LaMelo Ball é o novato do mês

Elegemos os três principais novatos do mês de janeiro, período que teve como destaque o feito de LaMelo Ball (Charlotte Hornets) – se tornando o jogador mais jovem da história da liga a anotar um triplo-duplo, bem como a consolidação de novatos de nome pouco badalado como peças importantes na rotação de suas equipes, casos de Immanuel Quickley (New York Knicks), Xavier Tillman (Memphis Grizzlies) e Jae’Sean Tate (Houston Rockets).

Confira abaixo o pódio e a análise sobre os ‘eleitos’:

 

1- LaMelo Ball (Charlotte Hornets) 

Números: 12.6 pontos (3º), 6.7 assistências (1º), 6.2 rebotes (1º), 1.5 roubo de bola (1º), 42.7% aproveitamento nos arremessos de quadra, 25% de aproveitamento na linha dos três pontos (4.5 tentativas)

Campanha da equipe: 7-9

Comentário: Apesar dos altos e baixos em seu aproveitamento nos arremessos de quadra – sobretudo nos longos, a partir do perímetro, Ball conseguiu impactar as partidas de maneira consistente com a tremenda presença na tábua de rebotes, a habilidade de puxar o ritmo de sua equipe na transição e exibir rara precisão em seus passes cheios de ‘flash’ e criatividade (2.7 assistências por turnover), além de, tal como seu irmão Lonzo, traduzir seus instintos de antecipação e QI natural para o jogo na hora de antecipar passes e atuar como uma força disruptiva no lado defensivo da quadra.

De quebra, janeiro coroou LaMelo como o jogador mais jovem da história da NBA a anotar um triplo-duplo – feito logrado em vitória contra o  Atlanta Hawks, quando o armador anotou 22 pontos, 12 rebotes e 11 assistências.

 

2- James Wiseman (Golden State Warriors)

Números: 12.1 pontos (4º), 6.2 rebotes (1º), 1.3 toco (1º) 2.9 lances-livres por jogo (2º, 61.7% de aprov.), 20.3 minutos (13º), 51.9% aproveitamento nos arremessos de quadra

Campanha da equipe: 9-7

Comentário: rechaçando qualquer comparação com ‘pivôzões lentos’ que recebeu durante o processo pré-draft, Wiseman exibiu toda sua fluidez atlética ao longo do mês de janeiro para ser um defensor positivo em coberturas altas de pick-and-roll (diminuiu o aproveitamento médio dos adversários em 3.6% no perímetro durante o período), bem como para usar suas passadas largas de gazela e colocar enorme pressão no aro como rim runner em situações de transição (60th percentile).

Sua produção nas estatísticas ‘tradicionais’ impressionam, quando contextualizadas com o fato dele ter sido apenas o 13º novato com mais minutos ao longo do mês de janeiro.

 

3- Tyrese Haliburton (Sacramento Kings) 

Números: 11.2 pontos (5º), 5.8 assistências (2º), 1.2 roubo de bola (5º), 2.1 bolas de três pontos convertidas por jogo (1º, 39.1% de aprov.), 45.7% aproveitamento nos arremessos de quadra

Campanha da equipe: 5-7

Comentário: sólido como uma rocha desde que pisou em uma quadra de NBA, Haliburton seguiu mostrando sua versatilidade para atuar na bola e fora dela – elemento que o permitiu liderar os jogadores do elenco do Kings em minutos no último quarto das partidas (8.9 do jogo), alternando a missão de ‘líder da segunda unidade e ball handler principal’ no início do 4º período com a função de espaçador de quadra e playmaker secundário quando já ao lado de De’Aaron Fox nos 6 minutos finais.

Além da versatilidade para cumprir múltiplas funções, o ex-jogador de Iowa State tem chamado a atenção pela personalidade e ‘DNA clutch’ que exibe no final dos jogos: em janeiro, ele não foi apenas o 2º maior pontuador do Kings no 4º quarto (4.7) como foi também aquele com maior aproveitamento dos arremessos (66.7%).

 

Siga o Jumper Brasil em suas redes sociais e discuta conosco o que de melhor acontece na NBA:   

Instagram
Youtube
Twitter
Facebook