A temporada pode até ter sido paralisada por quatro meses, mas a campanha do Philadelphia 76ers terminou da mesma forma como começou e desenrolou-se: uma enorme decepção. Desfalcada do astro Ben Simmons, a equipe foi varrida pelo Boston Celtics na primeira rodada dos playoffs e já não está mais na bolha. Foi o fim de um ano que, para Joel Embiid, só pode ser definido como estranho.

“É frustrante. Não foi um ano de sorte nosso. Essa foi uma temporada estranha e, em alguns anos, nós olharemos para trás com muitos arrependimentos. Acho que nunca conseguimos encontrar nosso melhor ritmo e sinto que nem sempre o foco esteve dentro de quadra. Temos que melhorar, temos que ser melhores”, disse o pivô camaronês, em entrevista coletiva após a quarta derrota para o Celtics.

Com as derrotas, consequentemente, vêm as especulações e rumores. Torcedores nas redes sociais criticam a formação do elenco, uma troca de técnico parece um caminho inevitável e os boatos sobre uma ruptura da parceria Embiid/Simmons voltaram com toda a força. As pessoas buscam problemas e respostas vendo do lado de fora, mas o astro não aponta nenhum problema além do resultado final.

“Não houve nenhum problema aqui. Nós simplesmente não vencemos. Sugerir que havia algum problema entre nós, um “racha” no grupo, é uma estupidez. Às vezes, as coisas só não ocorrem como esperamos. E não deu certo, não aconteceu. Agora, todos temos que nos olhar no espelho e tentar retornarmos melhores”, resumiu o jogador de 26 anos, em tom extremamente desapontado.

Uma pessoa que não deverá retornar é o técnico Brett Brown. Embiid, porém, não tem nada além de elogios ao único treinador com quem trabalhou na liga. “Brett é uma ótima pessoa, melhor ainda do que treinador. É um cara que importa-se com os atletas e as pessoas com quem trabalha. Admiro-o muito. Ele vai ser um grande amigo, não importa o que aconteça”, garantiu o camaronês.

A saída de Brown pode ser muito pouco diante da enorme frustração deixada pelo resultado final. Embora os rumores mais quentes sejam a separação dos astros do time, as negociações mais factíveis envolvem coadjuvantes que decepcionaram na temporada após grandes investimentos, como Tobias Harris e Al Horford. Embiid não quer sair, mas já não descarta uma mudança de ares em seu futuro.

“Eu não tomo as decisões. Estou aqui como um jogador do Sixers e o que tiver que acontecer nos próximos meses, acontecerá. Eu sempre disse que quero encerrar a minha carreira na Philadelphia e, se a história for essa, ótimo. Se isso não ocorrer, bem, você segue em frente e vive sua vida”, refletiu o astro do Sixers, admitindo não ter controle sobre o que vai acontecer nos próximos meses.