Draft 2020: As necessidades do Detroit Pistons

Elenco para a próxima temporada (quatro contratos garantidos)

PG: Derrick Rose (32 anos, US$ 7,6 milhões)
SG: Luke Kennard (24 anos, US$5,2 milhões)
SF: Sekou Doumbouya (19 anos, US$3,4 milhões)
PF: Blake Griffin (31 anos, US$36,5 milhões)
C: 

Folha salarial: US$52,7 milhões

Agentes livres: Brandon Knight (PG, 28 anos, irrestrito) / Langston Galloway (PG/SG, 28 anos, irrestrito) / Jordan McRae (SG, 29 anos, irrestrito) / Christian Wood (PF/C, 25 anos, irrestrito) / Thon Maker (PF/C, 23 anos, restrito) / John Henson (C, 29 anos, irrestrito) / Justin Patton (C, 23 anos, irrestrito) / Louis King (SF, 21 anos, restrito) / Jordan Bone (PG, 22 anos, restrito)

Contratos não garantidos/parcialmente garantidos/opção do time/opção do jogador:  Bruce Brown (SG, 24 anos, US$1,6 milhão, não garantido) / Khyri Thomas (SG, 24 anos, US$1,6 milhão, não garantido) / Sviatoslav Mykhailiuk (SG/SF, 23 anos, US$1,6 milhão, opção do time) / Tony Snell (SF, 28 anos, US$12,1 milhões, opção do jogador)

Contratos expirantes: Derrick Rose / Luke Kennard

Números da temporada 2019/20

Pontos anotados: 107,2 (sexto pior)
Pontos sofridos: 110,8 (15º)
Eficiência ofensiva: 109,0 (décimo pior)
Eficiência defensiva: 112,7 (nono pior)
Pace (posses de bola por jogo): 97,6 (28º)
Assistências por jogo: 24,1 (16º)
Rebotes por jogo: 41,7 (pior)
Desperdícios de bola: 15,3 (sexto pior)
Aproveitamento nos arremessos de quadra: 45,9% (18º)
Aproveitamento nos lances livres: 74,3% (quinto pior)
Aproveitamento nas bolas de três pontos: 36,7% (11º)
Tentativas de arremessos de três pontos por jogo: 32,7 (17º)
Aproveitamento do adversário nas bolas de três pontos: 36,1% (19º)
Pontos sofridos no garrafão: 52,0 (quarto pior)

Posições carentes: todas

Necessidades da equipe

  • Presença intimidadora no garrafão: o Pistons foi o quarto pior em pontos sofridos na área pintada e o pior em rebotes, na temporada passada
  • Um playmaker além de Blake Griffin, deixando Derrick Rose “livre” para exercer o papel de sexto homem do time, ou seja, um armador capaz de organizar e conduzir o ataque
  • Profundidade no elenco, já que o time possui apenas quatro atletas com contratos garantidos para a próxima temporada

Escolha no Draft de 2020: 7

Prospectos mais indicados

  • Pick 7
  • Killian Hayes (PG/SG): Hayes é um armador alto, com braços longos, eficiente pontuando da média distância e um ótimo atleta de transição, por possuir boa velocidade em quadra aberta. Um dos passadores mais naturais da classe, o francês se destaca no pick-and-roll, é bastante criativo com a bola nas mãos e tem um controle de corpo elogiável. Dedicado na defesa e inteligente para executar a rotação defensiva, Hayes é muito habilidoso, com ótimo QI de basquete e já possui experiência no nível profissional. A meu ver, o francês seria uma opção certeira do Pistons, caso a franquia resolva selecionar um armador com a sétima escolha. Hayes teria bastante tempo de quadra e a oportunidade de jogar e aprender com Derrick Rose, ou seja, um armador para ficar por anos em Detroit e ser um dos pilares da reformulação do elenco. O canhoto Hayes teria um bom encaixe com Griffin, atuando como um facilitador e tirando um pouco a responsabilidade que o astro carrega de pontuar e ainda criar para os companheiros. Com ele, o time de Detroit teria um playmaker confiável, que mostra excelência no pick-and-roll, e um bom pontuador em vários níveis. Em suma, Hayes seria muito útil para o Pistons por conta de sua criatividade como passador, arsenal ofensivo e dedicação na defesa, e faria os companheiros produzirem melhor.
  • Onyeka Okongwu (C): Okongwu é um pivô dotado de muita força física e mobilidade, que corre a quadra com fluidez e tem agilidade lateral acima da média. Ele é um ótimo e versátil defensor, com destaque para a proteção do aro, eficiente na defesa de pick-and-roll e nas trocas de marcação. Além disso, Okongwu é um excelente finalizador no pick-and-roll e um passador subestimado. Enfim, ele é uma escolha segura, com potencial imenso de melhoria em vários aspectos do jogo. Se o Pistons resolver escolher um pivô, a opção mais lógica seria Okongwu, que, a meu ver, é o melhor da posição no recrutamento. Por causa do upside gigante, da mobilidade incomum para um big man e de sua versatilidade defensiva, ele seria um bom encaixe com Blake Griffin, com potencial de assumir o papel de “cara” da franquia nos próximos anos. A comparação com Bam Adebayo não é nenhum exagero. Pensando no médio e longo prazo, Okongwu formaria uma dupla interessante com Sekou Doumbouya por conta do atleticismo e da versatilidade de ambos. Além do mais, a opção por Okongwu vai de encontro a uma característica histórica do Pistons e que anda em falta por lá: uma presença intimidadora no garrafão.
  • Tyrese Haliburton (PG): armador alto, dotado de envergadura invejável, Haliburton tem o passe como prioridade. Excelente na transição ofensiva, ele dita o ritmo do time, se destaca no pick-and-roll e demonstra eficiência nos arremessos de três pontos, sobretudo em cenários de catch and shoot. Além disso, Haliburton é um defensor acima da média, seja na antecipação das linhas de passe, na marcação individual ou até como protetor de aro. Em suma, ele seria um encaixe perfeito junto a um guard mais voltado para a pontuação. Caso Hayes tenha saído antes, ou o Pistons não faça uma troca para selecionar alguém com uma escolha abaixo da sétima, Haliburton seria a melhor opção para a armação da equipe. Pelas características de jogo, ele seria um encaixe excelente com as estrelas do time: Derrick Rose e Blake Griffin, já que pode ser efetivo sem a bola nas mãos. Haliburton tem a capacidade de ditar o ritmo da equipe em quadra e acrescentaria versatilidade defensiva ao perímetro do Pistons.

Siga o Jumper Brasil em suas redes sociais e discuta conosco o que de melhor acontece na NBA:    

Instagram
Youtube
Twitter
Facebook