É difícil encontrar unanimidades em qualquer esporte, mas, ao menos, todos no meio do basquete respeitam a grande carreira e talento de Chris Paul. O astro do Phoenix Suns é reconhecido como um dos melhores atletas de sua geração, acaba de chegar à marca de dez mil assistências na NBA e ainda ocupa a cadeira de presidente da Associação dos Jogadores da Liga. O técnico Erik Spoelstra, recorrente rival e campeão pelo Miami Heat, não esconde ser um fã absoluto da forma como Chris Paul “manda” em jogos.

“Quando o assunto é Chris, nós falamos de um jogador e mente de basquete ao nível de um Hall da Fama. Pode controlar e manipular os rumos de um lance, uma partida, como poucos nesse esporte. Não é coincidência que absolutamente cada equipe para onde ele vai melhora. Esse cara transforma seus times em candidatos ao título no momento em que pisa em quadra”, reverenciou o experiente treinador, que lamenta nunca ter tido a chance de comandar o veterano em mais de uma década de carreira.

O último encontro entre Paul e Spoelstra aconteceu no fim de semana retrasado, quando o Suns derrubou o Heat para consolidar-se na segunda posição da conferência Oeste. O atual elenco de Phoenix é quase o mesmo que sequer classificou-se para os playoffs na temporada passada, sendo que o armador foi o grande reforço trazido pela franquia. O técnico assegura que o crescimento da equipe tem ligação direta com a combinação de inteligência, experiência e habilidade do futuro integrante do Hall da Fama.

“Phoenix possui um dos melhores recordes da liga porque é uma excelente equipe. Tem criadores de jogadas e arremessadores muito bem treinados, com impecável tomada de decisão. E isso, sem dúvidas, passa por Chris. A bola está em suas mãos ou com Devin [Booker] na maior parte do jogo e as decisões que tomam são bem certeiras. Eles são um desafio único até para uma boa defesa, como acredito que temos”, reconheceu o ex-comandante de LeBron James, Dwyane Wade e Chris Bosh.