Reforço do Boston Celtics, o francês Evan Fournier descreveu o sofrimento que teve na luta contra o COVID-19, que o tirou de 11 dos primeiros 21 jogos com a equipe na atual temporada. Em entrevista ao jornalista Daniel Lubofsky, do Celtics Blog, o ala-armador dormiu por quatro dias consecutivos.

“Estou me sentindo bem estranho, para ser honesto”, disse Fournier. “Eu sinto como se fosse uma concussão. Agora, estou um pouco melhor, mas no começo, luminosidade importunava meus olhos e minha visão estava turva. Tudo estava acontecendo muito rápido para mim. Ainda estou um pouco assim. Algumas coisas estão melhores, mas, às vezes, eu tenho problemas para manter o foco e meus olhos continuam com problemas para focalizar algo. Minha percepção de profundidade está muito ruim agora”.

Negociado pelo Orlando Magic para o Celtics na trade deadline, Fournier não vem em boa fase em sua nova equipe. Em dez jogos disputados, o atleta possui médias de 9.0 pontos, 3.0 rebotes, 1.9 assistência e aproveitamento de 37.6% nos arremessos em cerca de 28 minutos. Para se ter uma ideia, no Magic, ele obteve 19.7 pontos e 3.7 assistências, com 46.1% nos lances de quadra com dois minutos a mais.

“É terrível não conseguir mostrar meu basquete”, afirmou. “As pessoas aqui [em Boston] ainda não conhecem meu jogo. Pela primeira vez na minha carreira, eu tenho a oportunidade de ir longe nos playoffs. Finalmente, com um grande time. Mas eu tive COVID-19 e, o que está acontecendo, é decepcionante e de partir meu coração”.

O Celtics utilizou parte de sua trade exception, adquirida na negociação de Gordon Hayward para o Charlotte Hornets, para contratar o jogador. Seu contrato, no entanto, é expirante de US$17 milhões e, por enquanto, não houve nenhuma conversa interna para definir se e por quanto a equipe de Massachusetts vai oferecer extensão.

“Honestamente, eu fiquei na cama e dormi por uns quatro ou cinco dias seguidos”, concluiu.