Rumornelli – Semana 16

Lakers em busca de um arremessador

Durante a offseason, não foram poucas as vozes que apontaram a falta de bons arremessadores na montagem do elenco do Los Angeles Lakers. Pois bem, chegamos próximos à trade deadline e é exatamente isso que a franquia busca no mercado de troca.

A missão, no entanto, não é tão simples. Comprometido com o plano de tentar contratar um jogador de contrato máximo na próxima offseason, o Lakers não quer trocar por jogadores que tenham contrato além da atual temporada, o que restringe um pouco o mercado.

Neste cenário, três alvos passaram a ser monitorados pelo time de Los Angeles: Trey Burke (New York Knicks), Wayne Ellington (Miami Heat) e Terrence Ross (Orlando Magic).

Burke possui contrato de US$ 1,7 milhões expirando na atual temporada com o Knicks, que desejaria meramente uma escolha de segundo round no Draft para liberar o atleta, que registra 35% de aproveitamento nas bolas de três nesta temporada. Algum salário menor do Lakers também teria que estar envolvido na transação.

Já Ellington possui salário de US$ 6,2 milhões, então é possível imaginar que o salário de US$ 4,4 milhões de Lance Stephenson também estaria envolvido na transação como contrapeso, além de possivelmente alguma escolha de Draft ou outro atleta de menor expressão. Ellington, que já jogou no Lakers em 2014-15, registra aproveitamento de 37% nas bolas de três pontos e vociferou sua insatisfação com os minutos que tem recebido, e consequentemente que gostaria de ser negociado.

Ross, por fim, possui salário de US$ 10,5 milhões, então a troca se torna mais difícil, pois o Lakers teria que envolver jogadores de salários maiores, que são mais importantes para a rotação. O Magic também não estaria tão motivado a trocá-lo quanto Knicks e Heat com seus atletas, então a transação seria mais cara. O ala atualmente registra 37,8% de aproveitamento nas bolas de longa distância.

Vale lembrar que, desde que assumiu o comando do Lakers, a dupla Magic Johnson e Rob Pelinka tem sido bastante ativa nos movimentos com o elenco. Em sua primeira trade deadline, em 2017, trocou Lou Williams para o Houston Rockets para abrir espaço na folha salarial. Na offseason daquele ano, a troca de Timofey Mozgov e D’Angelo Russell para o Brooklyn Nets, também para abrir espaço na folha, mesmo motivo da troca de Jordan Clarkson e Larry Nance Jr. para o Cleveland Cavaliers na deadline de 2018. Todos esses movimentos resultaram na contratação de LeBron James na última offseason, e agora a dupla de dirigentes precisa usar sua disposição em alterar o plantel para melhorar o elenco de apoio em torno do astro.

No último domingo, o Lakers enviou três olheiros para assistir a partida entre Miami Heat e New York Knicks, então o interesse nos atletas especulados é real e um negócio pode ser formatado nos próximos dias. É interessante notar que, na partida em questão, Ellington jogou por 31 minutos e anotou 19 pontos, além de ter sido titular. Nos últimos dezesseis jogos, ele apenas atuou em três. Apesar de estar substituindo o lesionado Tyler Johnson, é curioso que tenha recebido minutagem e titularidade justamente no jogo em que os olheiros do Lakers estavam presentes.

Enes Kanter: faca de dois gumes

A maneira como o pivô Enes Kanter tem vocalizado suas críticas à comissão técnica do New York Knicks por sua falta de minutos e o consequente desejo de ser trocado deve ser examinada de outros ângulos. Kanter chegou ao Knicks na troca que enviou Carmelo Anthony ao Oklahoma City Thunder, na offseason de 2017. Ele possuía mais dois anos de contrato, sendo que o segundo era uma player option. Dada a insatisfação dele com o negócio, a expectativa era de que ele não desejaria ficar no Thunder por mais de uma campanha. As más atuações, no entanto, fizeram ele optar por esticar o vínculo mais um ano pelo salário de US$ 18 milhões, já que percebeu que não conseguiria algo melhor no mercado da última offseason. Tudo isso depois que o Knicks já havia lhe informado sobre a intenção de desenvolver jovens jogadores para o futuro da posição, já que a franquia não tem planos de renovar com o atleta nesta offseason.

Tudo isso é importante porque afeta o valor de troca de Kanter. Os executivos ao redor da liga sabem de tudo isso e ponderam que as críticas e reclamações dele por minutos têm sido descabidas, em certa medida. É difícil que o Knicks consiga um bom negócio para trocar o pivô antes da trade deadline, fazendo uma rescisão contratual após o dia 7 de fevereiro uma saída provável.

Spurs em busca de um ala

Brigando no concorrido Oeste por uma vaga nos playoffs, o San Antonio Spurs quer reforçar o elenco ao máximo naquela que pode ser a última temporada de Gregg Popovich no comando do time. Atualmente, a franquia explora o mercado por um ala para reforçar a rotação, e Stanley Johnson, do Detroit Pistons, seria o alvo principal.

O negócio, no entanto, é difícil. O Spurs tem poucos ativos disponíveis para troca. Com um elenco caro e envelhecido, a equipe poderia dispor, talvez, de escolhas de Draft que não possuem tanto valor no momento. Apesar disso tudo, o GM R.C Buford disse que a franquia vai “atender os telefonemas” nos próximos dias, indicando disposição em conversar.

Por Ricardo Romanelli