As últimas 24 horas da vida de Damian Lillard foram dominadas pelos rumores sobre o seu futuro na NBA. E, diante de um “turbilhão” de informações desencontradas, foi a vez do astro quebrar o silêncio e esclarecer a situação. Lillard concedeu entrevista após treino da seleção norte-americana em que negou que pedirá para ser trocado pelo Portland Trail Blazers, mas vai cobrar ações rápidas da franquia no sentido de construir um elenco candidato ao título imediatamente. 

 

“Eu acordei com todos esses rumores e várias pessoas entrando em contato comigo. Mas não é verdade que pedi para ser negociado. Muita coisa tem sido dita por aí e nada veio de mim. Não tomei decisões sobre o meu futuro. Não sei o que farei nesse momento. O que posso dizer, de coração, é que sempre quis jogar minha carreira inteira pelo Blazers. No entanto, também quero vencer – e nós teremos que fazer melhorias nesse sentido”, sentenciou o craque, na tarde dessa sexta-feira. 

Desde o início da carreira, Lillard destacou-se pela lealdade e juras de amor ao Blazers em uma NBA cada vez mais direcionada para as reuniões de astros em poucos times. Mas, nos últimos dois anos, essa relação pareceu começar a se “desgastar”. Uma das razões para isso, provavelmente, é os resultados da franquia dentro de quadra: após chegar à final do Oeste em 2019, ela não venceu mais nenhuma série de playoffs e o armador sugere enxergar certo comodismo interno. 

 

“Temos que mostrar mais urgência sobre nosso próximo passo e como melhorar daqui em diante. Nosso time não é ruim. Somos vencedores, temos um ótimo ambiente de trabalho, em uma grande cidade e incríveis torcedores. Só acho que chegamos a um ponto em que não é o bastante. Queremos ser campeões mesmo? Precisamos, então, mostrar isso. Precisamos de ação, de desejo de vencer. Essa é a minha mentalidade desde o primeiro dia em Portland”, garantiu o veterano. 

Mudanças, na verdade, já foram iniciadas pelos lados do Oregon: o treinador Terry Stotts foi demitido depois da eliminação da equipe na temporada e contratou-se um amigo de Lillard, o ex-armador Chauncey Billups – ignorando, inclusive, acusação de estupro em seu passado. O astro, porém, não acredita que isso esteja longe de ser o bastante. Ele praticamente intimou a direção do Blazers a reavaliar o elenco e realizar alterações na offseason que está para começar.  

 

“Eu não discordo que, talvez, Chauncey possa chegar aqui e mudar esse time. Que nós sejamos melhores sob o seu comando. É possível. Mas, se você olhar para nosso atual elenco, realmente não vejo como alguém possa achar que temos um material campeão em mãos e basta mudar o treinador para que tudo funcione. Para ser sincero, um novo técnico não faz esse time candidato ao título imediatamente”, avaliou o armador, que assinou extensão de US$196 milhões por quatro temporadas em 2019. 

Para possivelmente discutir tais mudanças, Lillard revelou que teve um encontro nas últimas horas com o presidente de operações do Blazers, Neil Olshey, e Billups. Não existem informações sobre detalhes debatidos, mas uma coisa é certa: o pedido de troca tão temido pelo torcedor do Portland não aconteceu. “Não há nenhuma decisão tomada por mim e muita coisa pode acontecer. Hoje, minha expectativa é estar vestindo o uniforme do Blazers no início da próxima temporada”, concluiu o ídolo da franquia. 

    

Siga o Jumper Brasil em suas redes sociais e discuta conosco o que de melhor acontece na NBA:   

Instagram 
YouTube 
Twitter 
Canal no Telegram 
Apostas – Promocode JUMPER