Rumornelli – Semana 11

Knicks ainda quer Durant

Mesmo após Kevin Durant dar declarações no sentido de que não teria tanto interesse em assinar com o New York Knicks, ele segue sendo o alvo principal do time na próxima offseason. De acordo com Frank Isola, do The Athletic, a franquia segue inteiramente comprometida na missão de assinar com o astro do Golden State Warriors, e diversos executivos ao redor da liga citam o Knicks como possível destino do jogador.

Com o vestiário conturbado nesta temporada, esta realmente parece a última campanha do supertime do Warriors. Caso Durant opte por sair, uma ida a New York faria sentido em sua busca de se afirmar como o maior astro da NBA e rivalizar com LeBron James em termos de mídia. Com LeBron em Los Angeles, apenas o estrelato em New York poderia fazer Durant rivalizar de frente. Uma dupla com Kristaps Porzingis e um elenco razoável também parece o suficiente para colocar o Knicks na briga por uma ida às Finais da NBA. Com a crescente especulação, é curioso observar como o Knicks se movimenta no mercado desta temporada, buscando contratos expirantes e bons jogadores para compor um futuro elenco.

Jabari Parker: alguém topa?

Em menos de 30 jogos, as atuações de Jabari Parker pelo Chicago Bulls foram tão catastróficas que a equipe já busca uma troca para o ala. Após a demissão do treinador Fred Hoiberg, a ordem em Chicago é arrumar a casa para a próxima temporada, e para que isso aconteça, Parker precisa ser trocado. Sem arremesso confiável e um dos piores defensores de toda a NBA, o atleta possui mercado restrito neste momento. Inicialmente, apenas Denver Nuggets, New York Knicks e Utah Jazz teriam manifestado algum interesse, de acordo com Joe Cowley, do Chicago Sun-Times.

O interesse, no entanto, deve aumentar conforme a trade deadline se aproxima. Parker assinou um contrato de dois anos com salários de US$ 20 milhões anuais, mas o time possui opção de decidir sobre a continuidade do vínculo para a segunda temporada. Significa que, na prática, ele é um contrato expirante de US$ 20 milhões para o time que o adquirir (ou para o próprio Bulls). Numa offseason onde vários times tentam limpar espaço na folha salarial para ir atrás de nomes como Kevin Durant, Klay Thompson, Kawhi Leonard e Kyrie Irving, entre outros, Parker pode se tornar um ativo valioso e cobiçado nas próximas semanas.

Paradoxo do Draft

Nesta temporada, uma realidade diferente se impõe sobre a decisão que a maioria dos times começa a cogitar nesta época do ano: tankar ou não?

A controversa prática de propositadamente piorar o time em busca de melhorar a posição no Draft normalmente começa a ser arquitetada nesta época do ano, quando times que não deram certo já miram o ano seguinte. Neste ano, porém, o incrível equilíbrio de forças nas duas conferências, principalmente no Oeste, coloca muitos times ainda em condições de disputar uma vaga nos Playoffs, e isso faz com que muitos times fiquem reticentes. O paradoxo está no fato da próxima classe de Draft ser fortíssima, fato que normalmente faz com que o tank comece cedo na temporada.

Nas próximas semanas, a expectativa é de que alguns times comecem a olhar para esta opção com mais carinho, e o efeito prático para alcançar este fim pode ser a troca de alguns bons jogadores. Numa liga tão equilibrada neste momento, tais trocas podem dar a um ou outro time a vantagem necessária para se destacar o suficiente em relação aos outros. Por todos estes fatores, a trade deadline deste ano promete ser um verdadeiro jogo de poker.

Por Ricardo Romanelli