O Portland Trail Blazers ainda não tem um novo técnico, mas, ao que tudo indica, um forte favorito já emergiu nos bastidores para ficar com a vaga: Chauncey Billups. De acordo com John Hollinger, do site The Athletic, a expectativa entre altos dirigentes da liga é que o ex-armador seja o escolhido da franquia para suceder o trabalho de Terry Stotts. Vale lembrar, no entanto, que o processo de seleção do profissional ainda nem começou de forma oficial.

O ídolo do Detroit Pistons foi um dos primeiros nomes a serem especulados pela equipe do Oregon e, diferente de outras alternativas comentadas, foi muito bem recebido nas redes sociais. É esperado, porém, que ele não esteja liberado para ser entrevistado até que o Los Angeles Clippers, sua equipe, seja eliminado dos playoffs. Mike D’Antoni (ex-treinador do Phoenix Suns), Juwan Howard (comandante da Universidade de Michigan) e Jeff Van Gundy (analista da ESPN) são outros candidatos ao cargo.

O nome de Billups ganhou muita força para assumir como técnico do Blazers depois da inesperada desistência do declarado favorito do astro Damian Lillard, Jason Kidd. O ex-armador retirou seu nome de consideração para o cargo, resolvendo continuar (por ora) como um dos assistentes do Los Angeles Lakers, por conta da situação bastante desconfortável criada pelo apoio público do craque. Ele acredita que sua presença seria um inibidor para a participação de outros profissionais no processo.

O ponto curioso é que, em uma entrevista em 2017, o ex-jogador apontou o armador do Blazers como o atleta da NBA atual que mais o lembra de si mesmo. “Nós somos muito parecidos na mentalidade em quadra, capacidade de criar arremessos e constante luta para vencer os jogos. Ele é uma liderança que sempre tenta fazer a coisa certa e ama seus companheiros. Provavelmente, é o paralelo mais próximo que existe comigo hoje em dia”, afirmou o futuro integrante do Hall da Fama ao site HoopsHype.

Billups é um dos jogadores mais respeitados de sua geração, reconhecido como um dos melhores armadores two-way da liga nos tempos em que atuava. Ele foi escolhido para cinco Jogos das Estrelas e liderou a conquista do título pelo Pistons em 2004, levando o prêmio de MVP das finais. O ex-jogador de 44 anos já trabalhou como executivo na NBA e comentarista de televisão nos últimos anos, antes de iniciar a carreira à beira das quadras, na comissão técnica do Clippers, no ano passado.