O Jumper Brasil inicia hoje a série diária “Draft 2020: As necessidades de cada time”. O Minnesota Timberwolves, que terá o privilégio de fazer a primeira escolha no recrutamento, inaugura os trabalhos.

 

Draft 2020: As necessidades do Minnesota Timberwolves

 

Elenco para a próxima temporada (sete atletas com contratos garantidos)

PG: D’Angelo Russell (24 anos, US$28,6 milhões)
SG: Josh Okogie (22 anos, US$2,7 milhões) / Jarrett Culver (21 anos, US$6,1 milhões)
SF: Jake Layman (26 anos, US$3,7 milhões) / Jacob Evans (23 anos, US$2 milhões)
PF: Omari Spellman (23 anos, US$1,9 milhão)
C: Karl-Anthony Towns (24 anos, US$29,4 milhões)

Folha salarial: US$74,4 milhões

Agentes livres: Malik Beasley (SG/SF, 23 anos, restrito) / Juancho Hernangómez (PF, 24 anos, restrito) / Jordan McLaughlin (PG, 24 anos, restrito) / Kelan Martin (SF, 25 anos, restrito) / Evan Turner (SG/SF, 31 anos, irrestrito)

Contratos não garantidos / opção da franquia / opção do jogador: James Johnson (33 anos, US$15,8 milhões, opção do jogador) / Naz Reid (C, 21 anos, US$1,7 milhão, não garantido) / Jaylen Nowell (SG, 21 anos, US$1,7 milhão, não garantido) / Jarred Vanderbilt (PF, 21 anos, US$1,6 milhão, não garantido)

Números da temporada 2019/20

Pontos anotados: 113,3 (12º)
Pontos sofridos: 117,5 (terceiro pior)
Eficiência ofensiva: 107,6 (sétimo pior)
Eficiência defensiva: 111,6 (20º)
Pace (posses de bola por jogo): 103,9 (terceiro)
Assistências por jogo: 23,8 (11º pior)
Rebotes por jogo: 44,8 (14º)
Desperdícios de bola: 15,3 (sexto pior)
Aproveitamento nos arremessos de quadra: 44,1% (terceiro pior)
Aproveitamento nos lances livres: 75,3% (oitavo pior)
Aproveitamento nas bolas de três pontos: 33,6% (terceiro pior)
Tentativas de arremessos de três pontos por jogo: 39,7 (terceiro)
Aproveitamento do adversário nas bolas de três pontos: 36,6% (11º pior)
Pontos sofridos no garrafão: 51,2 (sétimo pior)

Posições carentes: todas

Necessidades da equipe

  • bons arremessadores do perímetro: na última temporada, o Timberwolves foi o terceiro em tentativas de bolas de três pontos, mas em contrapartida foi o terceiro pior em aproveitamento. Arremessou muito, mas sem qualidade. Beasley, Towns e Hernangómez foram os únicos que tiveram um aproveitamento acima de 40% do perímetro. Dois deles são agentes livres…
  • versatilidade defensiva: em 2019/20, o time de Minnesota figurou entre as priores defesas da liga. As estrelas do time – Russell e Towns – estão longe de serem bons nesse lado da quadra. O defensor mais eficiente do Timberwolves foi o veterano James Johnson. Portanto, é primordial para o sucesso da equipe cercar as estrelas de bons defensores.
  • profundidade no elenco: o Timberwolves tem carências em todas as posições. Russell e Towns são os destaques indiscutíveis, mas o restante do plantel, recheado de jovens que ainda não mostraram algo na NBA, deixa a desejar.

Escolhas no Draft de 2020: 1, 17 e 33

Prospectos mais indicados

  • Pick 1
  • Anthony Edwards (SG) – maior talento disponível, muita margem para crescimento e seria um bom encaixe com Russell e para o sistema de jogo do Timberwolves, com cinco jogadores abertos e um pace alto (terceiro da liga em 2019/20). Com seus atributos físico-atléticos de elite, Edwards tem as ferramentas necessárias para se tornar ao menos um bom defensor na NBA e ser um pesadelo na transição ofensiva. Além de melhorar em dois aspectos: o arremesso inconsistente e a tomada de decisões questionável, Edwards vai precisar ser mais assertivo na defesa se quiser ter sucesso na liga. No entanto, o ideal, na minha opinião, seria o Timberwolves tentar trocar a pick por um jogador estabelecido na NBA, já que o recrutamento não apresenta nenhum prospecto com potencial estelar, e Edwards desperta desconfiança entre scouts e times. Sugestão de troca: escolha 1 + expirante do James Johnson pelo Aaron Gordon + escolha 15 do Orlando Magic. Diversos rumores apontam que o ala-pivô do Magic estaria disponível para trocas, e que o time da Flórida planeja flexibilizar a sua folha salarial pensando na offseason de 2021, quando Jonathan Isaac e Markelle Fultz serão agentes livres. Seria uma troca boa para ambos. O Timberwolves recebe um ala-pivô para preencher a necessidade de versatilidade defensiva e, com a pick 15, poderá selecionar um armador reserva para Russell ou um arremessador do perímetro.

 

  • Pick 17
  • Aaron Nesmith (SG/SF): Nesmith possui altura e envergadura adequadas para jogar nas posições 2 e 3 e uma força física elogiável. Ele é o melhor arremessador em movimento da classe deste ano. Além disso, Nesmith possui ótima seleção de arremessos, elevado QI de basquete como chutador e leitura avançada das defesas adversárias. Na defesa, ele demonstra solidez na marcação do perímetro, com bom entendimento das rotações defensivas, e utiliza muito bem sua força física e envergadura. Em suma, Nesmith é protótipo de 3-and-D, tão em alta na NBA. Como citado acima, o Timberwolves precisa de bons arremessadores do perímetro.
  • Patrick Williams (SF/PF): protótipo de um combo forward profissional do ponto de vista físico, Williams é ativo nos dois lados da quadra. Um de seus mais sólidos atributos ofensivos é a movimentação sem a posse da bola. Trata-se, provavelmente, do melhor ala protetor de aro do draft, já que rotaciona rapidamente e com inteligência para contestar finalizações e sabe trabalhar com a verticalidade. Além disso, Williams é um dos prospectos mais eficientes em ajudas defensivas, exibindo uma alta compreensão da dinâmica defensiva coletiva, e também mostra inesperado potencial como arremessador em pull ups, após poucos dribles. Williams contribuiria com versatilidade defensiva ao Timberwolves.
  • Théo Maledon (PG/SG): alto e longo, Maledon tem o tipo físico que lhe permite jogar como um combo guard, além de lhe conceder versatilidade defensiva para marcar vários tipos de atleta de perímetro. Versátil e altruísta em quadra, o francês fica confortável jogando com e sem a bola nas mãos, o que permite flexibilidade de formação pelo seu tamanho e capacidade de chute. Com controle de bola sólido, e um bom conjunto de dribles, Maledon consegue operar com tranquilidade nas situações de pick-and-roll. Além disso, ele acumula experiência profissional na melhor equipe do França e que disputa a fortíssima Euroliga. Maledon teria um bom encaixe no Timberwolves, com a possibilidade de jogar ao lado de D’Angelo Russell em determinados momentos das partidas.
  • Josh Green (SG/SF): o jovem australiano é um ala dotado de medidas de elite, muita explosão no primeiro passo e bom controle corporal e força física para absorver contato e finalizar no garrafão. Além disso, Green tem ótimos instintos para correr a quadra em situações de transição ofensiva e sabe atuar fora da bola, mostrando eficiência no cenário de catch and shoot. Ele também é um passador sólido, que comete poucos erros, e um ótimo e versátil defensor individual (marca as posições 1, 2 e 3) graças aos atributos físicos e à competitividade. Green tem as características que poderiam ajudar a resolver as principais carências do Timberwolves.
  • Kira Lewis (PG): Lewis talvez seja um dos jogadores mais velozes da classe deste ano. Explosivo, ele chama a atenção pela versatilidade ofensiva, capacidade de criar para si e para os companheiros, ótimo controle de bola, variedade de dribles, e, além disso, é sólido na marcação sem a bola (destaca-se na antecipação das linhas de passe). Protótipo de armador que, no profissional, deverá ser mais útil vindo do banco de reservas, ‘incendiando’ a equipe com seu atleticismo de elite e capacidade de pontuar. Lewis se daria bem no sistema do Timberwolves que privilegia o espaçamento e o pace alto, e poderia ser uma sólida opção de banco na armação do time.

 

  • Pick 33
  • Grant Riller (PG/SG): forte candidato a steal do recrutamento, Riller tem um atleticismo acima da média, um primeiro passo explosivo e um excelente controle de bola. Ele é um tremendo finalizador ao redor do aro, que não foge do contato físico, e exibe boa leitura de jogo como defensor coletivo. É preciso deixar claro: Riller é ótimo com a bola nas mãos, sem ela, deixa a desejar. Boa opção para o banco de reservas do Timberwolves, que teria mais poder de fogo com a chegada dele.
  • Desmond Bane (SG/SF): um dos prospectos mais subestimados deste ano, Bane chega à NBA para contribuir de imediato. Ele tem os atributos necessários (força física, arremesso consistente do perímetro e elevado QI de basquete nos dois lados da quadra) para estabelecer uma carreira sólida como role player. Bane não precisa da posse da bola para ser efetivo em quadra e atua sempre com muita disciplina, dedicação e em prol do time. Bane é outro prospecto que ajudaria a preecher algumas das principais lacunas no Timberwolves.
  • Cassius Winston (PG): Winston é um armador que equilibra a habilidade de puxar o ritmo da partida com um ótimo cuidado com a bola. Sua versatilidade como arremessador, que o permite atuar fora da bola, aliada à solidez na tomada de decisões (paciente para ler as defesas adversárias), o projetam como um encaixe seguro em uma rotação na NBA. Com todas essas características, Winston seria uma boa opção de backup para Russell.
  • Paul Reed (PF): Reed é um ala-pivô dotado de ótimos atributos atléticos (impulsão e envergadura invejáveis), corre a quadra bom bastante fluidez e é um grande e explosivo finalizador. Além disso, ele é um excelente e versátil defensor, e um reboteiro de elite. Reed é o protótipo de role player que poderá trazer um grande impacto defensivo e deverá ter espaço em uma NBA cada vez mais adepta ao jogo em velocidade e com formações baixas. Por tudo isso, Reed se encaixaria perfeitamente no sistema do Timberwolves, especialmente com Towns, e adicionaria versatilidade defensiva à equipe.

 

Siga o Jumper Brasil em suas redes sociais e discuta conosco o que de melhor acontece no basquete:

Instagram
Youtube
Twitter
Facebook