O Jumper Brasil fecha nesta terça-feira (20) a série diária “Draft 2021: As necessidades de cada time”. O Utah Jazz, que terá o direito de fazer a escolha 30 no recrutamento deste ano, é o último time a ser analisado.

Draft 2021: As necessidades do Utah Jazz

Elenco para a próxima temporada (nove atletas com contratos garantidos)

PG: Jordan Clarkson (US$12,4 milhões)
SG: Donovan Mitchell (US$28,1 milhões)
SF: Royce O’Neale (US$8,8 milhões) / Joe Ingles (US$13 milhões) / Elijah Hughes (US$1,5 milhão)
PF: Bojan Bogdanovic (US$18,7 milhões)
C: Rudy Gobert (US$35,3 milhões) / Derrick Favors (US$9,7 milhões) / Udoka Azubuike (US$2,1 milhões)

Folha salarial: US$129,6 milhões
Agentes livres: Mike Conley (PG, irrestrito) / Georges Niang (SF/PF, irrestrito) / Ersan Ilyasova (PF, irrestrito) / Juwan Morgan (PF, restrito) / Jarrell Brantley (PF, restrito)
Contratos não garantidos: Matt Thomas (SG, 1,8 milhão) / Miye Oni (SG, 1,8 milhão)

Números do Jazz na temporada 2020/21
Pontos anotados: 116,4 (quarto)
Pontos sofridos: 107,2 (terceiro)
Eficiência ofensiva: 116,5 (quarto)
Eficiência defensiva: 107,5 (terceiro)
Pace (posses de bola por jogo): 99,37 (16º)
Assistências por jogo: 23,7 (22º)
Assist/ratio (porcentagem de posses de bola que terminam em assistências): 17,3 (22º)
Taxa de assistências por turnover: 1,66 (23º)
Rebotes por jogo: 48,3 (primeiro)
Desperdícios de bola: 14,2 (18º)
Aproveitamento nos arremessos de quadra: 46,8% (14º)
Aproveitamento nos lances livres: 79,9% (oitavo)
Aproveitamento nas bolas de três pontos: 38,9% (quarto)
Tentativas de arremessos de três pontos por jogo: 43,0 (primeiro)
Aproveitamento do adversário nas bolas de três pontos: 34,1% (segundo melhor)
Bolas de três sofridas por jogo: 10,9 (melhor)
Pontos sofridos no garrafão por jogo: 49,1 (22º)

Posições carentes: PG, SG, PF

Necessidades da equipe

  • Um novo armador, com a provável dificuldade para renovar com o veterano Mike Conley
  • Um finalizador explosivo (para não ser dependente de Donovan Mitchell); o Jazz tem o seu jogo ofensivo voltado para os arremessos do perímetro (43% dos pontos da equipe são oriundos das bolas de três) e Rudy Gobert não contribui muito no ataque

Escolha no Draft de 2021: 30

Prospectos mais indicados

* Pick 30

  • Ayo Dosunmu (PG/SG): Dosunmu é um combo guard dotado de ótimos atributos físico-atléticos, com altura e envergadura invejáveis para um jogador da posição, agilidade lateral destacada, e que não foge do jogo mais físico. Ele se movimenta muito bem sem a bola, é um finalizador explosivo e muda de direção com facilidade. Como passador, ele mostrou evolução e chama a atenção como criador nas situações de pick-and-roll e no jogo de transição. Ótimo e versátil defensor, ele pode marcar múltiplas posições. Ele é um ótimo marcador individual, disruptivo, que pressiona o adversário que está com a bola nas mãos. Um jogador que defende múltiplas posições e consegue ser útil sem a bola nas mãos tem o seu lugar na NBA. Dosunmu teria um ótimo encaixe com Donovan Mitchell.
  • Miles McBride (PG/SG): “Deuce” McBride é um combo guard dotado de ótimos atributos-físico atléticos, muito ágil em quadra, possui uma envergadura invejável para um jogador da posição e tem força física para encarar o nível profissional. Ótimo e explosivo finalizador, ele também é um sólido arremessador nas situações de catch-and-shoot. Em termos de criação de jogadas, McBride se destaca na transição e é um excelente passador nas situações de drive-and-kick. Um dos melhores defensores de perímetro da classe deste ano, ele é excepcional na antecipação das linhas de passe e gosta de pressionar o adversário que está com a bola nas mãos para forçar turnovers ou roubar a bola e iniciar contra-ataques. Pela utilidade com e sem a bola nas mãos, e capacidade defensiva, “Deuce” seria uma boa opção para a rotação de armadores do Jazz.
  • Quentin Grimes (SG/SF): um dos arremessadores mais sólidos da classe, Grimes também se destaca por ser um passador versátil e um bom defensor de perímetro. Fisicamente pronto para encarar a NBA, tem tudo para ser um jogador sólido de rotação na liga. Em suma, Grimes seria uma boa opção para a rotação de alas do Jazz.
  • JT Thor (PF): Thor é um dos prospectos mais jovens e intrigantes da classe de 2021. Ele chama a atenção pelos atributos físico-atléticos de elite, versatilidade defensiva e potencial como arremessador. Sua ótima condição atlética e agilidade fazem com que seja um terror movimentando-se sem a bola e operando em transição. Além disso, tem capacidade comprovada para sair do perímetro e defender em espaço por conta de sua excelente agilidade lateral. Projeto de médio e longo prazo, Thor é dotado de recursos técnicos com grande margem de evolução e, por isso, seria uma boa aposta para o Jazz.
  • Nah’Shon “Bones” Hyland (SG): Hyland vem crescendo nas projeções após um bom desempenho no Draft Combine. Ele é um ala-armador que chama a atenção por ser um dos cestinhas mais produtivos da classe deste ano. Excelente arremessador, ele tem um ótimo trabalho de pés e facilidade em criar separação para seus marcadores. Hyland também consegue finalizar com ambas as mãos. Capaz de criar para si e para os companheiros, ele mostrou boa visão de quadra e consegue conectar passes para colegas (sobretudo para rim runners). Como defensor, “Bones” é sólido na antecipação das linhas de passe e combina muito bem sua envergadura invejável, instintos e mãos rápidas. Hyland seria uma boa opção para a rotação de armadores do time de Utah.
  • Josh Primo (SG): prospecto mais jovem do Draft, Primo é um ala-armador que mostra eficiência para finalizar em torno do aro e potencial como criador secundário (pode iniciar o pick-and-roll pontualmente e exibiu flashes de sua capacidade de realizar passes em movimento saindo de bloqueios). Além disso, ele é um excelente arremessador posicionado e um defensor bastante versátil (e inteligente) no perímetro. Na última temporada, Primo teve um papel coadjuvante em Alabama (movimentação sem a bola no ataque e um dos principais defensores do time), o que projeta ser a sua função entre os profissionais. Ele já possui um estilo de jogo bem resolvido e dá sinais animadores de evolução em vários quesitos técnicos, estando à frente da curva de evolução natural de sua idade. Primo se destacou no Draft Combine e seria uma boa opção para a rotação de perímetro do Jazz.

Siga o Jumper Brasil em suas redes sociais e discuta conosco o que de melhor acontece na NBA: 

Instagram
YouTube
Twitter
Canal no Telegram
Apostas – Promocode JUMPER