Chris Paul tornou-se o sexto jogador da história da NBA a alcançar a marca de dez mil assistências, nesse domingo. O astro do Phoenix Suns distribuiu 13 passes decisivos na tranquila vitória da equipe contra o Los Angeles Lakers e chegou à 10.004 assistências em 16 temporadas realizadas na liga. A façanha do armador de 35 anos foi oficializada no início de terceiro período da partida, em uma ponte aérea finalizada pelo jovem pivô Deandre Ayton.

“Esse feito é uma benção, antes de qualquer coisa, simplesmente poder atuar por tantos anos nessa liga. A longevidade é algo que nunca considerei uma certeza na carreira. Eu trabalhei muito para chegar até aqui. Há vários atletas com quem cheguei à NBA que já são treinadores ou não podem jogar. Preciso agradecer a Deus porque ainda estou aqui, jogando o esporte que amo e competindo todas as noites”, reconheceu o veterano, em entrevista coletiva depois do triunfo por 111 a 94.

Paul tem a companhia de alguns dos maiores armadores da história do esporte no seleto grupo das dez mil assistências: Magic Johnson, Mark Jackson, Steve Nash, Jason Kidd e John Stockton. O líder do Suns só precisa somar mais 138 passes decisivos para superar Magic e assumir a quinta posição do ranking, o que tende a acontecer no próximo mês. Caso mantenha a sua média na temporada atual, de 8.8 assistências por partida, ele vai alcançar o terceiro lugar no início da próxima campanha.

“Hoje, estou simplesmente grato pela oportunidade de poder estar ao lado de Chris para aproveitar momentos como esse, como um técnico e amigo. Sua dedicação ao basquete e à sua técnica, ao longo das temporadas, são impressionantes. Você não consegue dez mil assistências nessa liga só de entrar em quadra e jogar. Há muito esforço, empenho, sacrifício por trás disso”, exaltou o técnico Monty Williams, que já havia trabalhado com o armador no início da carreira, em Nova Orleans.

A marca de assistências foi o grande chamariz de uma atuação que, por si só, teria sua importância para Paul: ele também registrou 11 pontos e dez rebotes, concretizando o seu primeiro triplo-duplo desde 2018. Entre outros feitos, o veterano agora está junto com Kidd e Stockton como únicos atletas da história com 10.000 passes decisivos e 2.000 roubos de bola. Ele só precisa, além disso, marcar mais 535 pontos para virar o primeiro jogador da história com 20.000 pontos e 10.000 assistências na carreira.

“Eu disse ao pessoal, no vestiário, que acho que sempre fiz o trabalho mais fácil: apenas precisava passar a bola e eles é quem tinham que converter os arremessos, né? É louco pensar que atletas como Kidd e Magic estão nessa lista porque aprendi a jogar basquete vendo esses caras. No final das contas, as minhas dez mil assistências são uma grande prova dos excelentes jogadores com quem pude atuar na carreira. E ainda não acabou. Ainda estou na ativa”, avisou Paul, pronto para ir atrás de novas marcas históricas.