Segundo presidente do Knicks, Porzingis ameaçou se afastar do time se não fosse trocado

O New York Knicks surpreendeu a todos quando negociou seu melhor jogador, Kristaps Porzingis, no início do ano. E apesar da movimentação fazer sentido analisando o plano da franquia, que é possuir grande espaço na folha salarial e assinar com duas estrelas na próxima agência livre, a decisão não parece ter sido tomada apenas pela diretoria. De acordo com o presidente da equipe, Steve Mills, o ala-pivô teria pedido para ser negociado e ameaçado voltar para a Europa, ao invés de permanecer com o time, caso seu desejo não fosse atendido.

“Eu estava com o Scott Perry [Gerente-Geral do Knicks] e ele entrou no meu escritório e disse: ‘Eu não quero permanecer aqui e eu não vou assinar nenhuma extensão contratual com o Knicks. Eu te dou sete dias para tentar me negociar com outra equipe ou eu vou voltar para a Europa'”, afirmou Mills em um evento da franquia, de acordo com Kurt Helin, do NBC Sports.

No fim das contas, o Knicks negociou Porzingis com o Dallas Mavericks e agora, livre do impasse contratual com o jovem jogador, possui espaço na folha salarial para dois contratos máximos no período da agência livre. Já o ala-pivô não atuou na temporada 2018-19 e deve receber uma grande oferta de renovação da equipe do Texas.

Eduardo Ribeiro
Eduardo Ribeiro
Paulista, jornalista e membro do Jumper Brasil desde 2015