Kyrie Irving, a cada dia, reafirma a impressão de que não vai tomar a vacina contra a COVID-19. Não passará impune, porém, à controversa decisão: ele vai ter que lidar com possíveis respostas agora. Como resultado da possibilidade do astro não poder atuar nos jogos em Nova Iorque, o Brooklyn Nets estaria considerando afastar Irving do elenco. A informação foi divulgada por Adrian Wojnarowski e Brian Windhorst, da ESPN.   

 

Havia otimismo interno de que o armador, assim como ocorreu com Andrew Wiggins, acabaria aceitando imunizar-se com o tempo. Essa sensação deu lugar, no entanto, a um crescente temor diante da forte resistência do craque. Ele tem sido o grande nome quando se fala no movimento anti-vacina dentro da NBA. Todos sabem de sua posição, mas o craque não faz comentários e pede que a sua privacidade seja respeitada. 

Por isso, agora, os dirigentes da franquia lidam com um dilema que poderá influenciar o elenco inteiro. Acomodar Irving sem estar vacinado no elenco exigirá várias mudanças, pois a participação em qualquer evento em local fechado exige a imunização dos cidadãos. Afastá-lo de todas as atividades, nesse sentido, pode ser a maneira mais realista de administrar o time ao longo da temporada. 

Nets não treinará fora de Nova Iorque 

Hoje, o astro não pode participar de treinamentos e jogos do Nets nas cidades de Nova Iorque e San Francisco. Ou seja, ele seria desfalque em mínimo de 44 partidas dessa campanha e não teria como participar da maior parte dos treinos da equipe. A NBA já anunciou que a franquia pode mudar o local de suas atividades diárias para permitir a integração do jogador, mas o técnico Steve Nash descartou a ideia de imediato. 

“Não vamos realocar os treinos. Essa é a nossa casa, então é o local onde treinaremos. Quase todos estão vacinados e saudáveis, então temos quase o grupo inteiro à plena disposição. Só estamos pensando em trabalhar para melhorar a cada dia e, no fim das contas, concentrados nas coisas que podemos controlar no momento”, garantiu o ex-armador, ao ser questionado sobre a possível mudança de local.  

O amigo Kevin Durant negou-se a incentivar o astro a vacinar-se, mas acredita que ele estará à disposição da equipe eventualmente. “Projeto Kyrie como parte do plantel, pois estamos falando de um jogador especial com impacto muito difícil de replicar. Talvez até esteja sendo ingênuo, mas é o que sinto. Todos aqui têm confiança em cada atleta e no grupo, então temos certeza de que podemos fazer algo incrível juntos”, disse o ala. 

 

Apoiado em meio ao caos 

Afastar Irving do elenco, nesse momento, seria uma decisão bastante protocolar para o Nets. Afinal, o armador já não está participando dos treinamentos do time por causa da restrição a não vacinados. A situação durante a temporada, porém, seria mais “caótica”: ele poderia ser liberado e reintegrado pelo time em questão de dias a depender das leis da localidade em que a equipe se encontra. 

Nash já revelou que não está ativamente monitorando os treinos particulares que o astro vem realizando para manter a sua forma física. No entanto, ele manifestou seu apoio ao comandado. “Nós estamos aqui para apoiar Kyrie. As coisas mudam e, certamente, não estou preocupado com nada. Tentamos trabalhar todos os dias. Chegamos hoje apenas pensando em ter um ótimo treino e fazer o mesmo amanhã”, minimizou o treinador. 

A NBA e a Associação dos Jogadores chegaram a um acordo recentemente sobre reduzir salários de atletas não vacinados por jogos perdidos por leis locais. Irving, sendo assim, estaria sujeito a multa de US$380 mil por cada partida em que não entrar em quadra por não estar imunizado. Por fim, apesar de todos os problemas, Wojnarowski e Windhorst apuraram que o Nets não pensa em uma “ruptura” via troca. 

 

Siga o Jumper Brasil em suas redes sociais e discuta conosco o que de melhor acontece na NBA:   

Instagram 
YouTube 
Twitter 
Canal no Telegram 
Apostas – Promocode JUMPER