O desfalcado Portland Trail Blazers surpreendeu ao vencer Brooklyn Nets nesta segunda-feira (10), no Moda Center. Antes do confronto, o técnico Chauncey Billups rasgou elogios ao adversário Kyrie Irving, afirmando que ele é o armador mais habilidoso da história da NBA. O ex-jogador atuava na mesma posição e já foi eleito MVP de finais, em 2004, com a camisa do Detroit Pistons.

Billups deu esta declaração ao ser questionado sobre o quão diferente o Nets se torna com a presença de Irving no elenco. Afinal, foi apenas a segunda partida do astro na atual temporada. “Kyrie é um mago, cara. Ele é imperdível na TV. Como alguém que jogou na posição, acredito que Irving é o jogador mais habilidoso que já jogou como armador. É uma habilidade direta. Acho que ele é o melhor que eu já vi na posição, em termos de habilidade. Então, obviamente, ele agrega muito quando está jogando”.

Por mais que Billups admire o jogo de Irving, o treinador acredita ser difícil para o Nets encontrar seu ritmo com o camisa 11 jogando apenas os jogos fora de casa. “Acho que será difícil. Obviamente, quando você tem dois caras como Kevin Durant e James Harden, há uma chance de que possa funcionar de qualquer maneira. Porém, será quase como ter duas equipes diferentes: quando Kyrie está e quando ele não está. É uma situação muito única”, finalizou o comandante do Blazers.

Sem modéstia 

Irving terminou a noite com 22 pontos, oito rebotes e quatro assistências na derrota para o Blazers. Além disso, comentou os elogios recebidos pelo técnico rival e concordou com ele. “Aprecio o elogio e concordo que meu nível de habilidade, neste momento da minha carreira, merece esse reconhecimento. O trabalho nunca para. É incrível ouvir esses elogios, mas como eu disse,  é apenas mais uma motivação para continuar a provar isso”.

Por fim, o armador do Nets retribuiu a admiração e falou sobre suas expectativas para o futuro de sua carreira. “Sou grato por isso. Vindo dele, campeão e melhor armador de um campeonato, me dá mais motivação para continuar a escrever esse legado que tenho com meus companheiros de equipe. Só quero continuar a dar exemplo, deixando minha marca para que outros possam seguir. Afinal, gosto de estar no topo e tenho feito isso de forma consistente há um tempo. Lesões interromperam algumas das minhas temporadas, mas sinto que o legado ainda está sendo escrito”.

Siga o Jumper Brasil em suas redes sociais e discuta conosco o que de melhor acontece na NBA: 

Instagram
YouTube
Twitter
Canal no Telegram