“Tive sorte e azar por jogar junto e enfrentar Jordan”, reflete Patrick Ewing

O espírito competitivo de Michael Jordan é reforçado a cada novo episódio de “The Last Dance”. E, para aqueles que enfrentaram o maior jogador de todos os tempos no auge, restam lembranças amargas de derrotas e sonhos de títulos que ficaram pelo caminho. Patrick Ewing foi um desses astros “frustrados”, mas admite que a experiência de estar em quadra com o ídolo do Chicago Bulls sempre foi marcante e especial. 

“Eu tive sorte e azar com Michael. Tive sorte por termos conquistado duas medalhas de ouro olímpicas juntos. O azar foi por ele ter me impedido de ganhar um título da NBA. Mas, no fim das contas, você quer competir e vencer os melhores em qualquer esporte. Esse é o sentido de tudo. Não tenho dúvidas que tive o privilégio de encarar o melhor”, refletiu o membro do Hall da Fama, em entrevista à rede NBC Sports

Ewing tem a chance de relembrar as vitórias de Jordan em batalhas contra o seu New York Knicks nos últimos capítulos da produção da ESPN. Não é algo que ele quisesse rever, mas ficou difícil evitar. “Eu vi um pouco do último episódio. É bem duro assistir porque conheço essas histórias, né? Ainda assim, isso é ótimo. Michael foi um grande jogador, uma das melhores coisas que aconteceram na NBA”, concluiu o ex-atleta. 

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.