Poucos empregos na NBA atual são mais instáveis do que empresário do pivô Mitchell Robinson. O atleta do New York Knicks só disputou 127 partidas em menos de dois anos de carreira profissional, mas, em fevereiro passado, contratou seu quinto agente desde que entrou no draft de 2018. O controverso Rich Paul admite que representar o jovem pode ser um desafio, mas acredita que tem um “diamante bruto” como cliente. 

“Mitchell é um jogador único por seu enorme potencial: possui muita capacidade técnica e está só arranhando a superfície. Mas a verdade é que talento vai levá-lo apenas até certo ponto. É preciso compreender os esquemas defensivos, detalhes do jogo, como tomar decisões em quadra e fazer os passes certos. São muitas coisas para aprender, mas, uma vez aprendidas, ele poderá mostrar seu verdadeiro talento”, analisou o empresário e reconhecido sócio de LeBron James. 

Embora seja considerado um dos principais jovens talentos nova-iorquinos, Robinson foi apenas o sétimo jogador com maior média de minutos do elenco. A situação não é das mais confortáveis, em especial, porque o atleta já deverá renegociar seu contrato em 2021. Paul é conhecido como um duro negociador, mas, acima de tudo, crê que pode ajudar o jovem atleta em um nível pessoal. 

“Eu sinto que posso ajudar Mitchell a ser, mais do que um jogador melhor, uma pessoa melhor. Acho que posso ser muito importante para sua vida. Nem sempre tudo é sobre dinheiro. Vejo um garoto esperto que sabe o que quer para a sua carreira e está amadurecendo. Conversamos sobre ser um verdadeiro profissional, por exemplo. Tenho grandes planos para nossa parceria”, argumentou Paul, torcendo para durar mais do que os quatro agentes anteriores de Robinson.