O início de temporada dos astros James Harden, Jayson Tatum e Damian Lillard não foi nada bom e eles foram muito criticados. Agora, eles dão sinal de vida com as recentes performances. Entretanto, tudo parece passar por uma adaptação ao novo material esportivo: a bola.

Em junho, a NBA divulgou a Wilson como a bola para as próximas temporadas, após 37 anos com a Spalding. Então, muitas “coincidências” aconteceram. Astros como Harden, Tatum e Lillard não foram bem e, como consequência, foram duramente criticados. Embora alguns jogadores rejeitem tal motivo, Bradley Beal, do Washington Wizards, foi o primeiro a falar sobre as diferenças. Portanto, partindo disso, começamos a analisar o desempenho de alguns dos principais atletas jogo a jogo.

Entretanto, Harden e Lillard reclamaram, especificamente, sobre outra questão: mudança de regras de faltas.

Sabe aquelas marcações que a arbitragem fazia até a temporada passada? Eram questionáveis para o jogo da NBA, mas tornou-se um hábito. O jogador com a bola se jogava contra o defensor e, em seguida, era assinalada a falta, que resultava em lances livres. Porém, agora é diferente. Por vezes, em 2021-22, esse “atacante” foi quem ficou com a infração. Com isso, especialmente os dois, não gostaram da queda brusca nos lances livres.

Mas, pelo visto, as coisas estão se ajeitando.

James Harden

Após cobrar 15 lances livres nos cinco primeiros jogos, James Harden teve 63 nos últimos cinco. A mudança de postura não veio da arbitragem, mas do prório jogador. Ele passou a investir mais contra a cesta e, por consequência, sofreu faltas. É um erro dizer que ele depende dos lances de bonificação? Claro que não. Faz parte de seu estilo de jogo. Trata-se de um artifício e ele, sendo um astro como é, tratou de se adaptar.

Nas últimas cinco partidas, o camisa 13 possui médias de 28.4 pontos, 8.8 assistências e 7.0 rebotes. Então, o Brooklyn Nets venceu quatro e perdeu uma. É óbvio que a ausência de Kyrie Irving é um problema para o Nets, mas o time também se adaptou e, agora, lidera o Leste com 12 vitórias em 17 jogos.

Jayson Tatum

Um dos motivos principais pela melhora do Boston Celtics nas últimas partidas, o astro Jayson Tatum tem jogado como o “cara” da franquia. Embora isso tenha acontecido depois da lesão de Jaylen Brown, Tatum melhorou muito o arremesso, sobretudo de três. Nos últimos três jogos, ele registrou 34.7 pontos, 9.0 rebotes, 51.4% nos arremessos e 45.5% de aproveitamento em três pontos. Nas 14 partidas anteriores, Tatum havia acertado 29.4% de longa distância. Tal crescimento fez com que o time de Massachusetts vencesse sete das últimas dez.

Existe, porém, algo a ser debatido: o Celtics é melhor com só um dos dois? Sim, parece contraditório, porque quanto mais talento, melhor. Mas será que não ficaria mais impactante com um pivô superior a Robert Williams ou um armador com melhor aproveitamento nos arremessos de três que Marcus Smart? A torcida da equipe fica dividida e gosta dos dois, mas são só alguns exemplos de que o time pode ser ainda mais forte.

Damian Lillard

Na vitória do Portland Trail Blazers sobre o Philadelphia 76ers, na noite de sábado, Damian Lillard obteve a sua melhor marca em pontuação desde o início da temporada. Lillard converteu cinco das 13 tentativas de três (38.5%) e anotou 39 pontos. Vale registrar, porém, que o Sixers está todo desfalcado, mas aconteceu. Além disso, o Blazers vem de três vitórias consecutivas sobre Chicago Bulls, Toronto Raptors e, agora, o 76ers. Nos jogos em casa, o time venceu todos os últimos oito embates. Perdeu apenas na estreia, para o Sacramento Kings.

Lillard vem demonstrando adaptação, especialmente nas últimas quatro partidas. Nos arremessos de três, o camisa 0 converteu 15 das 37 tentativas (40.4%), aproveitamento similar a dos anos anteriores. Desde então, suas médias são de 26.2 pontos, 8.0 assistências, além de 26 de 27 lances livres (96.3%).

Siga o Jumper Brasil em suas redes sociais e discuta conosco o que de melhor acontece na NBA:  

Instagram
YouTube
Twitter
Canal no Telegram
Apostas – Promocode JUMPER