Dois astros da NBA apareceram entre os vencedores da festa mais famosa do cinema, nesse domingo. Os craques Kevin Durant e Mike Conley seguiram os passos de Kobe Bryant e ganharam o Oscar de melhor longa-metragem live action de 2020, como os produtores-executivos de “Dois Estranhos”. Os três passam a ser os únicos atletas da liga a conquistarem a estatueta dourada, sendo que os líderes de Utah Jazz e Brooklyn Nets são os primeiros jogadores em atividade a fazê-lo.

“Outro dia, o pessoal do time estava tirando sarro de mim dizendo que estava prestes a ganhar um Oscar antes do título da NBA. É claro que gostaria de vencer ambos. Seria ótimo, mas preciso admitir que nunca imaginei que faria parte de um filme que viria a ser premiado pela Academia”, contou Conley, em entrevista à rede CBS Los Angeles pouco antes da premiação. Múltiplos especialistas já indicavam “Dois Estranhos” como franco favorito a levar o prêmio.

O filme escrito e dirigido por Travon Free, com Martin Desmond Roe, possui um forte teor social com uma história que ressoa o momento vivido pelos EUA. Eles contam a história de um homem negro, vivido pelo rapper Joey Bada$$, que fica preso em um loop temporal revivendo um dia que termina em um encontro mortal com um policial branco, enquanto só tenta voltar para casa. A produção conta com oito produtores, além dos jogadores da NBA.

Durant e Conley, como já dito, sucedem a Kobe Bryant como atletas da liga a serem vencedores do Oscar. O falecido craque do Los Angeles Lakers recebeu o prêmio de melhor curta-metragem de animação em 2018, com o icônico e cultuado “Dear Basketball”. Ele não só produziu a animação, mas foi o autor do roteiro (um texto publicado no site Player’s Tribune, na época de sua aposentadoria) e narrador da obra dirigida por Glen Keane.

“Dois Estranhos”, curta-metragem de 32 minutos que rendeu o Oscar para Durant e Conley, está disponível para ser assistido na plataforma Netflix.