O mundo do basquete lamenta o primeiro aniversário de morte da lenda Kobe Bryant nessa terça-feira. E, para alguns dos jogadores mais próximos do ídolo, a sensação de luto segue tão forte quanto nos corações de seus maiores fãs. A sabedoria popular diz que as lendas não morrem e o tempo ajuda a curar a dor, mas, passados 365 dias da fatídica notícia, LeBron James admite ainda não saber lidar com a ausência de Kobe. 

“Dizem que o tempo cura tudo. Por mais devastador e trágico que tenha sido e ainda é, tudo o que podemos fazer é esperar que o tempo cure as feridas. Isso não aconteceu e acho que pode demorar. Cada pessoa tem seu processo de luto e é preciso respeitá-lo. O que podemos fazer é estar próximos das pessoas e darmos apoio uns aos outros na jornada”, afirmou o craque, em entrevista coletiva nesse fim de semana. 

Kobe faleceu em um acidente de helicóptero que vitimou fatalmente outras oito pessoas – incluindo uma de suas filhas, Gigi, de 13 anos. A devastadora notícia iniciou uma série de tributos e homenagens, de famosos e anônimos, que atravessaram o ano inteiro. Um dos pontos sempre apontados no jogo do falecido astro eram suas semelhanças técnicas com Michael Jordan, mas, para LeBron, ele sempre foi absolutamente único em quadra.  

“Há muitas similaridades com Michael, sim, mas sempre apreciei Kobe simplesmente por ser Kobe. Por sua forma de jogar, técnica refinada, controle de bola. Respeitei-o como o jogador que era, não por quem parecia. E o fato de adicionar movimentos de ‘MJ’ ao seu arsenal, algo que tantos tentam a vida inteira e não conseguem, é fantástico. Ele tinha habilidade, cabeça e vontade de ser excelente”, exaltou o quatro vezes MVP da liga.  

Hoje, obviamente, LeBron tem uma ligação mais forte com o saudoso ala-armador pelo fato de ambos terem sido atletas e campeões pelo tradicional Los Angeles Lakers. E tal proximidade que o acaso proporcionou ajuda o ala a entender melhor o legado deixado pelo integrante do Hall da Fama. Agora, para todos os lados que ele olha, Kobe está lá com seu impacto incomparável e como parte da história vencedora do time angelino.  

“Nós lembramos de Kobe quando vestimos os uniformes Black Mamba e tivemos grande sucesso na ‘bolha’. Há jogadores que usam os seus tênis até hoje. E, ao entrarmos no Staples Center, vemos as duas camisas (#8 e #24) no teto. Estamos sendo capazes de ver e viver o seu legado. Existem muitas coisas que morrem nesse mundo, mas lendas nunca morrem. Lendas, como Kobe, nunca morrem”, concluiu LeBron, um dos maiores jogadores de todos os tempos ao lado do genial amigo. 

Siga o Jumper Brasil em suas redes sociais e discuta conosco o que de melhor acontece na NBA:   

Instagram
Youtube
Twitter
Facebook