É comum ver Mike Conley ser citado por torcedores e analistas como o melhor jogador da NBA a nunca ter sido eleito all-star. No entanto, com o fantástico desempenho do Utah Jazz na temporada, o armador de 33 anos aposta que essa pode ser a melhor chance da carreira de quebrar essa escrita. Ele reconhece ter esperanças de que vai estar na lista de reservas da conferência Oeste nesse ano – e ficará inevitavelmente decepcionado se não acontecer mais uma vez. 

“Ser escolhido para o Jogo das Estrelas significaria tudo para mim, obviamente. Acho que diria muito sobre quem sou: após ter sido péssimo na última temporada, voltei a competir em alto nível a ponto de reaparecer nessa discussão – e, sinceramente, ser merecedor de uma vaga entre os reservas. Tudo está dando certo e temos o melhor recorde da liga. Será duro se não estiver entre os escolhidos nesse ano”, afirmou o veterano, admitindo ainda ver o All-Star Game como uma meta pessoal. 

Conley já viveu temporadas estatisticamente melhores do que a atual, mas o recorde fantástico do Jazz e a importância do armador titular para as vitórias – foram 20 nos últimos 22 jogos – da franquia fazem com que a chance (que já parecia ter passado) reapareça. Em 24 partidas realizadas, o ídolo do Memphis Grizzlies possui médias de 16.5 pontos (com 41% de aproveitamento nos arremessos de longa distância), 5.6 assistências e 1.4 roubos de bola em pouco mais de 29 minutos por noite. 

E, por mais improvável que ainda possa parecer, a convocação do experiente armador conta com o apoio incondicional dos seus colegas de time. O elenco do Jazz quer que Conley esteja em Atlanta. “Em minha opinião, Mike deveria ser um all-star. Eu estou rezando para isso todas as noites, na verdade. Definitivamente, ele merece ser reconhecido e precisa haver um espaço para esse cara em Atlanta”, cravou Donovan Mitchell, que deverá estar entre os reservas do Oeste.