Syracuse surpreende e vence clássico contra Duke

ACC

(12-5) Syracuse 95 x 91 Duke (14-2)

Syracuse
Tyus Battle: 32 pontos, quatro rebotes, quatro assistências e 12-28 nos arremessos de quadra
Elijah Hughes: 20 pontos, cinco rebotes e quatro bolas de três pontos convertidas
Frank Howard: 16 pontos, seis rebotes e cinco assistências
Oshae Brissett: 14 pontos e oito rebotes
Paschal Chukwu: dez pontos, 18 rebotes e três tocos

Duke
Zion Williamson: 35 pontos, dez rebotes, quatro tocos, 10-14 nos lances livres e 12-20 nos arremessos de quadra
RJ Barrett: 23 pontos, 16 rebotes, nove assistências, quatro bolas de três pontos convertidas e 8-30 nos arremessos de quadra
Alex O’Connell: 16 pontos e quatro bolas de três pontos convertidas
Marques Bolden: 12 pontos, 11 rebotes e cinco tocos


Big Ten

(13-4) Nebraska 66 x 51 Indiana (12-5)

Nebraska
Glynn Watson Jr.: 15 pontos e cinco rebotes
Isaac Copeland Jr.: 14 pontos e oito rebotes
James Palmer Jr.: 11 pontos, nove rebotes e sete assistências

Indiana
Romeo Langford: 18 pontos, seis rebotes, três roubos de bola e 5-14 nos arremessos de quadra
Juwan Morgan: 17 pontos, oito rebotes e três tocos

 

(11-6) Wisconsin 60 x 64 Maryland (15-3)

Wisconsin
Nate Reuvers: 18 pontos, sete rebotes e quatro bolas de três pontos convertidas
D’Mitrik Trice: 13 pontos, quatro rebotes e cinco assistências
Brad Davison: 11 pontos e quatro assistências
Ethan Happ: dez pontos e oito rebotes

Maryland
Anthony Cowan Jr.: 21 ponto e seis rebotes
Jalen Smith: 11 pontos e sete rebotes
Eric Ayala: 11 pontos
Bruno Fernando: dez pontos, quatro rebotes e dois tocos


Big 12

(10-7) Texas 78 x 80 Kansas (15-2)

Texas
Matt Coleman: 16 pontos, quatro rebotes e oito assistências
Kerwin Roach: 13 pontos e quatro assistências
Jase Febres: 12 pontos e quatro bolas de três pontos convertidas
Dylan Osetkowski: 11 pontos e nove rebotes

Kansas
LaGerald Vick: 21 pontos, quatro rebotes, quatro assistências e cinco bolas de três pontos convertidas
Marcus Garrett: 20 pontos e 8-11 nos arremessos de quadra
Dedric Lawson: 17 pontos e oito rebotes
Devon Dotson: dez pontos, cinco rebotes e quatro assistências

Gustavo Lima
Gustavo Lima
Jornalista graduado pela UFMG e pós-graduado em Produção em Mídias Digitais pela PUC-MG. Natural de Ipatinga e residente em BH. Editor do Jumper Brasil desde 2007. Acompanha a NBA desde 1993. Torcedor do Phoenix Suns, mas adepto da imparcialidade.
  • TRUETHIAGO

    Jogaço! Zona 2-3 do Boeheim sempre fazendo suas vítimas, forçaram Duke a arremessar bastante do perímetro, e justamente ontem eles estavam sem o melhor jogador do time no quesito (Reddish). Do outro lado, Syracuse que nem é um dos grandes ataques ou muito menos uma equipe tão boa da linha dos 3 estava iluminada, acertando arremesso até da quadra de defesa, rs.

    Belo upset, mas nada absurdo também. Cansei de falar aqui que quando começasse os jogos dentro da conferência seria outra história, muito mais pegado e acirrado. No jogo passado já haviam tido enormes dificuldades contra Florida State, em Tallahassee, poderiam ter perdido, se não fosse o GW heróico de 3 do Reddish.

    Duke de certa também mostrou força, apesar da derrota. Jogaram sem um jogador fundamental, por mais que seja o menos badalado do trio, e o Tre Jones machucou o ombro logo no começo da partida. Zion foi muito bem, dos dois lados da quadra; Barrett mostrou um jogo all-around, tendo que armar jogadas e tal, a despeito do péssimo aproveitamento e da seleção questionável de arremessos. Bolden fazendo bem o trabalho sujo, O’Connell meteu suas bolinhas de fora, embora obviamente não tenha a mesma capacidade defensiva, nem de armação, do Jones, etc. O único que destoou realmente e tijolou com força foi o Jack White (0-10 3-PT), que vem sendo talvez o jogador mais regular deles vindo do banco e ontem acabou coemçando de titular pela ausência do Reddish.

    Enfim, sábado recebem Virginia, outra potencial pedreira, que ao lado de Michigan são as 2 únicas equipes que seguem invictas na primeira divisão do College.

  • LeBrOSMAN⚔️O Draft é logo ali

    Esse ataque meia quadra de Duke é péssimo. A defesa tá realmente mt boa, e tanto o ataque como a defesa, estão no Top 5 de eficiência. Mas o Zion e o Barrett ainda estão sendo mal utilizados. Duke se mostra quase imparável em transição, mas é na hora de trabalhar as jogadas q os problemas aparecem. Por um lado a lesão do Jones permitiu q o Barrett tivesse um jogo q poderá se traduzir mais com q ele irá fazer na NBA, mas esse desfalque deve ter feito falta para achar melhores espaços.
    O ponto é: Barrett e Zion estão sendo mal aproveitados, ñ estão mostrando ainda todo o potencial q possuem. Nem menciono o Reddish, pq realmente é difícil dividir espaço para tantos jogadores importantes. Mas, o Zion é usado apenas como finalizador no ataque (mts vezes em situação de Low-Post), quando poderia fazer mt mais, como armar o jogo, facilitar mais a vida do Barrett com pick and roll entre os dois, fazendo screens. Imagine o quão sensacional seria um PnR entre Barrett e Zion, com qualquer um dos dois fazendo o papel de armador ou o responsável pela screen (dado o quão fisicamente pronto estão os dois), ñ teria como dar conta, em nível universitário, de tanta explosão física.
    Mas isso ñ acontece, pq o ataque de Duke é extremamente pragmático e está vencendo jogos pelo talento bruto q possui e a excelente defesa q garante mts pontos fáceis. Só q ontem enfrentou o sempre arrumado time de Syracuse com sua excelente defesa em meia quadra e o talento bruto ñ foi suficiente para mascarar os problemas desse ataque, e acho q pode se esperar o mesmo nos 2 jogos contra Virgínia.
    Da mesma forma q falam do arremesso do Zion, é de se preocupar com a seleção de arremessos do Barrett, armou bem o jogo ontem, mas este problema persiste. E ele tem alarmantes 68% em FT, contra 70% do Zion. Se o aproveitamento em 3 pts fosse baixo (como é), mas tivesse um bom aproveitamento em FT, daria para relevar a questão do arremesso, mas 68% para um Combo Guard infiltrador é um número de regular para ruim. Para efeito de comparação, o Jayson Tatum teve 34% em 3 pts (semelhante ao Barrett), só q tbem teve 85% em FT. Isto dá margem para acreditar q o arremesso evoluirá, como realmente aconteceu, 43.4% em 3 pts na temporada de calouro, e 37.3% nesta temporada atual, números bem sólidos.

  • Gabriel De Oliveira Meira

    Acho Zion a cara dos Bulls, parece um touro bravo. Mas imagina ele nos Cavs? Se não trocarem o Love, podem trazer (se algum maluco aceitar jogar lá) mais um bom jogador. por 25 mi. Terão Love, Zion, Sexton, TT e o outro … Dá pra pensar em algo bom!

  • Pablo Leite

    Duke jogou sem Redish e Jones ( este se lesionou logo no início do jogo), então, dados essas ausências, a derrota era uma possibilidade. Fora a péssima partida do White ( 0/10 nas bolas de três). Acredito que as franquias da NBA precisam abrir o olho para o Barrett. Parece ser um cara muito imaturo ainda, toma algumas decisões muito ruins e um aproveitamento de arremessos que não é grande coisa para quem tem tanto volume de jogo. Ontem foi 8/30. Já o Williamson é uma escolha óbvia. Jogou muito ontem.

    • Guilherme

      Não estou acompanhando tanto o College esse ano, mas vi algumas partidas do Tre Jones e gostei bastante, mesmo que ele seja um coadjuvante nesse time. Você acha que ele sobra até a escolha dos Celtics? Hoje, seria a pick 22. Pelo pouco que olhei, me parece um bom subistuto para o Rozier, que muito provavelmente não fica para a próxima temporada (isso se não for trocado antes).

      • Pablo Leite

        Estão cotando ele lá para o final da primeira rodada, posição 27, mais ou menos.

        • felipe fernando Oliveira

          Acho ele bem fraco.

  • Marcos Gordinho

    8/30, nesses momentos Barret se complica.