Sistema de loteria deverá ser mantido por mais alguns anos, segundo Adam Silver

O comissário da NBA, Adam Silver, afirmou nesta quinta-feira que os proprietários das franquias concordaram em manter o formato atual do sistema de loteria da liga por tempo indeterminado.

Atualmente, a equipe com pior campanha na temporada regular tem a maior probabilidade de ser sorteada para a primeira escolha do draft. As constantes suspeitas de que algumas franquias teriam interesse em vencer poucos jogos para aumentar a chance de uma escolha alta levaram ao debate sobre possíveis mudanças no sistema de recrutamento dos novatos.

Segundo Silver, tais ideias serão arquivadas, talvez por anos, porque os proprietários querem determinar o impacto do novo acordo com as emissoras de TV no equilíbrio da competição. O teto salarial da NBA, que atualmente está em torno de US$ 70 milhões, ficará perto dos US$ 90 milhões já a partir da próxima temporada.

“Há um reconhecimento de que a loteria é apenas um aspecto de como construir uma equipe”, falou Silver ao Boston Globe. “Com a entrada dos recursos da televisão na próxima temporada e o grande aumento do teto salarial, os proprietários concluíram que, embora seja necessário revisar o sistema de loteria, vamos analisar a Liga como um todo após a entrada dessas somas de dinheiro.”

Em 2015, o Minnesota Timberwolves, time de pior campanha na temporada, teve a primeira escolha no draft. Antes, porém, o Orlando Magic, na temporada 2003/2004, havia sido a última equipe a sair premiada com a escolha inicial no sorteio após ter tido o pior histórico na temporada regular.

  • AlexT-Wolves

    Enquanto não tiver uma forma incontestavel é melhor não mexer essa que o unico problema é o Tank

    • Mas o Tank em si só vem acompanhado da intenção de um talento raro que surja no Draft de resto é difícil separa derrotas propositais de falta de qualidade técnica. Só pegar o exemplo do Draft de 2013 na temporada 2012/2013 nenhuma equipe venceu menos que 20 partidas (até pelo questionamento entorno da qualidade da classe 2013).

      Após a propaganda sobre a classe de 2014 a liga teve um surto negativo nas campanhas: 8 equipes ficaram por livre e expontanea vontade perto ou bem abaixo da margem das 25 vitórias (Isso é tank!!! Mas associado a falta de qualidade).

  • Uncle Drew

    Imagina a festa q o 76ers fez com essa notícia hueheuheuehuehu. Eles eram os principais opositores dessa ideia de mudar o sistema de loteria..

  • Jota

    Sinceramente, qual é o real problema de manter todos os times que não foram aos playoffs com a mesma chance de loteria? Assim todos brigariam para ir, já que teoricamente não seriam beneficiados com a loteria.

    Além, é claro, do lance do nivelamento. Mas, sinceramente, se fossem chances iguais os times não ficariam tão ruins – já que não brigariam pela loteria – a ponto de não ser nivelado.

    Alguém pode me explicar porque não adotaram isso ainda?

    • AlexT-Wolves

      Imagina o Thunder com mais uma primeira escolha kkkkkk

      • vitorhugoj3

        Aí sim hein kk

      • Jota

        Mas o Thunder não teria tanto destaque assim, porque todos os times estariam no mesmo patamar de briga, justamente porque NENHUM pioraria de propósito para conseguir o top 3.

        Quem sabe assim acabaria com as panelas, já que todos os times se esforçariam para trazer os allstars.

    • Pearl Mi

      Os times se aproveitam de uma regra que considero justa. A formula atual é boa, na minha opinião, mas na prática gera esse absurdo que é entregar as partidas para ter mais chances de ficar em uma posição “boa” no draft.

      Mas vamos para a ideia de todos com chances iguais no Draft caso não fosse para os playoffs, que também é coerente (coerente como solução para o que acontece hoje): na conferência oeste existiram diversas equipes que tiveram uma campanha excelente, como o Warrios de 2007-08, Suns de 2008-09, e etc. Imagina as equipes que o Draft estaria reforçando… Se fosse para adotar algo nesse sentido, seria por campanha mesmo, independente se foi aos playoffs ou não. E vamos lá, nada impende dos times, no fim da temporada regular, entrarem desmotivados da mesma forma.

      Só acabaria se o Draft favorecesse a melhor equipe que não foi aos playoffs, mas é impossível bolar algo desse tipo.

      • Adrianno Motta

        Porém, dar condições de igualdade para todas as equipes não classificadas no draft geraria um problema gravíssimo: Os times realmente ruins terão menos chance de sair do limbo. Acabaria limitando o ciclo que ocorre na liga, já que numa loteria pode dar qualquer resultado e imagina aí, o 76ers e seu time RÍDICULO terminando só com a 12° escolha de um draft, enquanto um OKC Thunder, fora dos Playoffs por causa das trocentas lesões ganhando a first pick. Acabaria com o “tank”, verdade, mas aumentando o desequilíbrio entre as equipes.

        • Jota

          A diferença é que o 76ers não ficaria dependendo mais do draft, e eles fariam o real esforço para melhorar. Melhorar treinadores, treinamentos e, principalmente, seus reforços. Eles fariam movimentos para melhorar o time de uma forma geral. Não acredito que isso iria desnivelar, muito pelo contrário.

          No momento temos, mais ou menos, 10 times esperando o “cara” cair no colo deles a partir do draft. O que é um erro, já que isso deixa a liga toda desnivelada por si só.

          Aliás, evitaria não só o tank, como também entregar jogos no final da temporada sabendo de uma eventual varrida. Deixaria, ao meu ver, mais disputado.

          E sendo assim, quem sabe até não teríamos um sistema baseado com o da NFL no draft. Que os times draftariam realmente por necessidade do time, e não por hype.

          • Adrianno Motta

            O sistema da NFL é um pouco semelhante ao da NBA, onde as escolhas vão do pior para o maior, a diferença é é definido por campanha e (pelo menos nunca vi algo do tipo) não há discussão sobre derrotas propositais.
            Não havia pensado nessa forma antes, e realmente, evitaria o tank., mas criaria as equipes que cumprem tabela, sem chance de offs e sem poder entregar para perder, entregariam por pura falta de vontade mesmo. Sem contar que pode acontecer mais casos como a 2° escolha do Detroit em 2003, onde tinham um elenco bom demais para escolher uma das promessas e ficaram com um zé mané qualquer irrelevante.
            Mas é algo para se pensar, porém, duvido muito que surjam reais mudanças nesse sistema por parte dos times.