Venezuela surpreende mais uma vez, bate Argentina e garante título da Copa América

A Venezuela, equipe mais surpreendente da Copa América aprontou mais uma vez. Na noite de sábado, derrotou a favorita Argentina por 76 a 71 e ficou com o título. Gregory Vargas e Heissler Gillent, foram os cestinhas venezuelanos com 15 pontos cada, enquanto Andres Nocioni obteve 21 pontos e oito rebotes e Luis Scola ficou com 14 pontos e 11 rebotes pelos argentinos.

Tudo levava a entender que a Argentina comemoraria no México mais um título, especialmente pelo início de jogo. O time comandado por Scola vencia tranquilamente por 13 a 2. A vantagem chegou a ser de 12 pontos, mas os argentinos pararam no segundo quarto e ficaram quatro minutos sem pontuar. A Venezuela encostou e conseguiu a virada para finalizar o primeiro tempo em 30 a 28.

Na volta do intervalo, a Venezuela seguiu em bom nível e aumentou a diferença para seis. A Argentina continuava com problemas nos arremessos e pontuava basicamente nos lances livres até que Nocioni fez de três e na sequência, virou o embate para 43 a 41 com Sahim Safar, também de longa distância. Scola deixou sua seleção na frente por 48 a 43. O ala-pivô do Toronto Raptors anotou os primeiros pontos do quarto decisivo e a Argentina estava na liderança em 54 a 49. Entretanto, a Venezuela reagiu, retomou a liderança e deixou o marcador em 63 a 58 após cesta de Gillent. Facundo Campazzo ainda tentou recolocar seu time no jogo ao fazer cinco pontos, mas sempre que a ameaça aparecia, os venezuelanos respondiam. No fim, o grupo do técnico Nestor Garcia comemorou a medalha de ouro. 

As seleções da Venezuela e  da Argentina haviam garantido a classificação para as Olimpíadas do Rio na sexta-feira, quando superaram Canadá e México respectivamente. Os canadenses ficaram com o terceiro lugar.

Gustavo Freitas
Gustavo Freitas
Mineiro de Uberaba, é co-fundador do Jumper Brasil e fã do Boston Red Sox.
  • esse armador Gillent da Venezuela foi uma surpresa principalmente nos últimos jogos desse pré-olímpico, arremessa muito bem e com uma facilidade de se mover sem a bola e tirar a marcação, mérito pro Nestor Garcia mais uma vez, o cara jogava pouco no inicio da competição e foi tendo a confiança do técnico e ajudou a seleção a surpreender nesses jogos finais…

  • Rafael Victor

    Conseguiram a vaga, tirando o Canadá das Olimpíadas e ainda ganharam da Argentina na final????

    APLAUSOS pra Venezuela! Grande Feito!

  • Lucas Ottoni

    Venezuela campeã do Pré-Olímpico e garantida no Rio. E fez tudo isso sem o seu principal jogador. Muito bacana ver essas zebras no basquete, que sempre foi tido como um esporte de poucas zebras.

  • Murilo Moore

    Veja o exemplo e vê se aprende Brasil… (Pra não passar vergonha em casa)

  • TRUETHIAGO

    Não consegui ver a final direito (só uns pedaços) mas a disputa do 3º lugar eu assisti.

    É um exemplo clássico de imaturidade essa seleção canadense. Faltando menos de 2 min, tinham uns 6/7 pontos de vantagem. Qual a postura se adota nessa situação? Cadenciar o jogo, gastar a posse, girar a bola no ataque, certo?! Mas olha o que eles fazem: pegam rebote, saem correndo sem nenhuma organização e arremessam de fora com mais de 10seg para estourar o relógio. Inacreditável!!

    O México inclusive conseguiu “revirar”, mas o Cory Joseph fez o game winner da vitória.

    https://www.youtube.com/watch?v=7gZS_bzpD50