Anthony Edwards não teve um grande início de temporada, mas parece ter pisado no acelerador desde a parada do Jogo das Estrelas. O primeiro escolhido do último draft registra média de 22.9 pontos, 5.1 rebotes e 1.6 roubos de bola em 26 jogos depois do evento, tornando-se ala-armador titular absoluto do Minnesota Timberwolves. Anthony Edwards é um dos principais candidatos ao prêmio de novato do ano e, embora não paute sua campanha pelo troféu, acredita que merece esse reconhecimento.

“Todos perguntam se acredito que sou o calouro do ano e acho que sim. Venho atuando em um nível muito alto e pontuo à vontade, quando quero. Roubo muitas bolas e sinto que sou bastante divertido de assistir em quadra. Mas não estou aqui para fazer lobby. Se não for premiado, no final das contas, não é o fim do mundo também. Eu só estou aqui para jogar basquete e tentar ser o melhor jogador que puder”, afirmou o atleta de 19 anos, em entrevista à versão norte-americana da revista GQ.

O Jogo das Estrelas não foi o único marco para a crescente de produção de Edwards em sua temporada de estreia. O ótimo momento do novato também coincide com a decisão do Timberwolves de mudar o comando técnico, demitindo o jovem Ryan Saunders para trazer o experiente auxiliar Chris Finch. O prospecto não culpa o antigo treinador pelo início “lento” na liga, mas, definitivamente, se vê mais pronto para produzir sob a liderança do ex-assistente do Toronto Raptors.

“Eu não tive a oportunidade de jogar na Liga de Verão e a pré-temporada foi curtíssima, então Ryan não teve a chance de passar muito tempo comigo. Você não estala os dedos e tudo funciona. É preciso um tempo que não tivemos. Já havia disputado vários jogos e estava acostumado à liga quando Chris chegou. Ele veio até mim e disse para que eu só jogasse do meu jeito. Estou me divertindo nesse momento – e é quando me divirto que mostro o meu melhor”, explicou o jovem pontuador.

Uma das experiências mais significantes para um calouro na NBA é a oportunidade de enfrentar alguns dos jogadores que inspiraram sua trajetória no basquete até o nível profissional. No caso de Edwards, em especial, esse choque de realidade ocorreu há duas semanas, ao enfrentar Kevin Durant e o Brooklyn Nets. O ex-MVP da liga anotou 31 pontos em somente 27 minutos de ação, acertando 11 de 15 arremessos, em uma vitória por 30 pontos de diferença dos nova-iorquinos.

“Kevin é o meu jogador favorito e isso não mudou depois de enfrentá-lo. Pelo contrário: fiquei ainda mais admirado. Ele marcou 30 pontos em 15 arremessos contra nós. Cara, acho que nunca havia visto um adversário fazer algo assim em quadra. Na verdade, eu nunca vi isso em minha vida. Pensei em todos os superastros que já enfrentei e o que Kevin faz é absolutamente único”, admitiu o talentoso ala-armador, que marcou 27 pontos na partida contra o Nets.

Outro atleta da NBA que sempre inspirou Edwards, mas sob uma perspectiva totalmente diferente, é o ídolo Allen Iverson. “Allen é simplesmente si mesmo. E eu também sou assim, sabe? Não me importo com a maneira como as pessoas me veem. Sei que não somos iguais, temos histórias e backgrounds muito diferentes, mas isso nos une: serei eu mesmo, o Anthony, sem interessar o que esteja acontecendo. É a única pessoa que sei e quero ser”, cravou o calouro, mostrando personalidade.

Os principais concorrentes de Anthony Edwards na corrida pelo prêmio de novato do ano, nesse momento, são os armadores LaMelo Ball (Hornets) e Tyrese Haliburton (Kings). O jogador do Timberwolves possui médias de 18.3 pontos – a maior marca entre os calouros da liga –, 4.5 rebotes e 2.7 assistências no acumulado dos 62 jogos disputados pela equipe de Minneapolis.