Demorou quase duas décadas, mas, finalmente, o momento chegou: Carmelo Anthony e LeBron James vão jogar juntos na próxima temporada da NBA, com a camisa do Los Angeles Lakers. E o momento não poderia ser mais emblemático, com ambos caminhando para o fim de suas carreiras. O ex-jogador do Portland Trail Blazers foi apresentado como novo reforço da franquia nessa segunda-feira e definiu a parceria como uma obra do destino. 

“Eu acho que timing é tudo nessa vida. Por anos, nós brincamos ao discutir sobre como seria ter essa chance. Tivemos um pouco dessa experiência na seleção, mas é bastante diferente. A gente só conversava e dava risada sobre isso. Mas estamos vendo um ciclo se fechar e é a hora certa de unirmos forças. Para mim, não poderia ter acontecido em um melhor momento”, contou o ala de 37 anos, em entrevista coletiva. 

É claro que o ideal seria ver a dupla atuando junto no auge, mas não é assim que tudo funciona na NBA. Mas a passagem pelo Blazers, sem dúvidas, foi necessária para que Carmelo se habituasse ao novo papel que cumpre nessa reta final de carreira – e vai executar pelo Lakers, certamente. O veterano reconhece que não foi uma adaptação fácil, mas, hoje, sente-se realmente pronto para ajudar um projeto campeão. 

“Você joga há 16 anos e sempre foi o astro das suas equipes. Então, do nada, alguém chega para você e pede que saia do banco. É difícil. Tive que engolir o meu orgulho e ego, mas também os usar para manter-me motivado. Aceitei. E funcionou. Gostei da experiência, foi divertido e nunca deixou de ser basquete. Recuperei o amor pelo jogo. Estou pronto, então, para fazer o que for preciso aqui”, garantiu o craque. 

 

Idade será um estado de espírito no Lakers 

Carmelo Anthony ajudará o Lakers a ter a maior média de idade entre todos os times da liga – e uma das maiores já registradas em um elenco na NBA, provavelmente –, acima dos 30 anos, ao lado de veteranos como Dwight HowardTrevor Ariza e LeBron. Ele sabe que isso já é um grande ponto de discussão entre a imprensa especializada e até motivo de piada, mas assegura que é algo que nunca se debateu entre os atletas.   

“A gente não se importa com idade aqui dentro. Não nos interessa. Eu até gosto, pois deixa a história ainda melhor. Acho que as pessoas esquecem que, no fim das contas, tudo gira em torno de como se joga basquete. O que nós trazemos para esse elenco, nesse momento, é uma combinação que inclui talento e habilidade, mas experiência também. É preciso ter experiência para vencer”, ponderou o experiente astro. 

 

E vencer, no fim das contas, é o grande ponto da presença de Carmelo no Lakers: essa é a melhor chance de sua carreira de conquistar o título da NBA e coroar uma carreira que vai ser celebrada no Hall da Fama. Ele foi campeão em todos os níveis que já competiu, incluindo três medalhas olímpicas de ouro, menos na NBA. Por isso, a peça que falta em sua trajetória no esporte já passou de uma meta para uma obsessão pessoal.  

“O desejo de ser campeão é o que deixa-me acordado à noite. Quero viver a glória e a adversidade, os altos e baixos de uma temporada campeã, porque o basquete é sobre isso. Nós temos tudo o que é necessário – e um objetivo em comum. Já sei que todos os caras nesse elenco têm o título como meta final. E sei que ninguém vai se contentar com menos do que isso”, concluiu o ala, pronto para a maior oportunidade de sua carreira.     

Siga o Jumper Brasil em suas redes sociais e discuta conosco o que de melhor acontece na NBA:   

Instagram 
YouTube 
Twitter 
Canal no Telegram 
Apostas – Promocode JUMPER