A carreira de Carmelo Anthony parecia caminhar para um final melancólico até receber uma (inesperada) oferta para jogar pelo Portland Trail Blazers. E não eram apenas os torcedores e comentaristas que já duvidavam da capacidade do veterano astro reposicionar-se na NBA. O ala de 35 anos admitiu que a ideia de desistir da carreira amadureceu em sua cabeça durante seu inativo último ano.

“Eu estava preparado para anunciar a aposentadoria. Vinha preparando-me para sair de cena, se a situação certa não aparecesse. Não valeria a pena voltar para essa batalha só por voltar, sabe? É uma decisão brutal, mas acho que entreguei bastante ao basquete nesses 15 anos e a forma como as pessoas vão lembrar de mim já está bem consolidada”, revelou o craque, em entrevista à ESPN.

Ficar parado por um ano trouxe momentos de ansiedade e agonia para Carmelo, convivendo com a perspectiva de nunca mais jogar basquete na NBA. Agora, no entanto, ele também consegue ver o lado positivo do (forçado) período sabático que tirou das quadras. O recém-eleito melhor jogador da semana na conferência Oeste está animado com a carreira e nem quer falar em aposentadoria.

“Eu sinto-me bem. Não é porque tenho 35 anos que preciso estar cansado, fraco, imaginando deixar o esporte ou coisa do tipo. Sempre desafiei as probabilidades. Só fiquei um ano sem atuar profissionalmente – e, na verdade, pude descansar o corpo e a mente. As pessoas não sabem o quão importante é estar com a cabeça ‘limpa’ e focada. Tudo flui com mais facilidade”, contou o veterano.

A empolgação é visível e compartilhada pelos milhões de fãs de Carmelo ao redor do planeta, mas nada teria acontecido se não fosse pela aposta dos dirigentes de Portland. Muitos analistas e torcedores criticaram a decisão da equipe e definiram como uma precoce medida desesperada. O experiente ala não quer rebater esses comentários de lado e só agradece que sua única opção também era a certa.

“Eu acho que Portland era a situação certa porque simplesmente queriam a minha presença. Eles vieram até mim e pediram apenas para que jogasse basquete, com o apoio incondicional de jogadores e uma franquia que realmente desejavam que estivesse lá. E, no final das contas, não há nada melhor do que a sensação de ser querido em um lugar”, concluiu o astro, renovado com a nova fase da carreira.