O Chicago Bulls já traçou planos ambiciosos para a temporada que está para começar e isso passa pelas mãos de DeMar DeRozan. O ala-armador de 32 anos surpreendeu ao assinar com a franquia de Illinois e foi o principal investimento de um reforçado elenco que, após quatro temporadas, tenta voltar aos playoffs. Entre ótimos companheiros do novo time, DeRozan destaca o ala mais talentoso com quem já jogou: Zach LaVine. 

  

“Eu sempre fui um fã de Zach. É uma pena que não tenha chegado aos playoffs até hoje, pois trata-se de um talento incrível e jogador muito dinâmico. Nunca joguei com um ala tão talentoso quanto ele. Sua combinação de capacidade de pontuar e condição atlética faz com que seja único. Quero dividir todas as experiências de minha carreira com esse cara para que vençamos juntos”, contou o veterano, em entrevista ao site The Athletic. 

Fechar contrato com o Bulls terminou uma offseason que, certamente, revelou-se muito estressante para DeRozan. Ele foi um dos últimos nomes importantes do mercado a se reposicionar, então lidou com as incertezas de uma agência livre com poucas franquias realmente dispostas a gastar. Chegou a se especular, inclusive, que ele deveria aceitar enorme corte salarial para ser coadjuvante de outros astros. Ele não gostou disso. 

“Para mim, sem dúvida, comentarem que deveria receber menos para jogar com outros astros foi um desrespeito. É frustrante ver pessoas, afinal, dizendo que deve fazer isso ou aquilo. Mas há muita loucura na agência livre e você não pode perder o controle. É preciso confiar no processo e manter sua postura. Chicago era um time que estava em meu radar desde o começo e deu tudo certo”, desabafou o pontuador.

Crescimento em San Antonio

Antes de chegar ao Bulls, o experiente ala-armador estava no San Antonio Spurs. Esse momento da carreira, porém, nunca pareceu tão empolgante assim. Sempre circularam rumores que DeRozan não estava feliz no Texas e desejava ser negociado ou sairia “de graça” na offseason – como realmente aconteceu. Ele não tem nada além de elogios a falar sobre o ex-time e, acima disso, credita grande evolução à passagem pela franquia. 

“Eu sempre deixei que Kyle [Lowry] fosse a liderança vocal enquanto estive em Toronto, mas isso mudou em San Antonio. Eu aprendi muito e estou orgulhoso do que fiz nesses anos de Spurs. Foi lá que compreendi o que é ser um líder, afinal. Tornei-me a voz mais ativa e a abrir-me, ser vulnerável para extrair o melhor de meus companheiros também, por exemplo”, revelou o astro, pronto para ser sua melhor versão na NBA em Chicago.  

 

Siga o Jumper Brasil em suas redes sociais e discuta conosco o que de melhor acontece na NBA:   

Instagram 
YouTube 
Twitter 
Canal no Telegram 
Apostas – Promocode JUMPER