um raro exemplo de franquia que deve estar torcendo para poder pagar mais a seu jogador na hora de renovar.

Milos Teodosic de saída da NBA

O armador Milos Teodosic, contratado no ano passado com grande destaque pelo Los Angeles Clippers já está de saída da NBA. Decepcionado com seu tempo na liga, ele diz já estar satisfeito por ter conhecido a principal liga de basquete do mundo e mira um retorno para o basquete europeu, onde brilhou por treze anos antes de ser contratado pelo Clippers.

Competente criador de jogadas, o sérvio de 31 anos teve o melhor ano da carreira em 2016, quando liderou a seleção de Sérvia à Prata Olímpica e foi eleito pelos técnicos da NBA como o melhor jogador de basquete fora da NBA. Neste ano, ele ainda foi campeão da Euroliga com o CSKA Moscou e foi eleito o melhor jogador da temporada europeia pela FIBA pela segunda vez (a primeira em 2010).

É uma pena que um jogador tão talentoso não tenha conseguido emplacar na NBA, mas além de ter ido para os EUA já mais velho (30 anos), ele também sofreu com seguidas lesões e exigências físicas de uma liga de armadores cada vez maiores e mais fortes.

O atleta declarou estar preparado para voltar à Europa no começo da temporada ou até quem sabe antes, dando a entender a possibilidade de uma rescisão contratual com o Clippers. Voltando ao basquete europeu, sua contratação certamente será disputada por equipes de ponta.

Otto Porter em Sacramento?

Com muitas equipes mostrando interesse em Bradley Beal, o Washington Wizards subiu o preço do ala-armador e a pedida se tornou impossível. Já o ala Otto Porter Jr., que não vive a melhor fase da carreira, pode estar mais perto de uma troca. O Sacramento Kings, uma das surpresas da temporada, seria uma das franquias se movimentando pelo atleta.

O Kings tem os contratos expirantes de Iman Shumpert, Zach Randolph, Kosta Koufos e Ben McLemore, além de US$ 16 milhões de espaço livre na folha salarial para tentar um negócio. Com dificuldade de atrair agentes livres, flexibilidade salarial não é tão importante para o Kings no momento, que vê na situação a oportunidade para apostar num jogador ainda jovem e de potencial como Porter Jr. ao lado de um núcleo jovem em ascensão.

Por Ricardo Romanelli