Dennis Rodman foi um dos ícones da liga na década de 1990, com a sua personalidade excêntrica combinada ao jogo defensivo e físico característico da época. Por isso, ao ver as partidas recentes, ele já não consegue identificar-se com o que acontece em quadra. Rodman revelou que não assiste mais a tantos duelos da NBA como antigamente, pois, em síntese, não se sente atraído pelo que o estilo de basquete atual oferece. 

 

“Quase não assisto NBA hoje em dia. Para mim, é simplesmente muito difícil assistir ao basquete pregado na atualidade. Quando você já jogou com a minha competitividade e intensidade, fica bem complicado gostar do que estão fazendo agora. Eu não quero ver os jogadores arremessando bolas do meio da quadra, sabe? Isso não é basquete para mim”, disparou o lendário ala-pivô, em entrevista ao podcast “Full Send”.

Não é preciso ser um grande analista para perceber as mudanças profundas pelas quais passou o jogo dos tempos de Rodman, um marcador aguerrido e histórico reboteiro com recursos ofensivos quase nulas, para o que observamos com Stephen Curry e Damian Lillard. O Chicago Bulls campeão de 1998, por exemplo, arremessava 11.7 bolas de três pontos por jogo. Essa média é menor do que Curry, sozinho, tentou na última temporada. 

 

“Eu entendo que você queira pontuar de longa distância, mas meu Deus! Precisa ser de tão longe? Para mim, da maneira como enxergo o esporte, esse tipo de coisa tira todo o entusiasmo dos jogos. Não é como fazíamos antigamente, sabe? Então, para mim, fica duro acompanhar as coisas assim. Mas compreendo que muitos garotos de hoje em dia adoram isso”, ponderou o veterano, notando a mudança de percepção da liga.

Rodman em “The Last Dance”

Os mais jovens tiveram a oportunidade de entender como Rodman jogava na NBA e o seu basquete muito diferente do estilo atual assistindo ao recente documentário “The Last Dance”. E, para quem não conseguiu acreditar em suas loucuras, ele atesta: foi tudo verdade. “Para que eu assistiria Last Dance? Eu vivi aquilo, cara. É a minha vida! Posso dizer é que é tudo verídico. Especialmente, as besteiras que eu fiz”, finalizou o integrante do Hall da Fama. 

 

Siga o Jumper Brasil em suas redes sociais e discuta conosco o que de melhor acontece na NBA:  

Instagram
YouTube
Twitter
Canal no Telegram
Apostas – Promocode JUMPER