O astro Chris Paul estaria pensando em deixar seu contrato com o Phoenix Suns ao fim da temporada 2020-21, segundo o jornalista Eric Pincus, do site Bleacher Report. O veterano possui opção em seu acordo para a próxima campanha, no valor de US$44.2 milhões e estaria de olho em um novo ajuste salarial para três temporadas.

Paul, de 36 anos, está em sua primeira campanha pelo time do Arizona e, de cara, conduziu uma equipe que não ia aos playoffs desde 2009-10 ao segundo lugar da conferência Oeste. A ideia do veterano seria permanecer em Phoenix, especialmente se o Suns ir longe nos mata-matas.

Entretanto, a diretoria precisa resolver outros casos de renovações para os próximos anos, como Deandre Ayton e  Mikal Bridges, outros dois titulares do elenco. Ayton e Bridges possuem contratos até o fim da próxima temporada. Enquanto Bridges receberá US$5.5 milhões, o pivô vai ganhar US$12.6 milhões.

Para manter Ayton, é importante entender os salários de outros pivôs da NBA. Pincus destaca Jonas Valanciunas como uma barganha no Memphis Grizzlies (US$14 milhões), Nikola Vucevic (US$24 milhões) e indica Kristaps Porzingis (US$31.7 milhões) como supervalorizado. Especula-se que o atleta poderia receber uma extensão de, aproximadamente, US$100 milhões.

Seja como for, o Suns já está acima do teto salarial para a próxima temporada. Enquanto estiver brigando pelos primeiros lugares da conferência, a diretoria não pensa em economizar. O astro Devin Booker, por exemplo, estendeu seu contrato em 2018 e fica na equipe até 2024. O atleta concluiu a terceira temporada seguida com, pelo menos, 25 pontos por partida.

O Suns precisa da liderança de Paul, mas existe o receio de que o New York Knicks esteja planejando sua contratação. Leon Rose, seu ex-agente, é presidente do Knicks. Sua relação com Rose pode ser, de fato, encarada como concorrência. Por mais que Chris Paul possa deixar seu contrato com o Suns, a ideia da diretoria é ter o atleta por lá até o fim de sua carreira.

Na atual temporada, Paul foi convocado para o Jogo das Estrelas pelo segundo ano consecutivo, depois de ter ficado as três edições anteriores fora. Em 2020-21, ele registrou médias de 16.4 pontos, 8.9 assistências, 1.4 roubada, além de 39.5% de aproveitamento nos arremessos de três e liderou a liga nos lances livres, com 93.4%.