O Hawks já jogou por Buffalo, Milwaukee, St. Louis e Moline antes de se estabelecer em Atlanta, além de já ter se chamado Bisons e Blackhawks. O Pistons originalmente era da cidade de Fort Wayne, antes de ir para Detroit. O 76ers, antes de ir para a Philadelphia, jogava em Syracuse e se chamava Nationals.

O Wizards já jogou por Chicago, Baltimore e Landover antes de estabelecer em Washington, além de já ter se chamado Packers, Zephyrs e Bullets. O Jazz era de New Orleans antes de ir para Salt Lake City. O Warriors jogou por Philadelphia e San Francisco antes de ir para Oakland.

Os dois times de Los Angeles não são de lá: o Clippers era de Buffalo e também rodou por San Diego, e o Lakers era de Minneapolis. O Rockets também passou por San Diego antes de se estabelecer em Houston.

O Spurs, antes de ir para San Antonio, era conhecido como Dallas Chaparrals, e rodou por todo o estado do Texas. O Kings, já chamado de Royals, rodou por Rochester, Cincinnati, Kansas City e Omaha antes de ficar em Sacramento. O Hornets jogava por Charlotte antes de ir para New Orleans. 

O Grizzlies também jogou em Vancouver antes de ir para Memphis. Por fim, o Thunder jogou em Seattle e era conhecido como Super Sonics antes de ir para Oklahoma City.

Mudança não é uma novidade, inclusive, para o time mais recente a mudar de cidade, o Nets. Agora em Broklyn, ele já foi de New Jersey para New York – e vice-versa – antes.

Mudar de cidade – ou de nome – não é novidade paras as franquias de basquete norte-americanas. Os motivos variam: venda para novos donos, baixo público para os jogos em casa, ida para cidades maiores, o baixo valor do Dólar Canadense, reputação do dono do time após um escândalo sexual, um ginásio ultrapassado para as regras da liga.

O público nem sempre gosta da mudança, com o caso mais emblemático sendo o da torcida do Sonics, que tenta trazer a franquia de volta para sua cidade – e nutre um ressentimento pelo OKC. Mesmo assim, os boatos de realocação de franquias não param: a mudança do Kings e do Warriors para Virginia Beach e San Francisco, respectivamente.

A mudança de casa do Nets é só mais um capítulo na história da NBA. Há quem considere as franquias mercenárias, quem ache que é uma falta de respeito com a torcida, mas no fim o que importa mesmo é ter ou não receita para bancar os altos salários das estrelas da liga. Mesmo que para isso uma cidade fique órfã de seu time do coração.