Prestes do seu retorno às quadras, Kyrie Irving concedeu entrevista coletiva nesta quarta-feira (29) e comentou sobre as consequências de não se vacinar contra a COVID-19, além do sentimento em voltar a treinar com o restante do elenco após meses inativo. Menos de 24 horas após ser reintegrado à equipe, o astro entrou nos protocolos de saúde e segurança da NBA e, após dez dias de quarentena, finalmente poderá participar das atividades do Brooklyn Nets.

Irving nunca escondeu saber que sua decisão de não se imunizar contra o coronavírus traria consequências para si. Contudo, na coletiva desta quarta o camisa 11 revelou que, apesar de saber o que aguardava, não se sentia preparado para enfrentar. “Eu sabia as consequências, porém não estava preparado para elas nem em imaginação. No início da temporada, pensei que poderia jogar em tempo integral. Mas, infelizmente, não aconteceu assim. As coisas acontecem por um motivo. Agora estamos aqui e estou muito grato por isso”.

Ainda na pré-temporada, especulava-se se a direção do Nets compactuaria com um atleta considerado “de meio período”. Ou seja, para que Irving atuasse apenas em jogos fora de casa – como será agora. Primeiramente, o posicionamento da franquia foi firme para mantê-lo afastado. De acordo com Kyrie, ele compreendeu a escolha da direção. “Eu entendi e respeitei a decisão deles. Tive que avaliar de acordo com a perspectiva da direção, mas foi preciso sentar e não deixar o emocional me atrapalhar”.

O retorno

Apesar de sua franquia tê-lo aceitado de volta, os mandatos que o proíbem de frequentar locais fechados ainda persistem em Nova Iorque e San Francisco. Portanto, na próxima partida do Nets, nesta quinta-feira (30), contra o Philadelphia 76ers, Irving não poderá atuar, já que o duelo acontece no Barclays Center. De qualquer forma, o técnico Steve Nash planeja contar com seu armador em até 15 dias. Afinal, Kyrie não jogou nenhuma partida oficial da temporada 2020-21.

“Eu perdi muito tempo. É o meu primeiro dia com os caras e parecia que já fazia muito tempo. Parecia que os dias passaram lentamente enquanto eu estava sentado em casa. Quando pensei em que voltaria aos treinos, ontem à noite, mal consegui dormir”, relatou Irving.

Por fim, Kyrie Irving se mostrou animado em poder jogar novamente e adotou um tom de gratidão durante sua coletiva. Ademais, quis mostrar preocupação com o avanço da variante Ômicron no mundo. “Incrivelmente grato por estar de volta. Fui recebido de braços abertos por meus companheiros de equipe e toda a organização. Não vou mentir, tem sido relativamente difícil assistir de fora com tudo que está acontecendo no mundo. Sei que todos estão sentindo isso [COVID]. Se eu tiver a oportunidade de entrar em quadra e jogar com meus companheiros, mesmo que seja apenas em jogos fora de casa, agradeço a oportunidade”, concluiu o astro.

Siga o Jumper Brasil em suas redes sociais e discuta conosco o que de melhor acontece na NBA: 

Instagram
YouTube
Twitter
Canal no Telegram