Expectativa e realidade entraram em colisão na temporada do Philadelphia 76ers. O time foi de grandes investimentos e status de favorito no Leste para um basquete de nível duvidoso e “varrida” na primeira rodada dos playoffs, para o Boston Celtics. Essa eliminação já causou a queda de Brett Brown, mas o gerente-geral Elton Brand garante que existem dois intocáveis na organização: Ben Simmons e Joel Embiid. 

“Eu não estou tentando negociar Ben ou Joel. Não pretendo trocá-los. Quero, sim, trazer as peças para complementá-los melhor. Eles têm 24 e 26 anos, então você deve tentar fazer essa parceria funcionar pelo tempo que puder. São dois atletas que querem estar aqui e atuar por essa equipe. Vejo-os permanecendo conosco por muito tempo ainda”, assegurou o ex-jogador, em entrevista coletiva concedida nessa terça-feira. 

O resultado na pós-temporada poderia ser encarado como algo isolado, produto único da ausência de Simmons, mas não foi remotamente assim. As incertezas na utilização do pivô Al Horford e falta de talento no banco de reservas, por exemplo, foram problemas que voltaram a assombrar o torcedor da franquia. Brand, no entanto, também admite que dificuldades mais básicas foram obstáculos para o sucesso do Sixers no ano. 

“Nossa intensidade oscila durante os jogos, mesmo nos playoffs. É claro que a ausência de Ben é uma grande parte da explicação da ‘varrida’ e eu adoraria ver com esse time inteiro se sairia, mas não estou em busca de desculpas. Acho que, às vezes, nós não tivemos coisas simples como a atenção aos detalhes, nível de energia e motivação que era necessária”, apontou o executivo, um GM de “primeira viagem” na NBA. 

Horford, aliás, faz parte de uma coleção de erros de julgamento do próprio Brand que formaram o atual elenco do Sixers. O experiente pivô e o ala Tobias Harris, que teve novo desempenho abaixo da crítica no mata-mata, combinaram para perto de US$300 milhões em salários comprometidos pela equipe na offseason. Mas o gerente-geral ainda acredita no sucesso dos dois atletas na Pensilvânia, mais cedo ou mais tarde.

“Tobias não ficou satisfeito com sua performance nos playoffs, mas teve uma excelente temporada regular e seria all-star se tivéssemos tido um recorde melhor. Está motivado a melhorar e é um líder para esse time. E, obviamente, Al tem qualidade para encaixar-se em um time campeão. Nós encontraremos a sua função e não tenho dúvidas de que ele vai se encaixar muito bem aqui”, apostou o profissional de 41 anos.

Tais investimentos fizeram com que Brand virasse um alvo dos fãs do Sixers depois da demissão de Brown, agora revoltados com o “engessamento” salarial da franquia. De acordo com Adrian Wojnarowski, da ESPN, o ex-atleta (ainda) não corre risco de ser retirado do cargo. E ele diz que, após erros típicos de um estreante na função, não pretende dar mais chances ao azar. O 76ers visará – e ganhará – mais em 2021.

“O meu objetivo é, não importa o que aconteça, termos certeza de que estaremos em condição de competir por títulos. Nada da boca para fora, realmente competir. Então, qualquer papel que tiver que assumir, terei foco em subir o patamar do Sixers. Ainda não sei as mudanças que faremos, mas estou ansioso para fazê-las e colocar essa organização em uma posição favorável para vencer”, finalizou o convicto dirigente.