O Phoenix Suns “varreu” o Denver Nuggets na série semifinal do Oeste na noite de domingo. Mas, para Chris Paul, o significado da classificação para as finais de conferência tem o sabor de vingança, após ver que o Houston Rockets estava o descartando, há dois anos. Agora, aos 36 anos e com 15 temporadas de experiência na NBA, ele comemora a sua segunda aparição em decisões de conferência.

“Há dois anos, eles estavam me descartando”, afirmou Chris Paul, autor de 37 pontos e sete assistências na quarta partida da série contra o Nuggets. “Isso não é sobre mim, é sobre nós. Então, tudo o que você faz é sobre o time. É muito bom fazer parte disso”.

Ao fim da temporada 2018-19, quando ainda jogava pelo Rockets, o jogador foi trocado para o Oklahoma City Thunder para liderar um time ao tank. No entanto, ele conduziu a equipe aos playoffs. Então, antes do início da atual campanha, o Thunder o negociou com o Suns. outro time repleto de jovens, mas que buscava a classificação aos mata-matas. O Suns foi o segundo colocado na temporada regular e, na primeira rodada, superou o Los Angeles Lakers, o atual campeão. Agora, “varreu” o Nuggets, do MVP Nikola Jokic.

“Nós não sabemos o que o futuro nos prepara, mas é incrível fazer parte disso, com os fãs ao lado”, disse Paul, quinto colocado na votação para o MVP da temporada. “Trabalhei com Monty Williams por um ano, no começo da carreira e foi uma temporada especial. Às vezes, você tem técnicos que são apenas técnicos. Monty é muito mais que isso. Eu jogo pelo meu time, é isso que vale. Nosso time está sendo bem comandado e temos o que precisamos”.

O Suns aguarda o vencedor entre Utah Jazz e Los Angeles Clippers para a decisão da conferência Oeste.