De acordo com o jornal Atlanta Journal-Constitution, o Atlanta Dream, da WNBA, está próximo de ser vendido. Nos holofotes em 2020 por causa de Kelly Loeffler, a franquia foi uma das principais formas de protesto para justiça social nos esportes. A ESPN divulgou que, pelo menos, cinco licitantes estão interessados.

Em julho de 2020, Loeffler gerou atrito ao criticar a criação de um projeto de justiça social envolvendo os movimentos Black Lives Matter Say Her Name. Pró-Donald Trump e contra os protestos, a co-proprietária do Dream declarou que a WNBA não deveria se envolver com política e causas sociais. Como resultado, as atletas fizeram uma temporada histórica de conscientização e impactaram diretamente na eleição de Raphael Warnock ao Senado da Georgia.

A publicação do jornal indica que, ainda que a senadora esteja relutante em vender a sua parte (cerca de 49%), o Dream deve ter sua venda finalizada em breve. Além de Loeffler, a parte majoritária da equipe pertence à Mary e John Brock, que estão empolgados com a venda. O porta-voz da WNBA não divulgou mais detalhes.

LeBron James

Recentemente, LeBron James, astro do Los Angeles Lakers, demonstrou interesse na compra da equipe. Por meio do Twitter, ele publicou uma foto das jogadoras do Dream apoiando Raphael Warnock. A imagem foi postada acompanhada da legenda “Eu acho que vou criar um grupo de compradores para o Dream. Quem está comigo?”. De acordo com fontes, o ator Kevin Hart e o jogador de beisebol, Mookie Betts, do Los Angeles Dodgers, podem estar interessados na ideia do King.

O Atlanta Dream está avaliado em cerca de US$ 15 milhões.

Siga o Jumper Brasil em suas redes sociais e discuta conosco o que de melhor acontece na NBA, incluindo os rumores de times e atletas no boletim do mercado: 

Instagram
Youtube
Twitter
Facebook