O Los Angeles Lakers está com problemas. Os atuais campeões sofreram o seu terceiro resultado negativo seguido e o quarto revés nos últimos cinco jogos nessa segunda-feira, contra um Washington Wizards que chegou a ser “lanterna” do Leste há poucas semanas. A série de derrotas do Lakers coincide com o desfalque do craque Anthony Davis e faz com que aumentem as discussões sobre a necessidade de descanso para LeBron James, jogando amplos minutos do alto de seus 36 anos de idade. 

“Eu acho que a narrativa de que preciso de descanso está tornando-se muito maior do que deveria. Eu nunca conversei sobre isso ou pedi isso a alguém. E não acredito que precise. É evidente que todos gostaríamos de ter descansado mais na offseason, mas estou aqui para trabalhar. Se sofrer uma lesão ou sentir-me mal, veremos. Não tenho nada disso, porém. Poder jogar pelo meu amor ao esporte é mais importante do que qualquer coisa”, disparou o veterano, depois do revés diante do Wizards. 

LeBron é o atual 17o jogador com maior média de minutos jogados na temporada (35.0) e mantém a produtividade que credencia um candidato a MVP da liga, mas esse índice disparou em fevereiro. Ele tinha média de 33.3 minutos até o começo do mês e, nos 11 jogos disputados desde então, lidera a liga atuando mais de 38 minutos por confronto. Contra o Wizards, duelo que foi decidido na prorrogação, o ala anotou 31 pontos, nove rebotes e 13 assistências em longos 43 minutos de ação.    

“Eu não estou pegando pesado demais. Não diria isso. Entro em quadra, jogo e faço o meu trabalho em alto nível. É simples assim. Nunca pedi para descansar, em nenhum momento da temporada. Essa história não está vindo de mim. Já ouço há uns seis ou sete anos e continuo pisando no acelerador. Não quero ajuda. Meu trabalho é, quando estiver disponível e saudável, ir para o jogo e fazer tudo o que posso”, disse o craque, em tom contundente e descartando ficar fora de partidas voluntariamente. 

O possível cansaço de LeBron ficou mais em evidência na derrota para o Wizards porque ele errou um lance livre a nove segundos do fim do tempo regular, ponto que teria dado a vitória aos angelinos. “Obviamente, assumo total responsabilidade pelo lance livre que errei. Falhei e precisava ter acertado porque é um ponto fácil para o meu time. Assumo essa questão, tenho que melhorar nesse quesito, mas não pensem que perdemos o jogo por causa desse arremesso”, alertou o veterano astro. 

Nas últimas semanas, o craque notabilizou-se por responder que não ficava cansado e a fadiga era um estado mental ao ser seguidamente questionado sobre suas condições físicas. O treinador do Lakers, porém, sabe que os discursos para a imprensa e prática podem ser coisas muito diferentes em uma temporada tão longa. É por isso que Frank Vogel revelou estar em constante comunicação com o seu principal jogador para checar o seu status – e poupá-lo está, sim, em pauta a cada noite. 

“Nós estamos considerando descansar LeBron desde o início da temporada, sempre em contato com o próprio atleta para monitorar sua situação. Nós tomaremos esse tipo de decisão de jogo em jogo, mas só digo que ele é um cavalo de guerra. O homem já está fazendo absolutamente tudo o que pode para nos ajudar a vencer as partidas”, elogiou Vogel, isentando o futuro integrante do Hall da Fama pelo péssimo momento da equipe na campanha.