Não dá! O Los Angeles Clippers chegou ao fim da linha e está entre a cruz e a espada. Após o anúncio de que Kawhi Leonard poderia retornar às quadras ainda na atual temporada, o Clippers sofreu um duro golpe com a notícia de que Paul George pode perder o resto da campanha. O que era para ser uma semana para comemorar, tornou-se um pesadelo. Então, o ideal seria partir para o tank, certo?

Errado!

O Clippers não pode se dar ao luxo de perder jogos, pois não possui escolha de primeira rodada no draft de 2022. Portanto, mesmo que perca sem intenção, não vai resolver absolutamente nada. Aliás, isso já está acontecendo agora. O time é mediano sem Leonard, sofrível sem George e ele. Partindo desse ponto, ainda tem o que fazer?

Bem, não é possível o Clippers vencer jogos com o que possui. Vai acontecer aqui e ali, mas vai sofrer um caminhão de derrotas. No entanto, os problemas não param por aí. Ainda que o time seja derrotado em sequências e fique com uma campanha negativa (como já está), corre o risco de se classificar para o play-in.

É sério.

Hoje, o Clippers é o oitavo colocado do Oeste, mesmo jogando mal, sem nenhuma referência ofensiva, sem padrão de jogo. Embora a equipe tenha o quarto melhor defensive rating da temporada (até o dia 13 de janeiro), isso vai acabar mudando em breve. Nos últimos seis jogos, o time sofreu 106 pontos ou mais em quatro. Eca!

Tank?

O tank para o Los Angeles Clippers só vai funcionar se o time conseguir uma escolha de primeira rodada antes da trade deadline. No entanto, o prazo limite para negociações acaba no dia 10 de fevereiro. Como ninguém (que sobrou) tem se destacado, como é que vai trocar por uma pick assim?

Na verdade, até pode funcionar, mas precisa ser criativo. Os contratos “trocáveis” ali são poucos.

Terance Mann, por exemplo, assinou extensão em outubro, mas o valor só vai começar a valer em 2023-24. Serge Ibaka tem um expirante de US$9.7 milhões, o que é ótimo para agrupar em uma troca. Entretanto, só vai funcionar se o Clippers adicionar algum jogador que tenha mercado para ser titular em outras equipes.

Marcus Morris, talvez, seria esse jogador. Ótimo defensor, arremessa de três e tem um salário relativamente barato (cerca de US$16 milhões anuais até 2024). Outra solução poderia ser incluir Eric Bledsoe em um pacote. Bledsoe recebe US$18.1 milhões na atual temporada e tem um contrato parcialmente garantido em US$3.9 milhões em 2022-23. Assim, o outro time da troca poderia dispensar o armador sem pesar tanto em sua folha salarial para a próxima campanha.

Daí, o time precisaria somar tudo isso, partir para as negociações e torcer para alguém aceitar.

Mas trocar com quem?

Imaginando um pacote de, aproximadamente, US$44 milhões em salários de Serge Ibaka, Marcus Morris e Eric Bledsoe, seria necessária uma troca para, no fim, o Los Angeles Clippers conseguir a tal escolha de primeira rodada. Mas com quem poderia negociar?

Aí é que está. Para isso, dificilmente o Clippers chegaria a um acordo com uma equipe só.

Porém, tentei com muitos times e encontrei o Boston Celtics como o único que poderia fazer algum sentido.

O Clippers enviaria Ibaka, Morris e Bledsoe, enquanto o Celtics mandaria de volta o armador Dennis Schroder, o veterano Al Horford e o ala-pivô Juancho Hernangomez. Agora, por partes.

Horford recebe US$27 milhões em 2021-22, mas tem um contrato parcialmente garantido (US$14.5 milhões) em 2022-23. Embora ele não seja mais o astro dos tempos de Atlanta Hawks e do início no Celtics, Horford ainda pode contribuir vindo do banco ou, ainda, ser dispensado e o Clippers que se vire com isso.

Schroder tem um expirante de US$5.9 milhões, enquanto Hernangomez (US$7 milhões) tem contrato não garantido para a próxima temporada.

Financeiramente, funciona. Mas e em quadra?

Neste caso, o Celtics receberia um armador de origem, algo que não tem em seu elenco. Além disso, chegaria um veterano para ser reserva de Robert Williams. Por fim, Morris seria titular na vaga de Horford. Enquanto isso, o Clippers poderia oferecer um novo contrato a Schroder para vir do banco e teria Horford para ser reserva ou dispensado.

Bom para os dois

Para o Celtics, seria a chance de melhorar seu elenco em busca de uma vaga nos playoffs. Para o Clippers, a oportunidade de desistir da temporada sem medo de ser feliz em 2022-23. Mais que isso, o time californiano daria a Kawhi Leonard e Paul George duas campanhas inteiras para que eles vencessem. Até poderia ter uma terceira, mas dependeria do projeto para o futuro, pois eles terão opções em seus contratos em 2024-25.

Com a escolha de primeira rodada, o Clippers teria a chance de selecionar algum talento de loteria, qualificando o elenco para os próximos anos.

Existe, ainda, a possibilidade de participar de uma troca com vários times ao mesmo tempo, mas pode ter um resultado menos interessante.

A equipe precisa tomar uma decisão e tem de ser rápida. Do jeito que está, o Los Angeles Clippers não tem um propósito, um fim. Tem uma perspectiva de derrotas sem nada a receber em troca.

Siga o Jumper Brasil em suas redes sociais e discuta conosco o que de melhor acontece na NBA: 

Instagram
YouTube
Twitter
Canal no Telegram