Sem saudosismo, David Robinson admite: “Eu amo a NBA de hoje em dia”

David Robinson é uma das referências de um basquete distinto do que vemos hoje em dia. Um dos maiores pivôs da história da NBA, o ídolo do San Antonio Spurs atuou em uma liga que baseava-se em jogadores de garrafão e defesas bem mais “pegadas”. O ex-atleta sabe que o jogo mudou, mas, diferente de outros colegas, aprova os rumos que o basquete tomou nas últimas décadas.

“Eu amo a NBA de hoje em dia. É muito diferente da liga em que eu joguei, éramos muito mais físicos, mas as regras mudaram – com razão – para tirar um pouco dos ‘exageros’ que existiam. Foi uma decisão correta. Acho que a liga é tão empolgante agora! É divertido ver esses caras correndo e pontuando aos montes. Adoro o jogo atual”, contou o integrante do Hall da Fama, em entrevista ao site Hoopshype.

Robinson disputou 987 partidas em 14 temporadas na NBA, sempre atuando pelo Spurs. Ele tem dois títulos da NBA, dez seleções para um dos quintetos ideais da liga, dez participações em Jogo das Estrelas e um prêmio de MVP da liga. O ex-jogador foi um dos grandes astros da NBA na década de 1990, mas não acredita que o que fez foi melhor ou mais difícil do que os feitos dos atletas da atualidade.

“Eu não sou um daqueles caras que virão aqui dizendo que a NBA só era jogada da forma certa no meu tempo. Acho que o jogo vive de ciclos e, neste momento, o que está em alta é esse frenesi de arremessos o tempo inteiro. Aposto que, um dia, nós voltaremos para o jogo mais defensivo, de fundamentos e com pivôs controlando as ações da minha época. É normal”, analisou Robinson, com naturalidade.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.
  • Diego Costa

    Os pivôs aos poucos estão controlando as ações como ele disse, só que com características diferentes da do tempo dele. Praticamente todo big man de alto nível nessa liga adaptou um chute de fora no seu jogo. Griffin, Towns, Cousins , Horford e Embiid são exemplos disso. AD um pouco menos, ainda sim essa é sua melhor temporada em chute de 3 , falando de fg% e número de arremessos tentados. De qualquer forma temos pivôs jogando o fino mesmo sem, como D12 e DAJ que fazem grandes temporadas. O problema é quando vc é ala ou PG e não consegue chutar, aí sim isso vira um grande problema. Grego é o caso mais escancarado pra mim , porém é novo e tem tudo pra evoluir nisso. Derozan é outro que é um puta jogador, porém não tem chute de 3. E isso é algo que falta pra ele , ele é sempre regular , mas não é um cara de dar show toda noite , é sempre na média de 20-24 ppg. O que é ótimo claro, mas comparado a outros contenders que tem outros jogadores de alto nível, é pouco.

    E pra não deixar passar , almirante foi absurdo demais , e acho que muitas vezes acaba sendo um pouco ofuscado pelo fator Duncan. E pelo Hakeem claro, que creio que na opinião de muitos foi indiscutivelmente o melhor Center da década de 90.

    • wilker pereira

      e verdade
      hakeen foi mesmo um the dream!!!

  • Gustavo Freitas

    Já eu, odeio.

    Grato.

  • Kleber Ribeiro

    O Almirante em poucas palavras….eu sou Spurs simplesmente por causa dele…e ser Spurs na época dele..não era fácil…rs. Mas ver ele e Duncan juntos foi sensacional e depois, veio a fase áurea dos Spurs. Um dos melhores centers com certeza.

    • Brockbell

      The twin towers!

    • Joabe#VamoSpurs

      Tbem começei a torcer pelos Spurs por causa desse cara. Meu idolo na Nba, um dos melhores centers q eu já vi jogar!

    • Luis Fernando Teles Sousa

      Simplesmente um dos melhores pivôs da historia e foi nosso pivozao sempre. Mito. Quando conheci a NBA em 94 esse cidadão tava deitando e rolando em quase todo mundo. Infelizmente tinha um olajuwon que tambem era foda. Mas sou spurs por causa dele e do elliot.

  • Norrin Radd

    “The Admiral” tem toda razão. cada época com seu estilo. Mas as vezes eu acho que tá um pouco demais. Vejo os jogos e de repente quatro ou cinco lances decididos por chutes de longa sem trabalhar a bola. Falta um pouco da mão dos técnicos aí.

  • Vinícius Maia

    Já vi jogos da década de 90 no YouTube e para ser sincero, não achei tudo isso que os saudosistas dizem, inclusive em termos de defesa. A sensação que eu tenho é que a marcação individual era mais pegada (Harden não cavaria tantas faltas na década de 90), mas eu tenho a impressão que as defesas hoje, coletivamente, são mais fortes. Nos jogos que eu já vi da década de 90, parecia ser muito mais fácil jogar próximo da cesta (quem criticava LeBron porque ele antigamente procurava mais as bandejas e as jogadas de post próximo a cesta, provavelmente não assistiu uma partida completa de Jordan, principalmente nos últimos anos de carreira). Honestamente, quando vejo as partidas de hoje, eu tenho a sensação que os jogadores melhoraram o arremesso de três por acaso. Um jogo baseado em infiltrações e jogadas próximo a cesta parece ser mais difícil hoje que nos anos 90.

    • Vince Mendes

      na decada de 90 o Harden viveria dos tiros de 3… mas infiltração nem pensar iria so tomar toco kkk

  • Michel Moral

    O ponto é esse: “o jogo vive de ciclos”.

    Hoje a gente tem um modelo que aparece como a fórmula do sucesso. Porém, amanhã pode surgir uma nova leitura, que pode romper com este modelo atual.

    Almirante foi um dos pivôs mais dominantes na história e hoje vê a maioria dos jogadores dessa posição assumindo papéis de coadjuvantes. Mas isso não acontece só porque os jogadores de perímetro monopolizaram a posse de bola. É preciso que essa classe mude essa perspectiva. Como? Simples: jogando nível absurdo e mostrando qualidade.

    AD precisa repetir mais vezes a campanha dessa temporada. Embiid e Towns precisam continuar evoluindo, levando suas equipes aos playoffs. D12 parou de falar, tiraram os holofotes dele e o que aconteceu? Voltou a ser um dos principais nomes de pivô na liga.

    A competitividade certamente retomará a “dignidade” que a posição merece.

    • Fiscal do Paquetá

      um dos menores comentários que vi vc fazer até hj mano.
      Ta usando Win.rar? haahahah

      • Michel Moral

        Eu tô escrevendo no Word agora. Depois uso o “AutoResumo” para cair pela metade os caracteres hahahahahaha

  • Guilherme Petros

    É isso, David. Perfeito.

  • Brockbell

    Concordo, a NBA vai passar por ciclos. Mas pensado aqui e sem querer comparar, cada um com seus gostos e suas épocas, mas a década das temporadas de 1999 até 2010 não deixaram a desejar.
    Em 99 era os monstros da década anterior chegando em idade +30 (Michel Jordan, Robinson, Karl Malone, Mutombo, Pippen, Olajuwon, Hill, Barkley, …), e outros mais novos já voando e chegando (Oneal, Kidd, Garnet, Ray Allen, Allen Iverson, Tim Duncan, Kobe Briant, Marcus Camby…)
    E que jogos eram esses, juntando a galera mais velha da década de 90 com os mais novos, de Lakers com Kobe e Oneal, Spurs de Robinson e Duncan, Phoenix de Kid e Hardaway, Portland com Jermaine Oneal, Pippen, Saboni, e Detlef, Jazz de Malone, Stockton… Jogos duros, cascudos, brigas em quadra, rivalidade disputada na força.
    Depois da virada do século até o fim da década (2010) rolou aposentadorias e mudança de time de muito desses monstros, e muita gente vai lembrar dos 4 campeonatos dos Lakers, dos 3 Spurs, 1 de Miami, New Jersey chegando em duas finais seguidas sem vitória, depois Detroit e Boston chegando em duas finais cada um e ganhando uma em cima do forte Lakers.
    Hoje a NBA mudou, mas não tem como dizer que a década anterior foi melhor ou pior que a atual (2010 até 2020), tivemos e temos jogadores espetaculares cada um no seu estilo e adaptado ao estilo do basquete da sua época, na verdade, quem viu a década anterior, ou está vendo essa, ou melhor viu as 2, fique feliz, conseguiu assistir jogadores que entraram pra história e vão demorar muito para esquecerem das suas jogadas.
    (Não consegui lembrar de todos os times e jogadores da década de 99 até 2010, se alguém lembrar e quiser completar tmj)

  • Vince Mendes

    Hoje em dia a NBA realmente tem bem menos contato fisico, os jogadores chutam muito mais de fora é so ver o exemplo do Nets e do Rockets que chutam mais de fora do que de 2, na decada de 90 era totalmente fisico tanto que a média de pontos mal chegava aos 100 pontos, mas os times da decada de 80 e 90 teriam muitas dificuldades em marcar o perimetro que era bem pouco utilizado na epoca

  • Mateus Freitas

    Mas é dificil pensar em uma volta no conceito pq a tendencia é cada vez o pessoal chutar melhor de longa distancia visto que com foco total nisto os caras vao treinando e aprimorando cada vez mais esta tecnica. Os pivos para se destacarem cada vez mais terão de saber espaçar e chutar de longas distâncias. Para isto mudar só se a NBA alterar alguma regra que dificulte algo.

  • Eduardo Rebelatto

    O esporte evolui, em todos tem evolução, é ir contra a ciência não concordar com isso. Mas os meus jogadores preferidos são ainda os que utilizam ferramentas bem além de arremesso. LeBron, grego, Davis, west, embiid e Simmons agora são estilo de jogadores que me agrada,

  • Danilo Félix

    E tá certo. A NBA evoluiu pra privilegiar o espetáculo e não o contato, o jogo físico. Acompanho a NBA desde a década de 90 e acho muito legal a forma como a liga está hoje. Os jogos vão ficando mais abertos e imprevisíveis.

  • A NBA de hoje é linda de assistir. Plástica, ágil, com verdadeiros atletas. Não é a toa a explosão de popularidade globalmente.

  • O Almirante

    Concordo completamente comigo.

  • Paulo Henrique

    Sábias palavras de um dos pivôs mais underrateds da história. O Esporte é um ciclo que sempre vai evoluir e se moldar às novas tendências, e isso não é desmerecer o passado

    Se hj a ”moda” é arremessar de 3 como se não houvesse amanhã, pode ter certeza que daqui há alguns anos cada vez mais as defesas vão se especializar em marcar isso, e assim vai

  • Cedi LeBrOSMAN

    As vezes é chato por causa dos arremessos de 3 pts descontrolados, e correria demais. Esse é o ponto “feio” do jogo atual.
    Eu ñ tenho problema nenhum com os arremessos de 3 pts (e esta deve ser a grande discussão atual, 3 pts x Jogo próximo a cesta), desde q ele seja bem trabalhado. Eu até acho q na minha opinião, aquele estilo de jogo do Spurs entre 2013 e 2015 foi o basquete mais bonito q eu já vi. Diaw, Splitter, Duncan, Ginóbili, Parker, Kawhi, todos passando a bola, em busca do melhor arremesso, e mts vezes eram os arremessos de 3 pts. Era excelente! Não tinha como não torcer para aquela equipe vencer um título, de tão bonito q eles jogavam.
    Tirando essa questão ñ tem como negar q o jogo realmente é mais bonito q o de antigamente para o público em geral. Ataque, chama mais atenção q a defesa, e com cada vez mais espaçamento, existem mais jogadas plásticas

    • Brockbell

      “Todo mundo quer jogar como o Curry, mas só ele tem talento para fazer isso.” e Lillard, Harden, CP…
      Pulando isso é verdade que esse estilo de jogo teve mais visibilidade com o Spurs de 2013 e 2015 e e cada vez mais foi e vem sendo adaptado para forçar bolas de 3, principalmente quando tem jogadores eficientes no lançamento. Particularmente não acho feio, mas quando a bolas não entram ai sim fica um jogo monótono, de tijolada por cima de tijolada.

  • Sander Santos Baptista

    O tempo dos grandes pivôs está voltando. Reparem a quantidade de bons jogadores de garrafão que estao surgindo.