Christian Wood acumula grandes atuações nesse início de temporada, confirmando-se como um astro em ascensão atuando pelo Houston Rockets, que contratou-o na última offseason. E, em sua ex-equipe, perdê-lo deixou um clima muito forte de oportunidade desperdiçada. O técnico do Detroit Pistons, Dwane Casey, admite que a franquia tentou evitar a saída de Wood de todas as maneiras e, no final das contas, acabou esbarrando em uma questão financeira. 

“Muitas pessoas ligaram para mim, de todas as partes do país, aconselhando que não contratasse Christian. Diziam para não entrarmos nessa aventura, que era um garoto ruim. Trabalhamos por uma temporada e nunca vi nada disso. Eu não tive uma única experiência insatisfatória nesse tempo. Tentamos renovar seu contrato para mantê-lo aqui, mas não tínhamos a flexibilidade necessária para pagá-lo”, revelou o experiente treinador, antes de jogo contra o Rockets. 

O Pistons entrou na offseason passada tratando não permitir a saída de Wood como uma prioridade, mas, como Casey descobriria as coisas mudaram rapidamente. A equipe do Michigan começou a investir na contratação de vários atletas de garrafão e não conseguiu competir com proposta de US$41 milhões por três temporadas oficializada pelo Rockets. Embora as negociações não tenham avançado, o treinador garante que só tem elogios e projeções otimistas a fazer sobre o ex-comandado 

“Dava para ver o desenvolvimento de seu jogo na última temporada. Estou muito feliz pelo sucesso de Christian. Ele é um dos pivôs mais talentosos da NBA, o céu é o limite para o seu talento e estou orgulhoso pelo trabalho e esforço que dedicou até chegar à condição atual. Eu não tenho dúvidas de que ele é uma primeira opção ofensiva nessa liga”, analisou o veterano, assegurando que a média de 23.5 pontos por noite do pivô não é algo meramente circunstancial. 

Siga o Jumper Brasil em suas redes sociais e discuta conosco o que de melhor acontece na NBA:   

Instagram
Youtube
Twitter
Facebook