Warriors fortalece garrafão com permanência de Looney e chegada de Cauley-Stein

Depois de um início de agência livre marcado por movimentações inesperadas, o Golden State Warriors deu uma “acalmada” em seu segundo dia de atividade na reabertura do mercado da liga. Acalmar, porém, não significa parar os negócios. A franquia garantiu a renovação contratual do pivô Kevon Looney, além de acertar com outros dois reforços: o pivô Willie Cauley-Stein e o ala Glenn Robinson III.

A permanência de Looney era tratada como uma prioridade na equipe de Oakland desde o começo da offseason, diante da forte concorrência que se desenhava pelo atleta de 23 anos. Houston Rockets, New Orleans Pelicans, Boston Celtics e Chicago Bulls eram apontados como alguns dos interessados no jogador – e ele chegou a ter reuniões com representantes de alguns desses times.

De acordo com Shams Charania, do site The Athletic, as partes fecharam vínculo de três temporadas que vai totalizar US$15 milhões em vencimentos. A negociação foi concluída após encontro dos empresários do jovem pivô com a direção do Warriors, incluindo o dono da franquia, Joe Lacob. Especula-se que ele possa ter recebido ofertas financeiramente maiores de outros times.

O provável grande concorrente de Looney por espaço no quinteto titular da próxima temporada chegou horas mais tarde. Segundo Chris Haynes, do site Yahoo! Sports, Cauley-Stein acertou contrato com os atuais pentacampeões do Oeste até junho de 2020 e receberá pouco menos de US$3 milhões em salários. A negociação encerra sua passagem de quatro anos pelo Sacramento Kings.

A última contratação confirmada pelo Warriors no dia foi o ala Glenn Robinson III. Shams Charania apurou que o ala de 25 anos, que acaba de ser dispensado pelo Detroit Pistons, vai assinar vínculo de duas temporadas com o time por salário pouco inferior a US$4 milhões. A segunda metade do contrato deverá ser uma opção do jogador, que poderá voltar a testar o mercado em 2020.

Ricardo Stabolito Jr.
Ricardo Stabolito Jr.
Jornalista de 27 anos. Natural de São Bernardo do Campo, mas vive em Salvador há mais de uma década.